Home Economia e Política Fed mantém juro e prevê só um corte em 2024

Fed mantém juro e prevê só um corte em 2024

BC norte-americano reconhece, contudo, um "progresso modesto" em direção à sua meta de inflação de 2%

por Reuters
3 min leitura

O Federal Reserve manteve a taxa básica de juros inalterada nesta quarta-feira e as autoridades monetárias projetaram uma única redução de 0,25 ponto percentual na taxa este ano, em meio a estimativas crescentes sobre o que será necessário para manter a inflação sob controle.

A redução na perspectiva de cortes na taxa básica, ante estimativa de três reduções de 0,25 ponto percentual observadas nas projeções de março do Fed, ocorreu a despeito de o banco central norte-americano reconhecer, em sua nova declaração de política monetária, “progresso modesto” em direção à sua meta de inflação de 2% uma melhoria em relação à declaração de 1º de maio.

Isso coincidiu com um aumento de 2,6% para 2,8% na taxa de juros estimada de longo prazo, ou “neutra”, o que indica que os formuladores de política monetária concluíram que a economia precisa de mais restrições para terminar a batalha contra o aumento dos preços.

O progresso recente tem sido lento, e as autoridades do Fed agora projetam uma taxa de inflação ligeiramente maior no final do ano, de 2,6%, em comparação com os 2,4% previstos em março.

Embora os cortes nos juros provavelmente começarão mais tarde e a um ritmo menor do que investidores previram, a taxa básica do Fed é vista caindo rapidamente no próximo ano, com reduções que somariam 1 ponto percentual em 2025 e o mesmo valor em 2026.

A declaração e novas projeções econômicas mostram uma luta do banco central sobre como reagir aos dados que muitos consideram apontar para uma inflação mais baixa os preços ao consumidor norte-americano de fato não subiram nada em maio em relação ao mês anterior, de acordo com os dados divulgados nesta quarta-feira mas também para um crescimento estável e criação de empregos.

Taxa neutra mais alta

As novas projeções mostram que a economia norte-americana ainda deve crescer 2,1% este ano, um pouco acima da tendência, apesar de um primeiro trimestre fraco, e que a taxa de desemprego permanecerá nos atuais 4% ao longo do ano.

“Indicadores recentes sugerem que a atividade econômica continuou a se expandir em um ritmo sólido. Os ganhos de empregos continuaram fortes e a taxa de desemprego permaneceu baixa”, disse o Fed em seu comunicado.

Depois de pouco progresso em relação à inflação nos primeiros meses do ano, o resultado foi um “gráfico de pontos” das previsões de juros projetadas pelos formuladores de política monetária que envolveu uma mudança quase generalizada para cima nas taxas consideradas necessárias para terminar a batalha contra a inflação.

Juntamente com o recente debate sobre a possibilidade de a taxa de juros “neutra” ser mais alta do que o estimado, o novo gráfico de pontos sugeriu que as autoridades do Fed concluíram que são necessários juros mais altos por um período mais longo para manter a inflação sob controle.

Somado a um aumento anterior na projeção de março, essa taxa neutra agora é estimada em mais de 0,25 ponto percentual acima de onde terminou 2023.

O Fed aumentou agressivamente os custos de empréstimos em 2022 e 2023 em resposta a um aumento na inflação que atingiu o maior patamar em 40 anos há cerca de dois anos.

O chair do Fed, Jerome Powell, dará uma coletiva de imprensa às 15:30 (de Brasília) para discutir o resultado da última reunião.

Veja o documento abaixo:

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.