Home Economia e Política Hamas vai ao Cairo na 2ª para negociações sobre cessar-fogo

Hamas vai ao Cairo na 2ª para negociações sobre cessar-fogo

Israel ofereceu apenas um cessar-fogo temporário para que sejam libertados cerca de 130 reféns que permanecem em cativeiro

por Reuters
0 comentário

Uma delegação do Hamas visitará o Cairo na segunda-feira para negociações para alcançar um cessar-fogo na guerra com Israel, disse uma autoridade do Hamas à Reuters neste domingo, enquanto os mediadores se esforçam para que o acordo seja costurado antes de um ataque israelense a Rafah, no sul.

O responsável pela informação, que pediu para não ser identificado, disse que a delegação irá discutir uma proposta de cessar-fogo entregue pelo Hamas aos países mediadores Catar e Egito, bem como a resposta de Israel.

Ele não revelou detalhes das últimas propostas.

A guerra, agora no seu sétimo mês, foi desencadeada por um ataque do Hamas a Israel em 7 de outubro, matando 1.200 pessoas e fazendo 253 reféns, segundo registros israelenses.

Israel prometeu eliminar o Hamas, que controla Gaza, numa operação militar que matou mais de 34 mil palestinos, 66 deles nas últimas 24 horas, segundo as autoridades de saúde em Gaza. A guerra desalojou a maior parte da população de 2,3 milhões de habitantes e destruiu grande parte do enclave densamente povoado.

Na sexta-feira, Khalil Al-Hayya, funcionário de alto escalão do Hamas, disse que o grupo recebeu a resposta de Israel à proposta de cessar-fogo e estava estudando antes de formalizar um retorno aos mediadores egípcios e catarianos.

Protesto na Universidade do Sul da Califórnia em Los Angeles
Protesto na Universidade do Sul da Califórnia em Los Angeles (Imagem: REUTERS/David Swanson)

Ofensivas de Israel

As rodadas anteriores de negociações não conseguiram preencher as lacunas nas posições dos dois lados. O Hamas quer um acordo para o fim permanente da guerra e para que Israel retire as suas forças da Faixa de Gaza.

Israel ofereceu apenas um cessar-fogo temporário para que sejam libertados cerca de 130 reféns que permanecem em cativeiro e para permitir a entrega de mais ajuda humanitária. Afirmou que não encerrará as suas operações até que tenha alcançado o seu objetivo de destruir o Hamas.

O ministro das Relações Exteriores de Israel disse no sábado que uma incursão planejada em Rafah, onde mais de um milhão de palestinos estão abrigados, poderia ser adiada caso surgisse um acordo para libertar os reféns israelenses.

A questão criou fissuras na coligação do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu. Ministros mais linha-dura insistem na incursão em Rafah, enquanto parceiros mais de centro afirmam que um acordo pelos reféns é a principal prioridade.

O ministro das Finanças Bezalel Smotrich, um nacionalista linha-dura, pediu no domingo a Netanyahu que não recue de um ataque a Rafah e disse que concordar com a proposta de cessar-fogo constituiria uma derrota humilhante.

“Acordos de mediação egípcios que encerraram “rodadas” anteriores quando o Hamas estava vivo e forte permitiram que ele se fortalecesse continuamente e massacrasse cidadãos israelenses como nunca aconteceu desde o Holocausto. É exatamente isso que você liderou nas últimas duas décadas, e é exatamente, mas exatamente o que todos prometemos não fazer novamente desta vez”, disse Smotrich.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.