Home Mercados Ibovespa: veja os 10 destaques desta segunda; Yduqs recua 10%

Ibovespa: veja os 10 destaques desta segunda; Yduqs recua 10%

Às 11h12, o Ibovespa subia 0,75%, a 128.560,30 pontos

por Reuters
0 comentário

O Ibovespa (IBOV) avançava nesta segunda-feira, endossado pela alta de blue chips como Vale, Petrobras e Itaú, com a temporada de balanços sob os holofotes que coloca as ações de BTG Pactual (BPAC11) e Azul (AZUL4) entre os destaques positivos, enquanto Yduqs (YDUQ3) desaba.

A semana também começa com agentes financeiros na expectativa pela ata da última reunião de política monetária do Banco Central brasileiro (terça-feira) e de dados de inflação ao consumidor nos Estados Unidos (quarta-feira).

Às 11h12, o Ibovespa subia 0,75%, a 128.560,30 pontos, tendo como pano de fundo altas modestas dos principais índices acionários norte-americanos e alívio no rendimento dos títulos de 10 anos do Tesouro dos EUA.

O volume financeiro na bolsa paulista somava 3,6 bilhões de reais,

Na visão da equipe da Ágora Investimentos, o viés externo corrobora uma performance benigna no pregão brasileiro, embora as incertezas fiscais devam continuar limitando uma alta prolongada e sustentada na B3.

Os analistas da Ágora citaram em nota a clientes que as dúvidas quanto ao tamanho dos gastos federais com a tragédia no Rio Grande do Sul e seus impactos nas contas públicas devem continuar pesando sobre os juros futuros.

Destaques

Vale (VALE3) avançava 0,76%, em dia de alta dos preços futuros do minério de ferro na China, com o contrato mais negociado na Bolsa de Mercadorias de Dalian (DCE) encerrando o dia com alta de 2,42%, a 888 iuanes (122,75 dólares) a tonelada.

No setor de mineração e siderurgia do Ibovespa, os destaques eram CSN Mineração (CMIN3) e CSN (CSNA3) com acréscimos de 5,92% e 3,4%, respectivamente.

Petrobras (PETR4) valorizava-se 0,6%, endossada pelo avanço dos preços do petróleo no exterior antes da divulgação do resultado do primeiro trimestre, após o fechamento do mercado.

BTG Pactual (BPAC11) subia 2,74%, após mostrar mais cedo lucro líquido ajustado do primeiro trimestre de 2,89 bilhões de reais ante 2,26 bilhões de reais um ano antes, enquanto a rentabilidade sobre patrimônio medida pelo ROAE aumentou para 22,8%. “Os resultados do BTG mostraram resiliência mais uma vez, entregando bons resultados, com resultado final um pouco acima da nossa estimativa”, afirmaram analistas do Safra.

Itaú (ITUB4) tinha elevação de 1,07%, enquanto Bradesco (BBDC4) ganhava 0,45%.

Azul (AZUL4) avançava 2,18%, tendo como pano de fundo o resultado do primeiro trimestre do ano divulgado antes da abertura nesta segunda-feira, com prejuízo líquido ajustado de 324,2 milhões de reais, queda de 55,4% sobre o resultado negativo de um ano antes.

A receita líquida somou 4,7 bilhão de reais, avanço de 4,5% sobre um ano antes. Analistas do Bradesco BBI avaliaram que a companhia aérea teve forte desempenho operacional.

Yduqs (YDUQ3) desabava 10,06%, em meio à análise do resultado do primeiro trimestre divulgado no final da sexta-feira com lucro líquido ajustado de 173 milhões de reais, alta de 11,2% ano a ano.

O grupo de educação teve receita líquida consolidada de 1,46 bilhão de reais, avanço de 11,5%. Analistas do Santander destacaram como pontos negativos o volume “decepcionante” para o segmento presencial e a deterioração das provisões para devedores duvidosos. Do lado positivo, apontaram que o segmento premium continua forte e os preços para os alunos de nível superior aumentaram acima da inflação em todos os segmentos.

Energisa (ENGI11) cedia 0,38%, após divulgar na sexta-feira que a sua controlada Energisa Distribuição de Gás (EDG) celebrou contrato para compra de 100% das ações ordinárias da Infra Gás, com um valor de investimento de cerca de 890 milhões de reais.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Assine a newsletter “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.