Dez em cada dez autores de finanças pessoais dirão que o momento que envolve Natal e Réveillon é bastante propício para reflexões acerca da condução de nossos projetos de vida, planejamento de carreira e decisões financeiras. Pois bem, reforço e defendo a mesma coisa, e hoje trago algumas sugestões para que a mudança realmente venha em 2015.

A primeira coisa que você precisa aceitar é que o ano que vem será de desafios na área econômica. Crescimento baixo, inflação teimando em se manter acima ou próxima do teto da meta (6,5%) e a necessidade de resgate da credibilidade são aspectos que influenciarão diretamente o seu dia a dia.

A má notícia é que essa realidade pode resultar em maior dificuldade de encontrar uma oportunidade de trabalho, reajustes de preços, crédito mais caro, elevação de impostos e demissões. A boa notícia é que momentos como esse trazem oportunidades, como o alto retorno da renda fixa e a possibilidade de comprar ativos bastante depreciados.

Ano Novo: 3 decisões financeiras que você deve tomar em 2015

Chegou a hora de decidir o que fazer com suas finanças em 2015. Uma lista de decisões financeiras inteligentes para o Ano Novo poderia ter, facilmente, 20 itens, talvez 30. Adiantaria listar tanta coisa em um texto no final de ano? Duvido. O bacana das finanças pessoais é que as ações mais simples são as que costumam dar os melhores resultados.

A verdade é que você já sabe o que precisa fazer para equilibrar as finanças e encontrar saídas para aumentar sua qualidade de vida. Talvez falte um pouco de coragem ou incentivo para adiar consumo em detrimento de construir a própria liberdade. Talvez você só precise mesmo de uma lista de transformações mais curta para sair da inércia.

Hoje, portanto, focarei três decisões financeiras importantíssimas para o ano de 2015:

1. Aproveitar as oportunidades da renda fixa

A taxa básica de juros da economia, a famosa Taxa Selic, já está em 11,75% ao ano e a expectativa é de que ela suba mais em 2015 (alguns economistas falam em 12,5% para a taxa até o final do ano que vem). Isso significa que quem pega dinheiro emprestado pagará mais caro, mas que quem investe em renda fixa terá rentabilidade maior. Que lado você prefere?

Tesouro Direto

Atenção especial para o Tesouro Direto, modalidade de compra de títulos públicos através da Internet. Sugiro prestar atenção e aproveitar três títulos, em especial:

  • LFT (Letra Financeira do Tesouro): excelente opção para quem quer investir sem prazo determinado e não correr o risco de perder o capital investido se precisar vender o título antes da data de vencimento. A LFT acompanha Selic, portando rentabiliza seu capital de acordo com a variação desta taxa ao longo do tempo. Segura, simples e eficiente em época de juros altos;
  • LTN (Letra do Tesouro Nacional): com as perspectivas econômicas atuais, é possível encontrar LTN oferecendo 13% ao ano, garantidos, no curto prazo (vencimento em 2017, título consultado em 18/12/2014). Trata-se de uma rentabilidade bruta duas vezes maior que a da poupança (e da inflação). Mesmo com cobrança de IR, a rentabilidade líquida será 85% maior que a da caderneta depois de dois anos. Este título deve ser mantido até sua data de vencimento, já que a venda antes disso pode representar perda de patrimônio decorrente da oscilação no valor de venda do título;
  • NTN-B e NTN-B Principal: se você se preocupa com o futuro de longo prazo, este é o título ideal para seu dinheiro. Com taxas de retorno atreladas ao IPCA, índice oficial de inflação, a NTN-B protege seu investimento ao longo do tempo. Para ter ideia, é possível garantir 6,3% mais IPCA por 10 anos (NTN-B Principal com vencimento em 2024, consultada em 18/12/2014). Este título também deve ser mantido até sua data de vencimento, já que a venda antes disso pode representar perda de patrimônio decorrente da oscilação no valor de venda do título.

Se você não entendeu muito bem o que falei acima sobre Tesouro Direto, não se preocupe. Temos um material completo sobre este investimento, inclusive com um curso em vídeo, tudo absolutamente gratuito. Clique aqui para saber mais sobre Tesouro Direto.

Letras de Crédito (LCI e LCA)

Outro investimento que merece sua atenção em 2015 é a Letra de Crédito. Mais conhecida nas modalidades Letra de Crédito Imobiliária (LCI) e Letra de Crédito do Agronegócio (LCA), trata-se de um título privado isento de Imposto de Renda (IR) e que paga um percentual do CDI (este varia de acordo com a Selic).

Atualmente, é possível investir em LCI e LCA com vencimentos curtos (30 a 90 dias) que pagam pelo menos 92% do CDI com cerca de R$ 5.000,00 ou mais. A vantagem é clara: retorno acima da média de curtíssimo prazo (geralmente caderneta de poupança ou fundos conservadores) sem incidência de IR.

Aportes maiores podem conseguir retornos melhores, mas isso não é uma regra. Ao pesquisar, considere olhar também corretoras, pois estas oferecem LCI e LCA de bancos médios, que pagam mais que os grandes bancos de varejo. Aplicações de até R$ 250 mil por CPF estão garantidas pelo Fundo Garantidor de Crédito em caso de problemas com a instituição financeira.

2. Fazer um seguro de vida

Ninguém pensa em morrer tão cedo, mas ao mesmo tempo não se pode saber quando essa hora vai chegar. O dilema de viver da melhor forma possível sabendo da morte certa assombra a maioria das pessoas. Como você enxerga esta questão? Se morrer hoje, como ficará sua família na sua ausência?

Há quem não se preocupe e simplesmente pense: “Se eu morrer, morri. Quem ficar vivo que se vire!”. Até faz sentido, mas não parece um pensamento sincero diante da importância da família. Esse egoísmo só é bonito para fazer banca, mas no íntimo raramente esse raciocínio se sustenta.

Curioso como muitos brasileiros que possuem carro fazem seguro desse bem, mas não fazem da própria vida. Na prática, o indivíduo deste grupo acredita que toda batida de carro em que se envolver só trará danos ao veículo – ele, o Super-Homem, sairá vivo de todo acidente. Inacreditável, não acha?

É hora de fazer um seguro de vida! Proteger sua família e dependentes em caso de ausência por acidente ou problema de saúde é o mínimo que você deve fazer se realmente. O mesmo vale para a indesejada morte. Você não quer morrer, eu sei, mas isso não está totalmente nas suas mãos. Faça algo a respeito.

Leitura sugerida: Seguro de Vida: Um Ato de Amor e Humildade em Família

3. Antecipar-se aos principais gastos do ano

Janeiro é uma correria para fechar as contas porque o IPVA acaba “encavalando” com os gastos de final de ano feitos no cartão de crédito, que por sua vez somam-se às despesas com material escolar e estes se misturam com as despesas não programadas das férias. Todo ano acontece a mesma coisa, já reparou?

A saída óbvia para o problema é trocar a atitude reativa (“Socorro, como vou pagar tantas contas?”) pela proativa (“Vou estimar os gastos para o ano e separar o dinheiro todo mês”). Não pense que isso é complicado, nem se preocupe em fazer a projeção dos centavos. O que interessa aqui é refletir hoje sobre o que você terá que pagar amanhã.

Repare que os momentos principais do ano são sempre os mesmos. Dia das Mães, Dia dos Pais, Dia das Crianças, Natal, Réveillon, aniversário da(o) esposa(o), aniversário dos filhos, aniversário de casamento, época de vencimento do IPVA, data para compra de material escolar, momento da matrícula, todas estas datas caem nos mesmos dias (ou quase). Entra ano e sai ano, é sempre assim.

Que no início de 2015 você já consiga olhar adiante e planejar seus gastos para estes períodos, definindo quanto terá que poupar e economizar por mês para garantir os recursos necessários para tudo que pretende fazer durante o ano. Essa decisão vai facilitar bastante sua vida, principalmente por evitar que você se endivide (lembre-se que os juros subiram).

Leitura sugerida: Ano Novo: 4 Oportunidades para Ficar Mais Rico em 2015

Conclusão

Termino mais um artigo com aquela sensação típica de “chover no molhado”. É certo que você não leu nenhuma novidade, mas o trabalho de educação financeira consiste em insistir nas simples atitudes que funcionam. Portanto, se fui repetitivo, encare esse texto como um ato de carinho com o seu futuro. Serei chato até você se dar conta da importância do tema.

Aproveite este momento especial de reunião familiar, descanso e renovação de esperanças para elevar seu orçamento e suas decisões financeiras ao nível de prioridade em que elas merecem estar. Lembre-se que dinheiro é um instrumento importante para conquistar liberdade e qualidade de vida.

Espero e desejo que o ano de 2015 seja repleto de muito sucesso, alguns desafios (afinal, é preciso crescer e aprender sempre), muita saúde e paz. E bons investimentos, claro! Vamos manter contato através dos comentários e também no Twitter – sou o @Navarro por lá. Até a próxima.

Foto “Businessman 2015”, Shutterstock.

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários