Casamento e finanças é um desafio enorme e assunto recorrente aqui no Dinheirama. Não por menos, a harmonia de um casamento passa pela gestão eficiente do dinheiro.

De acordo com recente pesquisa divulgada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC)  17% dos casais brasileiros brigam frequentemente quando o assunto é dinheiro – o estudo contou com a participação de 656 pessoas em todas as capitais do país.

Ainda de acordo com a pesquisa, o total de desentendimentos aumenta para 23% quando os casais estão inadimplentes. A vida a dois e as finanças familiares são duas coisas que, quando misturadas de forma irresponsável, podem trazer graves problemas.

Sempre defendemos que os casais precisam, logo que o relacionamento toma rumos mais sérios, abordar o assunto financeiro. É fundamental saber o que o(a) parceiro(a) pensa sobre o dinheiro e, a partir daí, buscar uma forma de conviver com as diferenças e qualidades de cada um neste sentido.

Confesso que os números (infelizmente) não representam uma surpresa, tanto que os educadores financeiros já exploraram diversas vezes o tema. No Brasil, o maior best-seller de finanças pessoais – “Casais Inteligentes Enriquecem Juntos”, de Gustavo Cerbasi traz conteúdo voltado para casais que desejam um entendimento melhor com o próprio dinheiro.

Ao longo de nossa trajetória falando sobre finanças, tivemos a oportunidade de conversar com diversos casais. Muitos deles viveram uma enorme paixão, logo substituída por outros sentimentos (ruins) com origem na gestão financeira do casal. A verdade é que apenas amor não é garantia de felicidade! O planejamento financeiro é parte importante na convivência entre duas pessoas.

Leia também: O Segredo do Sucesso é Ser Um Eterno Aprendiz

Faça boas escolhas já no início do casamento

Um recado para aqueles que estão começando um relacionamento: mantenha os pés no chão. Minha sugestão é que vocês comecem sem dívidas grandes e longas, procurando fugir das “verdades absolutas” construídas no século passado (mais especificamente a famosa “Quem casa quer casa”).

Hoje vivemos uma realidade de imóveis caros (sem nenhuma expectativa de correção) capaz de amarrar famílias a um longo e caro financiamento. No início da vida a dois, experimente a liberdade de encontrar um lugar “provisório” que seja perto do trabalho e que facilite sua locomoção.

Nesse meio tempo, pague um aluguel mais baixo e vá guardando dinheiro com responsabilidade e comprometimento para que, no futuro, quando a sua vida profissional estiver estabilizada, você seja capaz de dar um passo consistente e compre seu imóvel próprio.

Outro alerta importante: cuidado com os gastos relacionados à festa de casamento! Não há felicidade em dia de festa que sobreviva às dívidas com a bagunça, lua de mel e afins. Pés no chão, lembre-se disso!

Assista: CASAMENTO e DINHEIRO: 3 DICAS Para a FALTA DE GRANA Não Acabar Com o Amor ❤️💰

Atenção para o endividamento

Aos casais já casados há algum tempo e que convivem com os problemas financeiros, é hora de tomar uma decisão definitiva. A conversa precisa ser conduzida de forma adulta e séria, sem imposições ou busca por culpados. Normalmente o erro foi dos dois, assim funciona o casamento.

É hora de usar a inteligência e partir para aspectos práticos que ajustem o orçamento ao real padrão de vida da família. As dívidas devem ser tratadas de forma prioritária, com especial atenção ao cartão de crédito e cheque especial, que precisam ser quitados o quanto antes. Solicitar um empréstimo consignado pode ser uma opção inteligente para esse momento.

Leitura sugerida: Casamento e Finanças: 3 Pontos para não acabar com o amor

Casamento e Finanças: Reserva para emergências e diálogo são fundamentais

Reúna a família e decida-se também pela formação de uma reserva financeira para emergências. A única certeza que temos sobre emergências é que elas acontecem, não é mesmo? Pois bem, quando elas surgirem, a reserva ajudará a atravessar as dificuldades sem brigas.

Outro aspecto que precisa ser valorizado é a discussão do assunto “dinheiro” de forma constante e inteligente. O foco deve ser na tomada de decisões, sempre um processo discutido e calcado no diálogo e na análise cuidadosa das opções.

Não existe nada melhor do que viver ao lado de quem amamos, mas parte desse amor precisa ser demonstrado com carinho e atenção às questões financeiras. Não podemos fugir dessa responsabilidade, hoje amplamente reconhecida como fundamental para a sobrevivência das relações.

Leia também: Diin Democratiza o Investimento com Aplicações a Partir de R$ 1,00

Investir a melhor escolha para o futuro (do casamento)

Agora que já está claro que falar sobre dinheiro é algo fundamental para o casamento e os cuidados para evitar o endividamento já recebem a atenção necessária é importante para o casal pensar no futuro.

Ter planos e olhar para frente é indispensável. Portanto, aproveite todos os momentos para compartilhar e planejar os planos para o futuro, inclusive objetivos individuais que podem e devem existir.

Falar de investimentos e estudar as melhores oportunidades, o importante é que o dinheiro seja visto pelo casal como um instrumento de liberdade, tanto para melhoria da qualidade de vida, como para proteção em épocas de instabilidade. Sempre como solução.

Até a próxima!

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários