Home Estilo de Vida Gravadoras pedem a tribunal que interrompa o uso de letras de música pela empresa de IA Anthropic

Gravadoras pedem a tribunal que interrompa o uso de letras de música pela empresa de IA Anthropic

As três gravadoras moveram uma ação contra a Anthropic em 18 de outubro

por Reuters
0 comentário

Três gravadoras estão solicitando a um juiz federal dos Estados Unidos que emita uma liminar que impeça a Anthropic, empresa de inteligência artificial (IA), de reproduzir ou distribuir as letras de suas músicas protegidas por direitos autorais.

A Universal Music, a Concord Music Group e a ABKCO Music entraram com um pedido na quinta-feira, solicitando que o tribunal exija que a Anthropic “implemente proteções eficazes” que impeçam os modelos de IA da empresa de reproduzir ou distribuir as letras de músicas protegidas por direitos autorais.

Além disso, pedem que a empresa seja proibida de usar essas obras para treinar futuros modelos de IA.

“Embora não possamos comentar sobre o conteúdo da ação judicial, nosso foco permanece o mesmo — construir sistemas de IA confiáveis, interpretáveis e controláveis”, afirmou a Anthropic em comunicado à Reuters.

As três gravadoras moveram uma ação contra a Anthropic em 18 de outubro, acusando a empresa sediada em San Francisco, na Califórnia, de infração “sistemática e generalizada” das letras de suas músicas protegidas por direitos autorais.

Elas alegam que a Anthropic usou as letras protegidas por direitos autorais de “inúmeras” músicas sem permissão como parte das “grandes quantidades de texto” que a empresa coleta da internet para treinar seu assistente de inteligência artificial, conhecido como “Claude”, para responder a comandos humanos.

As empresas também alegam que a Anthropic “lucra abundantemente” com a violação de seus repertórios de obras protegidas por direitos autorais, atingindo uma avaliação de 5 bilhões de dólares sem pagar “nada” às gravadoras ou aos seus compositores, e pedem ao tribunal danos monetários de até 150 mil dólares por obra infringida e uma ordem para interromper a suposta infração.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.