A crise financeira está atingindo diversos países ao redor do mundo, incluindo o Brasil. Quem acompanha de perto o Dinheirama já percebeu que aumentamos o número de artigos em que tratamos os problemas surgidos na crise, e como remediá-los (e evita-los).

A verdade é que muitas pessoas não sabem lidar com este cenário, visto que durante um bom tempo nos acostumamos a ver nossa economia crescer. Agora, diante de um dia a dia mais delicado, muitos viram suas dívidas aumentarem e o temor de perder o emprego também cresceu; o pessimismo tomou conta de grande parte da população.

Como evitar dívidas e ajustar o orçamento em tempos de crise

Atravessar períodos de crise financeira é algo realmente ruim, e isso não é segredo para ninguém. Acontece que para piorar a situação, muitas pessoas desanimam e acabam deixando de lado o controle de seus gastos. Alguns erros continuam impedindo as pessoas de enriquecerem, dívidas são parte disso (clique para ler mais).

Outros brasileiros vão além e contraem mais dívidas, criando uma bola de neve que faz do problema inicial algo ainda maior e mais difícil de resolver. Existem algumas dicas importantes que podem ajudar você a atravessar essa crise sem que as dívidas fujam do controle. São dicas simples, que certamente podem ser aplicadas facilmente. Atenção:

1. Reduza os custos fixos

Em tempos de crise, é preciso redobrar o controle dos gastos e manter a boa gestão da vida financeira. Algumas despesas fixas devem ser bem analisadas, diminuídas e até mesmo cortadas, pois se houver qualquer variação na renda, haverá problemas para “fechar” o mês.

Nem sempre há como fugir (reduzir) de alguns custos fixos, portanto não faça novas despesas que comprometam seu orçamento e que lhe deixem numa situação mais difícil. Opte por serviços que substituam, mesmo que provisoriamente, estes gastos, como por exemplo: em vez de ter um celular pós-pago com valor fixo mensal, opte por um plano pré-pago que lhe dê a flexibilidade de gastar menos.

O mesmo vale para a TV por assinatura. Por que não usar serviços de streaming, mais baratos e que você pode assistir pela Internet, e assim dar fim no plano com 200 canais (dos quais você assiste apenas 2 ou 3)? Diminuir seus custos fixos aliviará bastante suas finanças.

2. Controle de perto os custos variáveis

A vantagem dos custos variáveis é que estes podem ser facilmente reduzidos ou eliminados, mas quando não os controlamos eles também podem ser perigosos. Nessa categoria estão os custos de transporte e alimentação, por exemplo.

Se existe a vantagem de poder reduzi-los com maior facilidade, os gastos variáveis, no entanto, podem ser muitos danosos para o orçamento já que gastamos dinheiro todos os dias com eles; como eu disse, se não registrarmos estas despesas, elas podem se tornar um grande problema. Atenção redobrada para o gasto variável e seu registro.

Anote todos os dias o que você está gastando. Ter um controle financeiro eficiente e funcional é fundamental em todos os momentos da vida, não só nas crises. Defina algumas metas de consumo e trabalhe de forma ativa para que seus controles também apontem maneiras de cortar gastos.

Por onde começar? Nós, do Dinheirama, criamos uma planilha financeira extremamente eficiente que tornará o controle financeira algo muito mais simples. Faça agora mesmo o download de sua planilha gratuitamente (clique aqui).

3. Pague somente à vista

Em períodos de crise, devemos de evitar ao máximo qualquer tipo de compra parcelada ou financiada. Este tipo de custo compromete o orçamento mensal, criando mais um custo fixo (justamente aquele tipo que queremos eliminar e/ou reduzir).

Faça uma lista de tudo o que você deseja comprar, verifique os valores e faça o planejamento para juntar o dinheiro e fazer a compra pagando à vista (e com desconto). Agir assim ajuda a evitar qualquer imprevisto e facilita o controle financeiro, uma vez que não existirão parcelas pendentes e pagamentos futuros a serem feitos.

Lembre-se ainda de pedir um bom desconto para o pagamento à vista, é claro. Ah, sim, os comerciantes relutam em oferecer descontos, mas sua vontade de fazer uma boa negociação deve prevalecer; nesse ponto, a necessidade de vender em momentos de crise pode ajudar o consumidor, basta ver o caso dos descontos oferecidos na compra de carros novos.

4. Não faça novas dívidas

Se a situação está delicada, além de realizar todos os controles que vimos nos itens anteriores, é importante não criar novas dívidas. As pessoas têm a tendência de procurar por empréstimos e outras ferramentas de crédito para conseguir dinheiro durante as crises, mas nem sempre fazem isso da forma adequada (ou na hora certa).

Quando essa decisão faz parte de uma estratégia para troca de dívidas (cartão de crédito ou cheque especial por empréstimos pessoais, por exemplo), pode ser interessante, entretanto muita gente utiliza mais crédito para consumir e assim contrair mais dívidas apenas para “passar o mês”. O resultado é mais endividamento e mais problemas.

A verdade é que os juros relacionados aos empréstimos das ferramentas de crédito mais utilizadas no país (cartão de crédito e cheque especial) são colossais e depender destes serviços como uma extensão da renda é um grande risco; é quase um suicídio financeiro.

Quem tem dívidas para pagar, ou percebeu que o padrão de vida está mais alto do que a renda permite, precisa rapidamente cortas gastos e se reorganizar financeiramente. O Brasil está na lista dos países mais empreendedores do mundo e oferece muitas oportunidades para quem tem desejo e força de vontade, então buscar renda extra para equilibrar o orçamento deve vir antes de buscar mais dinheiro emprestado por aí.

Não deixe que a facilidade de conseguir um empréstimo fale mais alto do que a possibilidade de você buscar fontes alternativas de renda. Use sua criatividade!

Conclusão

A crise pode representar uma excelente oportunidade para construir um novo negócio e melhorar a renda. Ter um plano B é algo que pode ajudar em diversos períodos da vida, afinal crise também pode ser sinônimo de oportunidades. O passo fundamental para começar a enxergar as coisas dessa forma é não se endividar e prestar atenção ao seu orçamento e ferramentas de controle financeiro.

O texto Crise econômica: oportunidade para quem quer ficar rico pode ajudá-lo a ver a crise com outros olhos. Para crescer e prosperar em momentos de crise é preciso controlar os gastos e também buscar alternativas para evitar novas dívidas, reduzindo assim os riscos e mantendo a simplicidade na condução das finanças familiares. Conte conosco. Obrigado e até a próxima!

Foto “Financial freedom”, Shutterstock.

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários