Sir Isaac Newton certa vez disse: “O que sabemos é uma gota, o que ignoramos é um oceano”. Se uma das maiores mentes que já existiu foi humilde o suficiente para dizer algo assim, por que não seguir seu exemplo?

Isso é algo notório nos grandes sábios; ter mais dúvidas do que certezas, mais perguntas do que respostas, tendo a consciência plena de que cada minuto é um aprendizado e, não importa quantos livros se leia, quantas universidades se frequente, títulos de mestre e doutor se tenha, a porção ignorante em cada um de nós sempre será desproporcionalmente maior do que a parte “educada”.

Não é segredo para ninguém minha enorme gratidão por fazer parte do Dinheirama; ao Conrado Navarro, que abriu as portas e ao Ricardo Pereira e Giovanni Coutinho, que me acolheram como parte da família; são essas coisas da vida que não tem preço.

O mais interessante é, além da oportunidade, o volume imenso de aprendizado que acontece nos bastidores, em nossas interações diárias, sejam pessoais ou profissionais. Cada um de nós mantém um canal direto com o outro, onde, muitas vezes, os papos se estendem por muitos minutos, até horas, e o resultado disso é incrível.

Posso dizer que ganhei muitas coisas: uma oportunidade de trabalho, uma família e uma fonte inesgotável de conhecimento. Achei interessante dedicar um texto a essa mudança em minha vida porque você pode estar diante de uma oportunidade semelhante, mas não a valoriza como deveria.

Leitura recomendada5 mudanças fundamentais para construir riqueza

Num desses dias, eu e o Navarro começamos uma conversa despretensiosa a respeito da carteira de investimentos de cada um e o que se seguiu foi, se é possível definir, transformador.

É interessante conhecer a essência de um cara que até outro dia era alguém que eu via como um dos grandes nomes da educação financeira (e, assim, muito longe de mim) e agora me dá conselhos (e puxões de orelha) praticamente todos os dias.

Comecei o texto justamente falando da humildade e a sede de conhecimento dos mais sábios para chegar nesse ponto: nessa jornada, algo que ficou latente foi a humildade, a curiosidade, a capacidade de dizer “Eu não sei, mas vou aprender” e, em cima disso, de mostrar sem pudores carinho e preocupação com o próximo.

Recentemente, ao mostrar um pouco de frustração ao Navarro por uma decisão que, até aquele momento, eu não havia compreendido, a resposta padrão esperada seria um “textão” top-down colocando-me no meu lugar, certo? Bem, não aqui!

Entendi exatamente tudo o que cercava a questão e ainda com a preocupação de não “me frustar”, que a coisa toda poderia ser feita da maneira como eu esperava. Como se toda argumentação já não fosse suficiente, ainda descobri que sou mais querido do que eu imaginava. Vaidade é uma palavra em desuso por essas bandas.

Parece um tanto meloso, eu sei. Mas retrata bem a essência que faz um verdadeiro líder, e, mais ainda, a essência transformadora de quem entende a frase que Newton tão precisamente disse.

Vídeo recomendado3 Perguntas (simples) podem transformar sua vida financeira para sempre

Todos nós temos esse poder transformador, porém poucos entendem que ele está muito mais em ouvir, questionar para levar o outro a reflexão, do que na pretensão de ter todas as respostas.

Aliás, certa vez li que “só idiotas tem certeza de tudo”. Faz sentido, não? A propósito, esta é outra pergunta que escuto muito aqui: “faz sentido para você”? Nada se impõe, tudo se decide em grupo, ponderando o que faz sentido para cada um e, assim, envidando-se o maior esforço possível em prol da unidade.

Volto a isso: todos nós temos esse poder transformador, basta sermos humildes o suficiente para coloca-lo em prática – e, assim, assumirmos que pouco sabemos, mas enorme é a vontade de fazer.

Desse modo, a corrente fica cada vez maior e mais poderosa. Esteja você em uma posição de liderança ou não em seu trabalho, esse é um legado que começa a ser construído nesse preciso momento que deixamos velhas crenças limitantes de lado e abraçamos sem restrições aqueles que nos oferecem um abraço.

Faz sentido para você? Então abrace e tenha a certeza de que muita coisa boa vai nascer desse abraço. Só não se esqueça de nos contar o resultado, combinado? Desejo a você uma vida plena e próspera, já que de nada adianta uma vida longa e vazia. Grande abraço e até a próxima!

Leitura recomendada3 crenças que afastam você dos seus sonhos (e como vencê-las) 

Renato De Vuono
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários