Crise é a palavra do momento, e saber lidar com ela e controlar os gastos neste momento são passos importantes para ultrapassar ileso (ou quase) esta dificuldade. Em tempos assim, é natural sermos atingidos por uma sensação de que nada vai dar certo e que daqui algum tempo tudo estará ainda pior.

A falta de perspectiva e o pessimismo são, sem dúvida, péssimos companheiros. Para combater essas sensações, é importante lembrar que as crises são cíclicas (e mesmo as piores, mais cedo ou mais, acabam passando).

Quem está atento às variáveis econômicas e entende que sempre é tempo de se preparar para o futuro, independente do momento, sempre se beneficia de momentos assim. Pensando em contribuir para mudar a sua percepção em relação à crise, preparei 7 dicas fundamentais para sobreviver (e crescer) à crise.

1. Reserve o dinheiro antes de gastar

Fica muito mais difícil poupar dinheiro quando você já gastou tudo ou ainda tem compromissos financeiros por perto. Por isso, assim que você receber o seu salário, separe uma parte para sua reserva de emergência e outra para investimentos – conceito clássico de finanças conhecido como “pague-se primeiro”.

Depois que conseguir alcançar o valor necessário para sua reserva, continue utilizando a mesma tática para investir. Para tanto, reserve ao menos 10% de sua renda líquida, mas não fique preso a este número, afinal aos poucos você poderá aumentar (com o passar dos anos e sua evolução profissional).

Leitura recomendada: 5 Passos para você criar sua reserva de emergência (ou fundo de reserva)

2. Planeje seus gastos

Muitas pessoas já realizam o planejamento daquilo que vão gastar, poupando o dinheiro para o pagamento das contas principais e deixando valores menores para os gastos triviais. Tente fazer essa perspectiva de gastos de forma mais constante e planejada, sabendo quanto exatamente gastará e quanto poderá investir para seu futuro.

Você deve reservar algumas horas do mês para trabalhar com seus números e valores. Para isso, você pode utilizar uma planilha ou outra ferramenta para controlar os gastos; o fundamental é transformar isso em um hábito.

Leitura recomendada: Guia de planejamento financeiro para desorganizados

3. Anote seus gastos

Pode parecer uma coisa boba, mas anotar os gastos é uma das melhores maneiras de economizar. Nos primeiros meses, pode ficar difícil conseguir registrar todos os gastos, mas depois de algum tempo o hábito vai “vingar” e trazer vários benefícios.

Na dica anterior, falamos sobre as ferramentas que podem ajudar você a controlar os gastos; esse item é tão importante que merece ser tratado mais uma vez, pois criar o hábito de anotar e trabalhar seu orçamento doméstico com responsabilidade é indispensável para tomar as melhores decisões de consumo – só assim você conseguirá priorizar a realização do sonhos e objetivos.

Ferramenta recomendada: Baixe aqui a melhor planilha gratuita de controle financeiro.

4. Planeje seus momentos de lazer

Na maioria das vezes, o cuidado com as contas de consumo até é eficiente, mas quando paramos para planejar os momentos de lazer o descontrole aparece (e vem com força total). A dica é simples: seja realista!

Se os gastos com lazer tomam um percentual importante de sua renda, é fundamental que isso fique exposto de maneira clara em seus controles. Assim, você ficará apto a tomar a melhor atitude em relação ao lazer e, inclusive quando necessário, promover os ajustes de gastos para curtir estes momentos sem deixar de fazer outras coisas importantes.

Leitura recomendada: Educação financeira: mais lazer e felicidade nas viagens e férias

5. Cuidado com o crédito

Um outro ponto importante é o excesso de crédito que muitas pessoas utilizam, quase sempre, para poder manter o padrão de vida. Além de tomar muito crédito, algumas pessoas acabam utilizando linhas de crédito mais caras, como o cartão de crédito e cheque especial.

Aqui a regra é clara (e cara): se você precisa todo mês buscar crédito para se manter, já passou da hora de rever seu orçamento e promover cortes das despesas. Se os valores tomados representam um grave problema para o orçamento, opte por negociar com o banco um empréstimo em uma linha de crédito mais barata (como empréstimo consignado ou mesmo um empréstimo pessoal) e quite sua dívida mais cara.

Leitura recomendada: 3 Coisas Sobre Cartão de Crédito Que Você Precisa Saber

6. Investir é fundamental

Existe uma diferença enorme e clara entre gastar e investir. Os investimentos trarão benefícios reais no futuro, e por isso algumas pessoas não percebem o seu real valor hoje, no presente. A desculpa de que investir é algo para pessoas com renda alta mostra a falta de conhecimento e disposição em criar um futuro mais rico e feliz.

Hoje, felizmente, existem opções para quem quer investir com segurança e bom retorno, mesmo na renda fixa. Tire alguns minutos do seu dia para conhecer mais detalhes sobre o Tesouro Direto, por exemplo, assistindo ao vídeo abaixo:

7. Aprenda a pensar no longo prazo

Qual sonho você quer realizar? Uma viagem, comprar um carro ou uma casa? Aprenda a viver com a expectativa de conseguir benefícios melhores lá na frente. Com isso, será mais fácil investir e manter o hábito de buscar as melhores opções para ver o dinheiro crescer.

Lembre-se que o brasileiro está vivendo cada vez mais e algumas decisões importantes que são fundamentais para nosso futuro precisam ser tomadas hoje, agora! Quem cuida ainda jovem com carinho da aposentadoria precisará de aportes menores e terá à sua disposição uma série de investimentos, mesclando com melhores resultados produtos de renda fixa e variável.

Leitura recomendada: O poder dos juros compostos no planejamento de longo prazo

Conclusão

Cuidar das finanças e controlar de maneira inteligente os gastos do mês é importante, constituindo um hábito essencial para alcançar sonhos e construir o próprio conceito de riqueza.

Segundo o filósofo grego Aristóteles, “as pessoas dividem-se entre aquelas que poupam como se vivessem para sempre e aquelas que gastam como se fossem morrer amanhã”. Chegou a hora de tratarmos o assunto com equilíbrio, realizando os sonhos de hoje, mas sem esquecer que o amanhã chegará. Obrigado e até a próxima!

Foto: Finance, Shutterstock.

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários