Como freelancers devem cuidar do seu dinheiroO número de freelancers cresce em ritmo acelerado. Não é por menos, segundo um novo estudo, cada vez mais pessoas pretendem deixar a formalidade dos vínculos empregatícios de fábricas e escritórios.

A flexibilidade e a liberdade para trabalhar de onde e quando quiserem é um dos principais fatores que incentivam o trabalho de forma autônoma.

Cerca de 75% dos freelancers que ainda mantem algum tipo de emprego “tradicional” têm planos de pedir demissão e trabalhar por conta própria no futuro. Em 61% dos casos, os profissionais pretendem por a ideia em prática nos próximos dois anos.

A pesquisa, feita pela Genesis Research e encomendada pela empresa de trabalho online oDesk e pela consultoria Milennial Branding, contatou 3.193 profissionais freelancers ao redor do mundo, sendo quase dois mil jovens entre 19 e 30 anos.

O levantamento aponta que 92% dizem ter vontade de trabalhar de onde quiserem, 87% preferem fazer o próprio horário e 69% indicam que o trabalho como freelancer os permite escolher os projetos que mais gostam.

Trabalhar enquanto viaja é outra vantagem identificada pelos entrevistados, visto que 63% preferem poder atuar enquanto estão longe da cidade de origem, contra 37% que dão preferência por tirar um período de férias corridas.

A busca pela independência profissional também pode ser um reflexo de como esses profissionais se enxergam, de acordo com a pesquisa. Quase 60% dos participantes se enxergam como empreendedores e apenas 10% acredita que para se tornar empreendedor é preciso abrir um negócio.

Organizando suas finanças como freelancer

Controlar o orçamento pode ser uma tarefa difícil para muita gente que não tem instruções sobre finanças pessoais.

O problema pode ser ainda maior quando o profissional leva dinheiro para casa diversas vezes no mês (ou na semana), afinal, a tentação de gastar o valor recebido em pequenas compras ou serviços pouco importantes é grande.

Esse cenário não é exclusivo de freelancers, também podemos citar taxistas, diaristas e consultores de vendas. A dificuldade de programar despesas e poupar economias faz com que muitos criem dívidas em cima de dívidas.

Regina Brito atua no segmento de vendas diretas há 23 anos e com sua vasta experiência conquistou uma grande carteira de clientes, que faz com que ela saia de casa todos os dias para vender e receber pelos produtos já entregues.

Ao voltar pra casa no fim do dia, Regina contou ao iG que registra todos os pagamentos recebidos.

“Calculo o que preciso pagar e separo logo o dinheiro para cobrir minhas despesas, a começar pela fatura dos produtos que compro para revender. Só depois que já guardei a quantia necessária para pagar minhas contas é que penso em fazer alguma despesa extra”, afirma.

A disciplina e a saída encontrada pela revendedora é a mais indicada para quem recebe por dia e deseja evitar problemas financeiros. Segundo Samy Dana, professor de finanças da escola de economia da FGV-SP, a “boa e velha” planilha ajuda no controle financeiro e na organização de seus negócios.

“Como essas pessoas sofrem a grande variabilidade no fluxo de seus rendimentos, o ideal é anotar toda a movimentação diária. Somente deste modo, será possível estabelecer uma estratégia para o negócio”, aponta.

Regina ainda tem consciência das incertezas de se trabalhar de forma autônoma. “Não é sempre que o cliente nos paga em dia. Por isso, não recomendo que a pessoa gaste por conta do dinheiro que ainda vai entrar. Não há garantias”, diz. Regina também aconselha a criação de uma reserva para emergências, como doenças.

Dana também argumenta sobre a necessidade de aumentar o controle financeiro e identificar claramente as despesas. Na elaboração da planilha financeira, por exemplo, o profissional deve relatar os gastos fixos – como gasolina, mão de obra, matéria prima – e deixar uma margem para imprevistos.

“Mesmo assim, é preciso estar atento com as despesas extras e observar sua frequência, já que podem caracterizar gastos fixos e não uma novidade”, argumenta o especialista.

Continue a leitura

O controle do orçamento é um assunto importante para quem está iniciando seus estudos em finanças pessoais e educação financeira. Por isso, sugerimos a leitura de mais alguns artigos que podem ajudar neste processo:

Fontes: Valor | iG. Foto de freedigitalphotos.net.

Willian Binder
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários