Home Mercados Ibovespa: veja os 9 destaques desta segunda-feira; Petrobras no radar

Ibovespa: veja os 9 destaques desta segunda-feira; Petrobras no radar

Às 10h56, o Ibovespa caía 0,48%, a 126.460,92 pontos

por Reuters
0 comentário

O Ibovespa (IBOV) recuava nesta segunda-feira, pressionado pelo declínio das ações da Vale (VALE3) na esteira do tombo do minério de ferro no exterior, enquanto Petrobras continuava debilitada pelo aumento da percepção de risco após a decisão de não distribuir dividendos extraordinários.

Às 10h56, o Ibovespa caía 0,48%, a 126.460,92 pontos. O volume financeiro somava 4,4 bilhões de reais.

A equipe da XP Investimentos destacou que a atenção dos analistas de mercado nesta semana esta voltada para dados de inflação ao consumidor dos Estados Unidos e no Brasil, ambos previstos para a terça-feira e “importantes para avaliar os próximos passos da política monetária nos dois países”.

Em Nova York, o S&P 500 cedia 0,36%, refletindo certa cautela antes da divulgação do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês), que sairá no próximo pregão.

Análise gráfica da BB Investimentos afirmou que “o movimento atípico do pregão da última sexta-feira, influenciado pela queda acentuada da Petrobras no contexto da expectativa de menores dividendos, fez com que o Ibovespa perdesse seu suporte mais relevante dos 128 mil pontos e testasse a faixa dos 126 mil, zona de precificação testada anteriormente em janeiro”.

“Caso esse rompimento de suporte seja confirmado no início desta semana, o conjunto de indicadores rastreadores de tendência aponta um viés de baixa para a semana”, avaliaram os analistas do BB em nota enviada a clientes.

Destaques

Vale (VALE3) caía 3,01%, a 64,02 reais, contaminada pelo declínio dos futuros do minério de ferro na China, onde o contrato mais negociado na Dalian Commodity Exchange encerrou as negociações do dia com recuo de 5,41%.

A mineradora também divulgou no final da sexta-feira que o presidente Eduardo Bartolomeo manterá seu cargo até o final de dezembro deste ano.

Petrobras (PETR4) avançava 0,19%, a 36,19 reais, com investidores ainda avaliando os potenciais riscos envolvendo a decisão da estatal sobre dividendos extraordinários, após os papéis desabarem na sexta-feira.

Analistas do Goldman Sachs mantiveram a recomendação de “compra” para os papéis, mas reconheceram que aumentou o risco de se investir na companhia após os eventos recentes e cortaram o preço-alvo das ações. No exterior, o petróleo Brent cedia 1,15%.

 3R Petroleum (RRRP3) avançava 2,05%, a 28,84 reais, PetroReconcavo (RECV3) subia 2,53%, a 21,91 reais, ainda beneficiando-se das avaliações sobre Petrobras. Prio (PRIO3), que também divulgou balanço na sexta-feira à noite, tinha variação positiva de 0,65%, a 44,99 reais.

Dexco (DCXO3) registrava elevação de 1,46%, a 8,32 reais, engatando a segunda alta seguida, após forte correção em meio à divulgação do balanço trimestral na semana passada.

Itaú Unibanco (ITUB4) ganhava 0,18%, a 34,16 reais, e Bradesco (BBDC4) subia 0,07%, a 13,85 reais, enquanto Banco do Brasil (BBAS3) cedia 1,06%, a 57,20 reais, afetado pelo aumento de preocupações envolvendo estatais após decisão da Petrobras sobre dividendos.

Dinheirama

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.