Qual o preço de um café com bolo? Uns dirão que depende do café. Outros dirão que depende do bolo. E qual o valor que ambos carregam? Vou dizer que varia também, mas depende essencialmente do uso que você faz deles.

Quando chamo amigos para um encontro, normalmente os convido para um café com bolo. Então o valor, neste caso, é bastante alto, porque o café com bolo vem junto com um bom papo, risadas e carinho.

Minha amiga Letícia sabe do tanto que gosto dessas coisas, e já chegou a fazer alguns bolos de presente para mim.

Experimente: não há nada melhor que um café com bolo junto a amigos para tirar alguém do buraco e colocá-lo no céu. É bem melhor para a vida – e para o bolso – do que sair gastando o que pode e o que não pode para tentar melhorar o humor!

Quando visito minha tia-avó Shirley também digo: “Logo vou te visitar e vamos comer um café com bolo”. E neste caso o café com bolo é regado a memórias de infância e muitos conselhos para o dia a dia. “Está fazendo aquelas afirmações positivas que te passei?”, diz ela.

Conflitos e incertezas: um café com bolo fundamental para minha vida

Também houve um café com bolo muito especial que uma querida coach preparou para mim em uma conversa inesquecível e fundamental para minha vida.

Em meio a uma série de conflitos e incertezas, ela me recebeu com um bolo de cenoura com chocolate que ela mesma havia preparado com carinho. E disse que costumava fazer isso sempre, pois era algo que contribuia para o acolhimento de quem estava por lá. Como negar?

E quando penso nos cafés com bolo que já tomei pelo mundo, lembro de momentos em que me senti acolhida ou desafiada, em que comemorei ou chorei as mágoas. Tomei café com bolo para aquecer o coração quando me senti sozinha em Londres.

Em Portugal, para falar de ideias de novos negócios. Em Nova Iorque porque precisava simplesmente parar e pensar na vida. E no interior de São Paulo, na casa das queridas tia Dirce e tia Fiica (que já não estão nesta dimensão), sempre havia um café com bolo (ou outra guloseima) para adoçar a vida e fazer os sobrinhos de São Paulo se sentirem queridos. Ah, tempo bom!

Veja que algumas coisas na vida podem custar bem pouco em termos de preço. Mas são imensuráveis quando se trata de valor. Não é à toa que algumas são impagáveis, nem preço têm. Momentos associados a coisas costumam ser muito mais valiosos do que as coisas em si. E são o que normalmente fazem a vida valer a pena.

No livro “The Key to happinness”, sobre o qual escrevi recentemente aqui para o Dinheirama, o autor diz inclusive o que várias pesquisas já indicaram: se alguém quer usar dinheiro para ser mais feliz, deve investir mais em experiências, em momentos, e menos em bens tangíveis, porque a felicidade proporcionada por estas experiências ficam na memória, possibilitando que a felicidade seja revivida diversas vezes.

Qual a importância de algumas coisas na sua vida?

Quis contar esses “causos” todos associados à imagem do café com bolo para que você pare um pouco e comece a perceber a real importância de certas coisas na sua vida.

O importante, aliás, não são as coisas, mas o que está associado a elas. Muitas vezes achamos que temos tão pouco, reclamamos tanto, nos sentimos tão infelizes porque o dinheiro não chega logo.

Mas é preciso um olhar atento para ver que muito do que você tem ou já teve possui um valor que nenhum dinheiro seria capaz de comprar. Muitas vezes, algo simples como um café com bolo entre amigos ou com a família, pode ter mais significado, durante muito mais vezes na vida, do que outras coisas mais sofisticadas.

A gratidão como forma de crescer na vida

Acredito que é preciso caminhar em paralelo. Dinheiro é bom, é ótimo aliás. Todo mundo quer e estamos aqui para prosperar.

Se é uma escolha minha comer na padaria ou no restaurante da moda porque tenho condições financeiras para isso, tanto melhor! Mas se falta dinheiro na sua vida hoje, se você ainda não tem escolha, não esqueça de olhar para os lados também e de agradecer pelo que está ali enquanto a sua conta não engorda, entende?

Muitas vezes é apenas através da gratidão real por aquilo que já existe que estaremos verdadeiramente abertos para receber muito mais daquilo que merecemos!

Que este texto, portanto, sirva de estímulo e reflexão para que você possa valorizar os bons momentos. Seja com café, seja com bolo, seja com qualquer outra coisa que não dependa da questão financeira

Janaína Gimael
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários