Home Empresas Grandes bancos dos EUA seguem com demissões em massa em meio à pressão por corte de custos

Grandes bancos dos EUA seguem com demissões em massa em meio à pressão por corte de custos

As demissões em massa são parte de uma meta mais ampla de reduzir o quadro de funcionários do Citi em 20 mil nos próximos dois anos

por Reuters
0 comentário

Os grandes bancos norte-americanos continuaram demitindo funcionários no primeiro trimestre, com Citigroup liderando os números.

A quantidade de funcionários no Citi diminuiu em 2.000 após o banco concluir uma ampla reorganização com o objetivo de melhorar seus lucros e reduzir as camadas de gestão.

Bank of America, Wells Fargo e PNCFinancial cortaram juntos mais de 2.000 empregos nos três meses encerrados em 31 de março na comparação com o trimestre anterior.

Os bancos estão sob pressão para controlar os custos devido ao cenário econômico incerto. Enquanto os investidores ainda esperam que o Federal Reserve domine a inflação evitando uma desaceleração econômica significativa, as expectativas permanecem inconstantes quanto ao potencial de cortes nas taxas de juros ainda este ano.

As demissões no Citi fizeram parte de um total de 7.000 demissões que serão reportadas nos próximos resultados trimestrais à medida que os funcionários completam seus períodos de aviso prévio, disse o diretor financeiro do Citi, Mark Mason, a repórteres na sexta-feira.

As demissões em massa são parte de uma meta mais ampla de reduzir o quadro de funcionários do Citi em 20 mil nos próximos dois anos.

O número de funcionários do BofA caiu em mais de 4.700 em relação ao primeiro trimestre de 2023.

Em toda Wall Street, os bancos de investimento reportaram receitas mais altas, impulsionadas por uma retomada nos mercados de capitais.

Os executivos tornaram-se mais otimistas de que um aumento nas ofertas de ações elevará o sentimento e estimulará fusões e aquisições.

Isso fortaleceria as perspectivas para o Goldman Sachs e o Morgan Stanley, onde o número de funcionários diminuiu em 900 e 396, respectivamente.

Em 2023, o rival Goldman Sachs realizou sua maior rodada de demissões desde a crise financeira global de 2008.

JPMorgan Chase, no entanto, foi contra a tendência. O maior banco dos Estados Unidos continuou fortalecendo seu quadro de empregados, adicionando quase 2.000 funcionários no primeiro trimestre, para um total de 311.921.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Assine a newsletter “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.