Home Mercados Ibovespa busca trégua após duas quedas, mas Petrobras pesa; mercado aguarda por Powell

Ibovespa busca trégua após duas quedas, mas Petrobras pesa; mercado aguarda por Powell

Ações preferenciais da estatal brasileira recuavam 1,30%, a 38,02 reais, em dia de queda dos preços do petróleo no exterior

por Reuters
0 comentário
Via

O Ibovespa (IBOV) buscava uma trégua nesta quinta-feira, após duas quedas consecutivas, mas o movimento era dificultado pelo declínio das ações Petrobras (PETR4), seguindo o recuo do preço do petróleo no exterior, bem como pela manutenção do avanço nos rendimentos dos títulos do Tesouro norte-americano.

Agentes financeiros também aguardam discurso do chair do Federal Reserve, Jerome Powell, prevista para as 13h (horário de Brasília), sem tirar do radar situação no Oriente Médio. Às 10h47, o Ibovespa subia 0,15%, a 114.234,58 pontos. O volume financeiro somava 2,6 bilhões de reais.

“Os rendimentos dos Treasuries se mantêm em alta… dada a sensação de que o Fed manterá juros em níveis elevados por mais tempo, diante de sinais de solidez da economia americana”, afirmou a equipe da mesa de renda variável da XP Inc. em nota enviada a clientes.

O retorno do Treasury de dez anos marcava 4,9343%, flertando com o patamar psicológico de 5%, que não é visto desde 2007.

Nesse contexto, as atenções se voltam para a participação de Powell em evento em Nova York. Apesar da maioria das apostas apontar estabilidade dos juros nos EUA na faixa de 5,25% para 5,50% na decisão que será anunciada em 1 de novembro, ainda é elevada a incerteza sobre o que acontecerá depois disso.

“Quando vejo os títulos de 10 anos dos EUA vendidos de forma agressiva, apesar das elevadas tensões geopolíticas, concluo que há potencial para um novo aumento (de juros)”, avaliou a analista sênior Ipek Ozkardeskaya, do Swissquote Bank, em nota enviada a clientes.

“E um movimento no rendimento dos títulos de 10 anos dos EUA acima da marca de 5% aumentará certamente a pressão de venda no S&P 500 no meio da temporada de balanços – independentemente de quão bons ou ruins sejam os resultados”, acrescentou.

Em Nova York, O S&P 500 tinha variação positiva de 0,04%, com os balanços de Tesla (TSLA34) e Netflix também ocupando as atenções.

Veja os destaques:

Petrobras (PETR4) recuava 1,30%, a 38,02 reais, em dia de queda dos preços do petróleo no exterior, com o barril de Brent negociado com declínio de 1,25%. Na véspera, as ações da Petrobras renovaram máximas históricas.

Eztec (EZTC3) subia 3,16%, a 15,68 reais, em dia de recuperação de construtoras, com o índice do setor imobiliário, que inclui ainda empresas de shopping centers, em alta de 1,25%, apoiado no alívio na curva de juros.

Copel (CPLE3) avançava 3,72%, a 7,81 reais, após divulgar que seu programa de demissão voluntária (PDV) teve adesão de 1.437 funcionários, com custo estimado de 610 milhões de reais referentes a indenizações e despesas adicionais.

Grupo Soma (SOMA3) tinha valorização de 2,67%, a 5,38 reais, com papéis sensíveis a juros também buscando alguma melhora em meio ao alívio nas taxas dos contratos de DI. O índice do setor de consumo na B3 subia 0,5%.

Magazine Luiza (MGLU3)  cedia 2,89%, a 1,68 real. Na véspera, a ação chegou a saltar 7,7% na máxima do pregão, mas fechou o dia com elevação mais modesta, de 2,4%.

Vale (VALE3) subia 0,11%, a 65,43 reais, em meio ao avanço dos futuros do minério de ferro na China, embora a produção de aço mais fraca do que o esperado tenha limitado a alta. O contrato mais negociado em Dalian subiu 0,4% nas negociações diurnas.

Itaú Unibanco (ITUB4) mostrava ganho de 0,67%, a 26,93 reais, e BRADESCO PN subia 0,14%, a 14,38 reais.

Rumo (RAIL3) valorizava-se 1,13%, a 21,54 reais, endossada por relatório de analistas do Citi elevando a recomendação para a ação para compra, bem como o preço-alvo para 27 reais, de 25,50 reais anteriormente.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Mail Dinheirama

Faça parte da nossa rede “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2023 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.