O Uri Levine é a fera genial que ajudou a criar o Waze. Bom, se você já usou, sabe o quanto o negócio é sensacional para evitar o trânsito e ajudar você a ir onde quiser; se ainda não usou… Ahn, como assim não usou o Waze? O app é bom demais!

Você sabia que o Waze tem ajudado o trânsito em vários lugares do mundo, mais do que departamentos inteiros do governo? Legal, mas o mais interessante é que em entrevista para o meu livro “A Revolução das Startups” (clique para detalhes), ele deu 4 dicas relevantes para criar um negócio tão bacana como o dele. Acompanhe:

Dica 1: Apaixone-se pelo problema que você quer solucionar (não pela solução)

Essa é uma daquelas clássicas lições que precisamos ter sempre em conta, pois as pessoas continuam esquecendo disso e pensando mais na solução que no problema.

Não comece um negócio pensando “Eu tenho algo legal aqui, o que posso resolver com isso”? Esse tipo de pergunta não atinge nenhum problema específico e, portanto, sempre perderá para as soluções que vieram para um problema real. Essa foi a justificativa do Uri para criar o Waze.

Empreendedorismo é a resposta para um determinado problema. Você quer solucionar algo e resolveu criar o seu jeito, então por onde começar? Apaixonando-se por aquilo que quer resolver, não necessariamente pela solução. Até porque, para pensar nas melhores alternativas e estar sempre inovando, a paixão pelo problema vai ser mais relevante.

Dica 2: Foco não é o que você está fazendo, mas aquilo que não está – essas são as decisões difíceis

Você certamente vai encontrar muitas alternativas para resolver o problema e milhões de incrementos, porém isso requer tempo, dinheiro e energia que você acaba dividindo. O grande segredo é saber o que você não deve fazer, pois para começar é mais importante estar atento sobre que caminho não seguir.

Saber o que não quer é também uma ótima forma de começar a trabalhar a solução que você quer desenvolver, evitando assim caminhos que a competição já emplacou, além de agir e tomar decisões de acordo com as suas crenças.

Leitura recomendada: Empreendedorismo de verdade: a inovação é o combustível!

Dica 3: Cometa seus erros rápido, para consertar rápido

A essência do Lean Startup, ou seja, um dos conceitos mais aplicados pelas startups, é esse: erre rápido para saber o que funciona e o que não funciona, e ser capaz de corrigir rapidamente também. Não fique indagando e imaginando, vá descobrir fazendo e consertando.

A questão apontada por Uri é que agir de maneira a errar e consertar aumenta a velocidade em que esses erros e ajustes são cometidos e corrigidos; quanto menor são os períodos, mais rápido você será capaz de evoluir e chegar a uma boa solução.

Dica 4: Como você pode fazer o mundo melhor não só para você, mas para todo mundo?

Aqui temos duas questões muito importantes que o Uri quis destacar. A primeira é de realmente estar fazendo algo significativo, que desperte em você orgulho por estar envolvido e doando sua energia.

Dentro desse ponto, o de estar ajudando, vem a segunda questão: o que quer que seja que você esteja criando e oferecendo, isso não deve ser apenas para você ou para um grupo muito pequeno de amigos, mas para um grupo muito grande pessoas.

Se você quer criar algo de sucesso, que venha a fazer a diferença no mundo, esse algo deve ajudar muita gente, se não será apenas uma “invençãozinha” sua para você mesmo (não que isso seja um problema, mas não é o empreendedorismo de alto impacto ou aquele legado que você pode deixar para a humanidade).

Leitura recomendada: 10 Lições de Elon Musk sobre inovação e empreendedorismo

Conclusão

Que tal? Gostou das 4 dicas relevantes para você refletir quando estiver pensando no empreendedorismo? O Uri comentou que elas foram decisivas para começar o Waze e suas outras iniciativas atuais, além de confessar que ele também vai usá-las em novos projetos que ainda virão. Boa sorte e sucesso!

Bruno Perin
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários