Cartão de Crédito: 5 Dicas para Você Aproveitar e não se Endividar

Cashback: você sabe como economizar com ele?

Muito se fala sobre a utilização do cashback, mas você sabe de fato, como realmente usar e economizar com ele? Descubra agora!

Casback: você já deve ter ouvido falar nele, mas se nunca ouviu, eu explico: trata-se de um modelo de recompensas que permite ao cliente receber de volta parte do dinheiro gasto em determinadas mercadorias ou serviços. Essa modalidade tem virado quase uma “febre” nos tempos atuais. Segundo o Sebrae, são 6,4 milhões de estabelecimentos que oferecem cashback no Brasil. Você, é claro, pode tirar proveito disso para economizar. Vamos entender melhor?

Para começar é preciso conhecer alguns dos lugares que trabalham com cashback. Depois, avalie os que fazem mais sentido para você caso decida começar a comprar através deles. Alguns, permitem que você pague contas regulares via boleto ou faça recargas no celular. Volta e meia ele oferece recompensas em crédito de parte do valor pago. Neste caso é preciso baixar o aplicativo e acompanhar as notificações.

Outros lugares, como são naturalmente empresas de cashback. Isso significa que sempre que você comprar em estabelecimentos parceiros (sejam físicos ou virtuais) acumulará créditos de volta.

Parece um pouco como os programas de milhas dos cartões de crédito, mas sem necessidade de pagar anuidades para isso. Em alguns casos, o valor recebido de volta pode até voltar diretamente para a conta corrente ou poupança, não sendo necessário trocar por nada.

Presente de Natal: Abra sua conta na Grão e ganhe R$ 10 (Válido até dezembro/19)

Parcerias com cashback diferenciado

Também existem parcerias esporádicas e é bom ficar de olho. Recentemente, por exemplo, a House, plataforma de moradia on demand, se aliou à Rappi para oferecer apartamentos por delivery!

Quando a pessoa realizava a reserva de um plano mensal de aluguel pelo aplicativo, recebia nada menos que 20% do valor em cashback para usar nos serviços parceiros da Rappi.

Ah, e tem acontecido cashback no mercado financeiro. No começo deste ano o Banco Inter começou a devolver aos clientes investidores uma parte do valor que outras instituições destinariam a intermediários, como corretoras e a agentes autônomos.

O que as empresas de cashback ganham com isso?

Não é novidade que cada vez mais as empresas precisam usar a criatividade para vencer a concorrência. A internet abriu as portas de um mundo novo e agora não é tão mais fácil fidelizar.

Quando oferecem cashback para o consumidor, quem vende aumenta a fidelização e a visibilidade do negócio. Já as empresas que anunciam o cashback ganham comissão das lojas parceiras. É como um investimento em marketing para estimular os consumidores a continuarem comprando sempre ali.

Cuidado para não comprar à toa só para receber de volta

Um cuidado que é preciso tomar ao começar a usar programas do tipo é avaliar as compras com cuidado e não comprar à toa para ganhar recompensas. Você já deve ter percebido que quanto mais você usa um aplicativo – pode até ser o do Uber ou do Uber Eats por exemplo -, mais promoções você começa a receber.

E é fácil que a gente se perca no meio de tantas notificações de desconto e passe a gastar mais do que estava planejado com essas coisas.

Para economizar e não gastar além da conta, mantenha anotado seus gastos e compre apenas o que realmente fizer sentido, combinado? Senão o tiro sai pela culatra e o objetivo é usar o modelo de forma cuidadosa.

Ouça: DinheiramaCast – O perigo dos Apps para seu bolso

Presente de Natal: Abra sua conta na Grão e ganhe R$ 10 (Válido até dezembro/19)

Conheça alguns lugares que dão cashback

Para terminar este artigo vou citar três exemplos de lugares que trabalham com cashback para que você possa, com calma, avaliar quais deles faz sentido acompanhar quando for comprar determinados bens ou realizar pagamentos. Vamos lá?

Já citei o Méliuz lá atrás, mas como é uma das empresas mais conhecidas do ramo, vale a pena falar um pouco mais sobre ela. O interessante é que parte do valor gasto em compras realizadas em lojas físicas e online cai direto na conta bancária de quem recebe o cashback.

Além do sistema de casback para o usuário, a fintech lançou um modelo de franquia. Com investimento a partir de R$ 15 mil e sem necessidade de um escritório físico, o microfranqueado tem retorno previsto em cerca de oito meses, com estimativa de faturamento em torno de R$ 8 mil mensais.

Pertence ao grupo b2w e você recebe parte do dinheiro de volta, podendo gastar em outros produtos da própria b2w (Lojas Americanas, Shoptime e Submarino) ou recargas de celular. Através do app você consegue pagar boletos de concessionárias também (e receber eventual cashback por conta destes pagamentos), mas a empresa deixa claro no site que não é possível usar o valor do cashback em si para pagar boletos de concessionárias.

Janaína Gimael Janaína Gimael
Jornalista graduada e pós-graduada pela Cásper Líbero, tem especialização em Economia para Jornalistas, extensão em Psicologia Econômica e formação em Terapia Financeira. Já passou pela Bloomberg Television, Agência Dinheiro Vivo, Patagon, Ibope e Nubank. Também já teve uma agência de comunicação através da qual produziu muito conteúdo sobre educação financeira e empreendedorismo. No Insta: @janaina.dimdim
Ver artigos de Janaína Gimael >

Atenção: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários

Conheça, navegue e curta! Dinheirama no Facebook

Visite a página do Dinheirama no Facebook! Interação social, informações sobre eventos, chamadas ao vivo com nossos educadores financeiros e convidados, além dos nossos principais conteúdos, que ajudarão você a controlar melhor o seu dinheiro e enriquecer!

Clique aqui Ok