Você sabe qual é a diferença entre sonho e objetivo? Costumo lançar essa pergunta quando falo sobre “O inédito viável”.

O inédito, aquilo que ainda não temos e não somos, mas que muito queremos torná-lo viável. Logo, o inédito viável é o “ainda não” um sonho possível, mas que para se tonar realidade, precisa se transformar primeiro em objetivo. Sim, existe diferença.

  • Sonho: é o produto da ilusão, da imaginação, fantasia, devaneio, um desejo veemente, é ganhar na loteria.
  • Objetivo: é valor final para o qual convergem progressivamente os resultados das sucessivas interações, é ir na lotérica, preencher o volante (papel com os números) pagar e conferir os números sorteados, ação!

Tem gente que sonha tanto com o que vai fazer com o prêmio que esquece até de apostar…

Sonho é bom, é inspiração; mas é a ação, que é derivada do objetivo, que faz com que as coisas aconteçam de verdade. É preciso agir, mais que sonhar.

eBook gratuito recomendado: Ter uma Vida Rica Só Depende de Você

Veja o que esta fábula de Esopo nos ensina

Desde o século VI a.C. Esopo nos ensina nessa fábula sobre sonhar e manter a execução sob vigilância. Ele foi um escritor da Grécia antiga.

Convido você a ler a fábula, então farei uma breve aplicação.

Uma graciosa e jovem camponesa, que acabara de coletar o leite das vacas, voltava do campo com um balde cheio, quase a transbordar, equilibrando-o com grande perícia e elegância à sua cabeça.

E enquanto caminhava, feliz da vida, dentro de sua cabeça os pensamentos não paravam de chegar. E consigo mesma, alheia a tudo, planejava as atividades e os eventos que imaginava como certos para os dias vindouros.

“Este bom e rico leite,” ela pensava, “me dará um formidável creme para manteiga”. A manteiga eu levarei ao mercado, e com o dinheiro comprarei uma porção de ovos para chocar.

E como serão graciosos todos os pintinhos ao nascerem. Até já posso vê-los correndo e ciscando pelo terreiro. Quando o dia primeiro de maio chegar, eu venderei todos e com o dinheiro comprarei um adorável e belo vestido novo. Com ele, quando for ao mercado, de certo serei o centro das atenções.

Todos os rapazes olharão para mim. Eles então virão e tentarão flertar comigo, mas eu imediatamente mandarei todos cuidarem de suas vidas!”

Enquanto ela pensava em como seria sua nova vida a partir daqueles desejados acontecimentos, desdenhosamente jogou para trás a cabeça, e sem querer deixou cair no chão o balde com o leite.

E todo leite foi derramado e absorvido pela terra, e com ele, se desfez a manteiga, os ovos, os pintinhos, o vestido novo, e todo orgulho cuja ilusão já transformara em realidade.

Leitura recomendadaControle e planejamento financeiro pessoal: por onde começar?

Sonhos, objetivos e imprevistos

É fundamental sonharmos e então desdobrar esses sonhos em claros objetivos de vida.

Uma casa pra morar, um veículo para te transportar, uma viagem para sempre se lembrar, enfim, aquilo que faz sentido para você e te motiva a agir.

Tão importante como ter objetivos (e agir para alcançá-los), é pensar que no meio da jornada, coisas inesperadas poderão acontecer. Assim, é fundamental estarmos preparados para os imprevistos.

Numa linguagem financeira: sonhe, crie objetivos para alcançar o sonho, trabalhe, gere renda, gaste menos do que ganha, faça um fundo para as emergências, faça investimentos para multiplicar o seu capital e alcance a quantidade de dinheiro que seja suficiente para tornar seus sonhos uma realidade.

É menos romântico que a fábula, porém bem mais provável de se tornar uma realidade. Sábio é aquele que sonha com os olhos abertos; um focado no objetivo e outro nos imprevistos… Abraços e sucesso!

Emerson Weslei Dias
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários