Falar sobre dinheiro em família: a hora é agora!

Falar sobre dinheiro em família: a hora é agora!

Aproveite as energias renovadas por conta do começo de um ano novo e comece agora mesmo a falar sobre dinheiro em família!

O ano esta começando! Apesar de não haver momento ideal para falar sobre dinheiro em família (até porque o momento pode ser qualquer um), a gente sabe que o início de um novo ciclo no calendário costuma oferecer aquela coragem extra a quem precisa dar o primeiro passo. Como fazer isso?

Te convido a refletir sobre como andam as suas conversas sobre dinheiro em família. Falar sobre dinheiro com o companheiro ou companheira, com os filhos, com quem quer que seja que esteja diariamente em sua vida é essencial.

Muita gente teme falar sobre o assunto como se fosse algo feio. O nosso passado pode até explicar as nossas travas e tabus relacionados a dinheiro, mas a questão é que se as pessoas compartilham a vida, os momentos e alguns sonhos, entender como anda a questão financeira dentro de casa é fundamental.

Aproveite: Poupança turbinada na Grão oferece 106% de rentabilidade da poupança

Vamos a alguns exemplos

-Certa vez conheci um casal que estava junto há muitos anos. Quando um deles faleceu, o que ficou estava totalmente perdido por não ter ideia da situação financeira do outro, que era o provedor, e teve que se virar nos trinta para dar conta das coisas.

-Também já conheci uma esposa que fazia dívidas em nome do marido e ele sequer tinha noção do que acontecia, assim como um marido que dizia não ter dinheiro para pagar a pensão da família, mas gastava tudo que ganhava em cerveja.

-Outro exemplo comum são pais que se endividam para comprar o tempo todo as coisas que as crianças querem. Pois bem, exemplos não faltam, mas se você está lendo este texto é porque certamente não quer ajudar a aumentar essa lista, pelo contrário.

Best seller traz pontos para falar de dinheiro em familia

No best seller “Casais inteligentes enriquecem juntos”, de Gustavo Cerbasi, o autor oferece uma série de lições superimportantes para a família em geral e pode ser uma ótima alternativa para quem quiser entrar no clima. Entre algumas frases e trechos da obra que separei para refletirmos estão:

  • “Uma vida planejada e com objetivos é mais feliz.”
  • “No passado, os homens sempre pagavam a conta porque as mulheres não trabalhavam, portanto não tinham renda.”
  • “Compartilhem sonhos e metas para a vida. Dividam seus medos e angústias. Comecem a construir planos de independência financeira juntos, simulando os custos mensais que teriam no futuro, se casados.”
  • “A mesada não deve pagar tudo o que os filhos desejam comprar. Eles devem entender que o orçamento é ilimitado e que os pais também adiam algumas escolhas para obter outras.”

São pontos importantes e que mereceriam por si só reflexões individuais, não é verdade? Vamos tratar melhor sobre eles.

Oportunidade: Melhor que a poupança e mais segura! Abra sua conta gratuita na Grão

Falar sobre dinheiro em família: algumas reflexões

  • Quando Cerbasi diz que uma vida planejada e com objetivos é mais feliz não precisamos considerar que ele está tratando da vida regrada, sem surpresas, pelo contrário. Quando uma família consegue se organizar financeiramente, ela deixa de desperdiçar dinheiro e passa a juntar para a realização de sonhos e objetivos comuns. Isso não é uma delícia? Para começar é preciso colocar na mesa – ou em uma tabela – as receitas que entram, as despesas fixas e variáveis, e os planos e metas individuais e conjuntos. Quanto vocês precisariam economizar para conseguir realizar determinados sonhos? Como podem fazer isso? Qual o papel de cada um nestas metas?
  • Tratar do papel de homens e mulheres no aspecto financeiro pode parecer tabu em alguns momentos, mas o fato é que independente do sexo, o ideal seria que quem tivesse mais condições pagasse mais. Se as receitas são similares, não há problema em dividir em contas, assim como não há problema em fazer acordos diferentes. O importante é agir com transparência e de forma que esteja OK para ambos. Lembre-se que a vida muda o tempo todo também, por isso é normal que em determinadas fases um ganhe mais e outro ganhe menos e depois a situação se inverta.
  • Quem ainda não é casado, mas já vive um relacionamento, precisa começar a falar em dinheiro o quanto antes. Isso pode ser feito a partir de um objetivo comum do casal, como uma viagem a dois, por exemplo. Quanto vocês precisariam economizar mensalmente para chegarem ao valor da viagem? Quanto cada um de vocês poderia guardar por mês com esta finalidade?
  • Com relação às crianças, falar sobre dinheiro também é essencial. Lembre-se de mostrar que ele não nasce em árvore e ensinar – a partir de exemplos – que a felicidade não está na compra de bens. É possível estabelecer alguns sonhos comuns com eles também e mostrar que para realizarem estes sonhos será necessário guardar um pouquinho da mesada por mês.

Citei neste artigo alguns pontos básicos para a reflexão de quem quer começar a falar de dinheiro em família, mas este assunto seria tema para muitos livros! O importante é começar a tratar disso com consciência e buscar cada vez mais informação. Boa sorte e vamos juntos!

Janaína Gimael Janaína Gimael
Jornalista graduada e pós-graduada pela Cásper Líbero, tem especialização em Economia para Jornalistas, extensão em Psicologia Econômica e formação em Terapia Financeira. Já passou pela Bloomberg Television, Agência Dinheiro Vivo, Patagon, Ibope e Nubank. Também já teve uma agência de comunicação através da qual produziu muito conteúdo sobre educação financeira e empreendedorismo. No Insta: @janaina.dimdim
Ver artigos de Janaína Gimael >

Atenção: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários

Conheça, navegue e curta! Dinheirama no Facebook

Visite a página do Dinheirama no Facebook! Interação social, informações sobre eventos, chamadas ao vivo com nossos educadores financeiros e convidados, além dos nossos principais conteúdos, que ajudarão você a controlar melhor o seu dinheiro e enriquecer!

Clique aqui Ok