Olá amigo leitor! Nos últimos meses, tenho andado pensativo (mais?!). Quando fazemos grandes mudanças em nossas vidas, criamos expectativas compatíveis com essas mudanças – enormes expectativas!

E quando você percebe que, por necessidade (ou qualquer outra coisa), não mudou tanto assim? Ou melhor, não mudou nada. Qual o sentimento? Como você se sente ou se sentiria?

Aliás, você já se perguntou: “Se eu morresse hoje, teria valido a pena? Quantos arrependimentos eu levaria dessa vida? Eles são muitos ou são poucos? Ainda dá tempo de fazer a diferença”?

Respondendo à última pergunta: dá muito tempo! Vou citar alguns nomes e explico em seguida: Henry Ford, Charles Darwin, Ray Kroc (McDonald’s), Sam Walton (Walmart). Sabe o que essas e mais uma lista enorme de personalidades mundiais tem em comum? Tiveram grande sucesso depois dos 40, 50, 60… Então, sim, dá tempo!

Leitura recomendada: De Que Adianta Ser o Homem Mais Rico do Cemitério?

Falando em arrependimentos, li “Os Cinco Maiores Arrependimentos de Pacientes Terminais” que rodou a internet milhares de vezes. Embora eu seja defensor da ideia de que a vida é curta e imprevisível – e por isso você deve fazer o máximo para ser fiel a si mesmo -, vez ou outra perdemos o rumo e sei que retomá-lo é uma tarefa dura.

É quase impossível não se identificar com alguns (ou todos) os 5 maiores arrependimentos. Passamos a vida tentando seguir regras dos outros; ideias preconcebidas as quais chamamos de “sociedade”.

Mas, a má notícia é: as pessoas são diferentes e simplesmente não dá para colocar um elefante em um fusca. Por isso, estamos sempre em busca de algo que não está lá; esperando um dia que nunca vai chegar, simplesmente porque estamos indo para o lado errado.

Vou relembrar os 5 arrependimentos, para ficar mais claro:

  1. Eu gostaria de ter tido coragem de viver uma vida fiel a mim mesmo, e não a vida que os outros esperavam de mim;

  2. Eu gostaria de não ter trabalhado tanto;

  3. Eu gostaria de ter tido coragem de expressar meus sentimentos;

  4. Eu gostaria de ter mantido contato com meus amigos;

  5. Eu gostaria de ter me deixado ser mais feliz.

Todos os 4 últimos arrependimentos são resultados do primeiro: vivemos para os outros, não para nós mesmos.

Vídeo recomendado: Enriquecer é um estilo de vida que requer Disciplina e Desapego

Quer ver como não precisamos de um exemplo muito profundo para entender que é verdade? Não é de hoje que existe a moda, e ela é ditada pela comunicação de massa (cinema, TV, revistas e etc.) e seus embaixadores, que são “os famosos”.

Nem tudo o que a moda e os modelos usam fica bom no resto do mundo. Aliás, não fica bom em quase ninguém. Isso acontece com os óculos de armações grossas que também voltaram e um sem número de “releituras” de bizarrices do passado. Como algo que era ridículo até ontem hoje pode ser “super cool“? Moda.

E assim você faz com sua vida: transforma tudo em uma roupa da qual não gosta e acaba por se tornar mestre em autoconvencimento. Por mais que eu fale, escreva e pense, sofro do mesmo mal. Não sou apenas o chato que escreve e puxa sua orelha.

Eu já encarei (e ainda encaro) doses diárias do chá amargo da acomodação; deixei muitos sonhos profissionais de lado. Fiz muita coisa legal, mas poucas me faziam realmente vibrar.

Dizem “azar no jogo, sorte no amor”, mas será que isso se aplica também à vida profissional? Onde jogamos diariamente nossas fichas mais preciosas, nossos segundos, minutos e horas? Tempo que não volta mais, que não pode ser recuperado, reciclado. Será isso?

Leitura recomendada: 5 atitudes nos relacionamentos que enriquecem sua vida (pratique-os)

Pois, se tem algo que me faz vibrar é minha casa, minha família. Chegar em casa todos os dias é a melhor coisa do mundo. Será que por ter o que muitos procuram, um lar feliz, serei relegado à mediocridade profissional?

Nunca aceitei que eu não pudesse ter as duas coisas, de maneira que cheguei até aqui e fui acolhido pelo Dinheirama. Aos 35 anos descobri que nunca é tarde na prática, encontrei o trabalho que me faz vibrar junto com as pessoas que me inspiram todos os dias. Em tempo: jamais use a família como desculpa para não correr atrás, pois pessoas frustradas são péssimos pais, maridos, amigos… são péssimos seres humanos.

A vida é muito legal para ser desperdiçada. Tem que valer à pena! Respondendo à pergunta “E se eu morresse amanhã”? Sim, teria valido à pena. E me adiantando a pergunta subsequente: “Se para você está tudo bem morrer amanhã, qual o desafio então”? Eu respondo: “fazer valer à pena até o fim, todos os dias”.

Viva por inteiro, seja seu trabalho, sua família ou seu momento consigo mesmo. Faça valer à pena! Pronto para começar? Grande abraço e até a próxima.

Ebook gratuito recomendado: Ter uma Vida Rica Só Depende de Você

Renato De Vuono
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários