Home Mercados Dólar sobe pelo 3º dia influenciado por commodities e se reaproxima de R$ 5,00

Dólar sobe pelo 3º dia influenciado por commodities e se reaproxima de R$ 5,00

O dólar à vista fechou o dia cotado a 4,9935 reais na venda, em alta de 0,83%. Na semana, a moeda acumulou elevação de 0,52%

por Reuters
0 comentário

O dólar (USDBLR) à vista fechou a sexta-feira em alta firme ante o real, pela terceira sessão consecutiva, acompanhando o avanço da moeda norte-americana ante outras divisas de exportadores de commodities, numa sessão marcada pela baixa firme do petróleo no exterior e pela perspectiva de que o Federal Reserve tende a cortar juros apenas em junho ou depois disso.

O dólar à vista fechou o dia cotado a 4,9935 reais na venda, em alta de 0,83%. Na semana, a moeda acumulou elevação de 0,52%.

Na B3, às 17:13 (de Brasília), o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento subia 0,60%, a 4,9940 reais.

Como nas duas sessões anteriores, o dólar encontrou certo suporte nesta sexta-feira na avaliação de que o Fed não cortará sua taxa de juros nem em março, nem em maio, considerando os dados econômicos mais recentes.

Dólar
(Imagem: freepik/@ jcomp)

A manutenção de juros mais elevados nos EUA, por mais tempo, em tese favorece as cotações do dólar ante as demais moedas.

Além das expectativas em torno do Fed, o câmbio reagiu nesta sexta-feira à queda firme do petróleo no mercado internacional, superior a 2%.

“Temos um movimento global de depreciação das moedas emergentes, muito por conta da queda do petróleo e do minério de ferro. Como o Brasil é um exportador de commodities, isso acaba afetando o real”, comentou Matheus Massote, especialista em câmbio da One Investimentos.

O minério de ferro fechou em alta nesta sexta-feira, mas havia cedido nas quatro sessões anteriores.

Neste contexto, o dólar à vista oscilou entre a cotação mínima de 4,9605 reais (+0,17%), às 9h14, e a máxima de 4,9985 reais (+0,93%), às 12h08.

O dólar futuro para março o mais líquido no mercado brasileiro e, no limite, o que acaba por definir as cotações do segmento à vista chegou a superar os 5,00 reais, o que levou, como de costume, a um movimento de venda de dólares por parte de exportadores e especuladores, fazendo com que as cotações perdessem um pouco de força.

No exterior, o dólar também seguia em alta no fim da tarde ante várias divisas de exportadores de commodities. A moeda norte-americana se mantinha praticamente estável ante uma cesta de divisas fortes.

Às 17:13 (de Brasília), o índice do dólar que mede o desempenho da moeda norte-americana frente a uma cesta de seis divisas subia 0,01%, a 103,930.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Mail Dinheirama

Faça parte da nossa rede “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2023 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.