Home Economia e Política Tebet: Conselho de riscos fiscais prioriza impacto dos precatórios

Tebet: Conselho de riscos fiscais prioriza impacto dos precatórios

Tebet destacou que o elevado valor total de precatórios a serem pagos "coloca em risco a máquina administrativa e políticas públicas essenciais do país"

por Reuters
0 comentário

A ministra do Orçamento e Planejamento, Simone Tebet, afirmou nesta segunda-feira que o Conselho de Acompanhamento e Monitoramento de Riscos Fiscais Judiciais aprovou um cronograma de trabalho para analisar, entre outros temas, o pagamento de precatórios, cujo montante total preocupa a área econômica do governo.

“Será um trabalho intenso e interno até o final do ano, já com a avaliação desses riscos na área da questão de precatórios, de pagamentos de pequenos valores, do estoque dos precatórios, das decisões tributárias e das decisões previdenciárias que vêm”, disse Tebet em rápida entrevista a jornalistas após reunião do conselho no Ministério da Fazenda.

Segundo a ministra, o cronograma se encerrará em meados de 2024 e tem como objetivo garantir a credibilidade dos números fiscais que têm sido apresentados para o Congresso Nacional e para o Poder Judiciário.

Tebet destacou que o elevado valor total de precatórios a serem pagos “coloca em risco a máquina administrativa e políticas públicas essenciais do país”.

Para contextualizar o volume do montante em comparação ao Orçamento federal, a ministra destacou que o valor total das obrigações a serem pagas é de cerca de 69 bilhões de reais, aproximadamente o mesmo que o governo estipulou para destinar a investimentos públicos em 2024 por meio do Programa de Aceleração do Crescimento.

O conselho, criado em janeiro, é formado por Tebet, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, e o Advogado-Geral da União, Jorge Messias, que o preside.

Segundo a Fazenda, o objetivo do colegiado é propor medidas de aprimoramento da governança de riscos fiscais judiciais da União e soluções para fortalecer e subsidiar as atividades das suas autarquias e fundações em representações judiciais e no acompanhamento de eventos judiciais que possam afetar as contas públicas.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Assine a newsletter “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.