Home Economia e Política BCE pode reduzir os juros se a inflação diminuir, diz Kazaks

BCE pode reduzir os juros se a inflação diminuir, diz Kazaks

"Atualmente, a precificação do mercado parece ser razoável, mas não há piloto automático", disse Kazaks

por Reuters
3 min leitura

O BCE pode continuar a reduzir as taxas de juros de forma geral, como o mercado espera, se a inflação continuar a diminuir como previsto, disse Martins Kazaks, membro do Conselho do BCE, à Reuters na sexta-feira.

Na semana passada, o BCE reduziu a taxa de juros de sua política monetária em relação ao nível mais alto da era do euro, mas não prometeu dar continuidade a essa medida, que veio acompanhada de ressalvas quanto à manutenção da inflação dos salários e dos serviços.

Kazaks disse que a inflação seria instável e se moveria lateralmente este ano, mas ele continua a acreditar que está a caminho da meta de 2% do BCE no próximo ano, justificando mais cortes, desde que os dados continuem a chegar como o banco central espera.

“A incerteza continua alta, mas é claro que estamos no caminho da queda da inflação”, disse o presidente do banco central da Letônia em uma entrevista à margem de uma conferência em Dubrovnik, na Croácia.

“Podemos remover algumas restrições, mas devemos manter um certo grau de restrição e fazer as reuniões de acordo com os dados”, disse ele.

Ele expressou seu conforto com as atuais expectativas do mercado, que são de uma ou duas reduções de taxas no valor de 0,25 ponto percentual cada até o final deste ano, seguidas de mais duas no próximo ano.

“Atualmente, a precificação do mercado parece ser razoável, mas não há piloto automático”, disse Kazaks.

Ele acrescentou que ainda há uma série de variáveis, como o crescimento dos salários e se as empresas serão capazes de absorver esse aumento ou se acabarão repassando-o aos clientes.

“Ainda não é um negócio fechado e é por isso que eu permaneceria relativamente cauteloso”, disse Kazaks.

Os mercados se tornaram mais céticos quanto à capacidade do BCE de cortar as taxas diante de alguns dados de salários e inflação mais fortes do que o esperado no mês passado.

Kazaks advertiu contra a reação exagerada a “um ou dois” pontos de dados que vão contra a tendência.

“Os dados têm estado, em geral, em linha com nossas expectativas”, disse ele.

“Para que os dados mostrem um desvio do cenário base… as mudanças teriam de ser persistentes e consideráveis”, argumentou.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.