Ao assistir uma serie ou um filme hollywoodiano, você já teve alguns pensamentos similares a esses?

“Nossa deve ser incrível morar nesse lugar, imagina fazer um high school?” Ou então “Imagina eu, acordando pela manhã, e ao abrir a janela poder observar ruas e telhados cobertos de neve”; “Imagina que delicia tomar esse clássico café da manha com bacon and eggs!”

Pois é, imagina você!

Eu me imaginei e tive a oportunidade de viver essa experiência em 2016, quando morei em Toronto no Canadá.

Se você também tem esse sonho, quero compartilhar com você nesse post, algumas dicas para torná-lo possível. Contudo não quero apenas te instruir, mas também quero te motivar.

Muito conteúdo espalhado pela internet

Existem inúmeros materiais na internet que falam sobre esse tema, porém muitos deles são completamente desmotivadores para qualquer um que queira desbravar esse desafio.

Esses mesmos criadores de conteúdo, começam a colocar diversos entraves que te faz concluir que viver fora do país não é para você. Eu quero te provar o contrário!

Se você realmente almeja esse objetivo, então você pode. Obviamente essa não é uma decisão que se toma do dia para a noite, pois exige muito planejamento e atitude, mas quero te mostrar que é possível sim.

Então vamos lá!

Leia também: Sua formação: dicas e opções para Intercâmbio com o dólar tão caro

A importância do planejamento

Quando eu estava chegando no fim do meu intercâmbio, conversei com um amigo brasileiro (que conheci no Canadá), e estávamos falando sobre as despesas que tínhamos no país norte americano, ele me contou que não tinha muito problema com isso.

Logo eu pensei (equivocadamente), “com certeza ele deve ter pais que possuem uma boa condição financeira e podem lhe dar suporte quando necessário”, me enganei. Ele era segurança de balada no interior de São Paulo, e planejou a sua viagem por 14 meses.

Diante do planejamento financeiro que ele desenvolveu, o meu amigo fez um curso de inglês por 6 meses, morou na região central de Toronto (uma das melhores localizações da cidade), viajou por Montreal, Quebec City e Calgary.

Paralelo a isso também conheci um Mexicano, que é publicitário na Cidade do México. Ele relatou que pegou um dinheiro que recebeu ao se desligar do trabalho e resolveu ir para Toronto para fazer um curso de inglês, e ele fez todo o seu “planejamento” em aproximadamente 30 dias. Resultado? Ele se quer conseguiu terminar o seu curso de 3 meses, pois havia acabado o dinheiro para estádia e ele não tinha a quem recorrer.

O intuito aqui não é valorizar ou desvalorizar qualquer que seja a profissão ou o país de origem, e sim demonstrar que de acordo com os seus recursos e o seu planejamento, implicará (e muito) sobre o seu futuro nessa experiência.

Existem diversos formatos para se realizar um planejamento de intercambio eficiente. Eu desenvolvi uma planilha pré-formatada, em um formato “step by step”. Que significa o passo a passo para ser realizado um projeto.

Nessa planilha, constam todas as informações possíveis, como, prazos, valores, investimentos, detalhamento de cada etapa, e afins. A fase de desenvolvimento do planejamento deve ser feita com muita dedicação, pois essa fase será a base para seu projeto ser realizado com êxito.

Leia também: Quer aprender inglês? Confira 10 sugestões mesmo estando no Brasil

Eixos fundamentais para o planejamento do intercâmbio

Abaixo, irei descrever alguns eixos que devem ser considerados como fundamentais para o seu planejamento de intercambista:

VISTO (Pré): Essa é uma das fases mais cansativas e desgastantes, onde lhe exigira extrema dedicação. Logo, será a sua primeira prova de fogo referente a todo o planejamento que você cultivou e agora irá executar.

Uma pergunta fundamental que muitas vezes passa por despercebido pelas pessoas é: “qual o valor mínimo que o meu país destino exige que eu possua em conta para a minha estadia?” Se essa informação não entrar no seu planejamento, pode lhe trazer certa dificuldade na execução do projeto, pois esse não é um valor baixo e em muitos casos torna-se difícil reparar esse ajuste que passou por despercebido. Sem esse valor em conta, dificilmente seu visto será aprovado.

Não se esqueça também, que nessa fase pré-viagem, você não deve medir esforços para ter a sua aprovação no consulado, pois esse é um processo extremamente burocrático, e o “corre corre” atrás da documentação é cansativo. Eu recomendo uma assessoria em solicitação de vistos, existem empresas especializadas nesse segmento, e o custo benefício pode ser compensador (aproximadamente R$150,00/200,00), vale apena pelo conforto e segurança que você terá.

COTIDIANO INTERNACIONAL / EXPERIENCIAS E ENRIQUECIMENTO CULTURAL (Durante): Aproveite para viver intensamente a cada momento da sua viagem. Isso não significa que você precisa gastar muito dinheiro. Absorva as experiências culturais que o local pode lhe oferecer, como é o comportamento da população, vá para parques, utilize o transporte publico,atente-se aos jornais locais, etc.

Vou citar um exemplo de uma área que eu gosto muito, a educacional. No Canadá, existem muitas bibliotecas municipais que oferecem diversos tipos de cursos gratuitos para estrangeiros, isso é uma experiência riquíssima, pois você irá conviver frequentemente com pessoas de outros países, outros continentes, o que lhe trará um enriquecimento cultural fantástico, e para isso você não irá gastar nada, ou muito pouco. Faça questão de conhecer as universidades locais, isso pode lhe dar outra visão de um sistema de ensino.

A gastronomia também é algo que diz muito sobre a cultura local, busque visitar os bares e restaurantes que oferecem comidas típicas, é sempre uma experiência muito boa. Mas para tudo isso, é muito interessante que você realize pesquisas sobre a sua cidade destino.

Como disse a pouco, ao chegar no país observe TUDO! Você perceberá que novas oportunidades te esperam. Aprofunde-se nessas oportunidades através de pesquisas, e desenvolva um novo planejamento local, para você visitar e conhecer os lugares que você observou. Pesquise o preço, veja se é necessário comprar ingresso, pagar um valor de entrada, consumação, etc. Dessa forma você não perderá o controle da situação. Nesse contexto você conseguirá aproveitar ao máximo, sem fazer nenhum tipo de loucura ou gerar um descontrole da sua situação financeira. Posso lhe garantir que essa experiência contribuirá e muito para esse novo processo.

“As pessoas não fazem as viagens, as viagens é que fazem as pessoas.”

(John Steinbeck)

Vinicius Rocha
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários