Home Empresas Apple e Huawei disputam mercado de smartphones na China

Apple e Huawei disputam mercado de smartphones na China

O iPhone 15 da Apple (AAPL) recebeu reações mistas nesta quarta-feira em seu terceiro maior mercado, a China

por Reuters
0 comentário

O iPhone 15 da Apple (AAPLAAPL34) recebeu reações mistas nesta quarta-feira em seu terceiro maior mercado, a China, com muitos usuários online aprovando seu chip mais rápido e melhorias em seus recursos para games, enquanto outros preferiram o novo smartphone da Huawei.

A China continua sendo fundamental para a gigante de tecnologia norte-americana, que revelou sua nova linha de iPhones na véspera.

A empresa ocupa uma posição de liderança no mercado chinês de smartphones premium, em parte devido à queda do negócio de smartphones da Huawei Technologies devido a controles de exportação dos EUA. Mas a companhia também tem sido alvo de repressão antes do lançamento do iPhone 15.

Os papéis da Apple e seus fornecedores foram afetados na semana passada após relatos de que agências governamentais chinesas e empresas estatais estavam proibindo seus funcionários de usar o telefone.

Já a Huawei lançou um novo smartphone com um chip avançado, visto como um esforço da empresa chinesa para se recuperar no mercado.

O lançamento do iPhone 15 da Apple atraiu uma intensa discussão online nesta quarta-feira, assim como novos modelos fizeram no passado.

A Apple optou por não aumentar os preços em meio a um período difícil globalmente para as vendas de smartphones (Imagem: Reprodução/REUTERS/Loren Elliott/File Photo)
Muitos elogiaram o novo chip de 3 nanômetros do iPhone 15 Pro e a proposta da Apple
(Imagem: Reprodução/REUTERS/Loren Elliott/File Photo)

Tópicos que discutiam o lançamento atraíram 380 milhões de visualizações na plataforma de mídia social Weibo, com mais de 800 mil discussões, incluindo publicações, comentários e curtidas relacionadas ao iPhone 15.

Muitos elogiaram o novo chip de 3 nanômetros do iPhone 15 Pro e a proposta da Apple de que jogos de qualidade de console, como “Resident Evil 4 Remake”, possam ser jogados no dispositivo, atraindo a grande comunidade de gamers da China.

No entanto, vários usuários da rede social tinham dúvidas sobre escolher uma marca norte-americana em vez de um rival nacional, especialmente depois que a mídia estatal aplaudiu o lançamento do Huawei Mate 60 Pro neste mês como um triunfo da China sobre as sanções dos EUA.

Uma pesquisa do portal de notícias chinês Sina na rede social perguntando aos participantes se comprariam o Mate 60 ou o iPhone 15 obteve 61 mil votos para o dispositivo da Huawei contra 24 mil para o iPhone 15.

O mercado de smartphones da China, assim como o setor global, está enfrentando uma queda, e os analistas alertaram que isso, juntamente com a desaceleração da economia do país, pode afetar as vendas do iPhone 15.

Funcionários públicos de pelo menos três ministérios e entidades governamentais da China foram proibidos de usar iPhones no trabalho, (Imagem: Reprodução/Freepik/@freepi)
No primeiro semestre de 2023, a Apple detinha 67% da participação de mercado para smartphones
(Imagem: Reprodução/Freepik/@freepi)

Will Wong, analista do grupo de pesquisa de mercado IDC, viu os desenvolvimentos recentes no setor público e a Huawei como desafios à Apple.

“As vendas (do iPhone 15) não serão fáceis, especialmente porque os consumidores chineses estão sendo cautelosos nos gastos ou mudando seu foco para lazer ou viagens”, acrescentou.

No primeiro semestre de 2023, a Apple detinha 67% da participação de mercado para smartphones, com preço acima de 600 dólares, seguida pela Huawei, com 15,6%.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Assine a newsletter “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.