Liderando inovaçãoHá algum tempo estava na sala de aula da universidade, quando o meu ilustre professor perguntou a todos os alunos: qual a diferença entre criatividade e inovação? Você saberia responder a essa pergunta rapidamente, sem rodeios? Para algumas pessoas, falar sobre ser criativo ou inovar pode até parecer bobagem, uma perda de tempo, porque elas simplesmente acreditam que criatividade é algo nato – e que inovar é decorrente de pessoas criativas. Vamos ver se ao final desse artigo você também pensará dessa forma.

Voltando à minha história da sala de aula: todos os alunos participaram de uma discussão sobre o que são esses dois conceitos – inovação e criatividade – e então o professor lançou outra pergunta: qual a real importância desses conceitos para o desenvolvimento de empresas? Eu e mais alguns alunos respondemos: “são muito importantes porque uma empresa que não inova tem maior dificuldade em obter reconhecimento do cliente e de ganhar maiores fatias do mercado”.

Parecia uma resposta interessante, mas depois do episódio fiquei com esse assunto “martelando” minha cabeça. Eu queria aprender mais, ir além do que eu já sabia. Como se desenvolve a inovação[bb] dentro de uma empresa? Será que é só contratar profissionais criativos e tudo estará resolvido? Será que existem outras variáveis que impactam positiva e negativamente esse cenário de criação de novos produtos?

Afinal, qual a diferença entre ser criativo e ser inovador?
Tenho para mim como grande referencial no assunto inovação a empresa 3M, pelo fato de achar todo o seu processo de desenvolvimento de produtos muito completo e diversificado. Devido a isso, achei interessante citar uma parte de sua metodologia e de sua visão sobre inovação. Os significados de inovação e de criatividade para essa corporação estão abaixo:

Criatividade: pensar em coisas novas
Invenção: mostrar o que pode ser feito
Inovação: tornar comercialmente viável
Retirado do site de Inovação da 3M

Assim, esclarecida a questão sobre a diferença entre os dois conceitos, fica o questionamento: mas o que fazer para criar um produto inovador?

Inovação como cultura corporativa
Aprendi que para conseguir inovar com eficiência, o foco não deve estar no produto, mas sim no modelo de negócio e na cultura da empresa. A relação humana tem de ser muito bem trabalhada e estimulada. Afinal, não adianta nada ter um funcionário que imagina produtos novos todos os dias se ele não é reconhecido pelo grupo como um bom profissional.

Além disso, também não adianta o gerente[bb] da empresa dizer que precisa de um produto inovador, escrever isso em todos os murais se, a todo o momento, ele desestimula o seu colaborador com broncas e criticas mal elaboradas.

A gerência que é destrutivamente crítica frente a erros cometidos, mata a iniciativa. E, é essencial ter pessoas com iniciativa se quisermos continuar a crescer.
William L. McKnight

Repare: voltamos ao papel da Boa Liderança
Para fazer diferente, o colaborador precisa se sentir a vontade para isso, acreditando que receberá apoio de seu chefe ao efetuar ou sugerir uma mudança na empresa. A relação de confiança é extremamente importante. Para a manutenção e a evolução de um ambiente inovador, é fundamental que exista um líder com boas capacidades de integração, comunicação, gerenciamento de conflitos e, claro, capaz de estimular e inspirar seus colaboradores.

Você, que tem o seu próprio negócio ou cuida de um segmento da empresa e deseja criar um ambiente de desenvolvimento de novos produtos e novos processos, pode tentar desenvolver perfis como esses aqui detalhados, dando mais atenção às pessoas que trabalham com você. É importante que o chefe[bb] deixe de ser visto como figura decorativa e passe a ser encarado como alguém em quem se espelhar, um líder.

O chefe você obedece. O líder você segue e admira
Mário Sérgio Cortella

Contrate bons funcionários e deixe-os em paz.
William L. McKnight

Com grande freqüência, as melhores ideias vêm de pessoas que amam o que fazem. Portanto, caso a pessoa não goste da função que ela exerça, mudá-la para um cargo mais adequado e atraente para ela pode gerar resultados bem interessantes. Flexibilidade no ambiente corporativo ainda é coisa rara. Ora, só assim a empresa investirá em alguém para trabalhar naquilo que gosta – e não naquilo para o que foi direcionada para executar.

Nesse ponto do texto, parei de escrever e reli tudo o que já havia digitado. Percebi que fica a impressão de que quem comanda o negócio tem de ser alguém fenomenal, um grande líder, com muitos anos de experiência. Mais, parece que dificilmente quem está começando agora ou está no meio da carreira será capaz de estimular e inspirar pessoas com excelência.

Liderança tem a ver com experiência, mas experiência não tem a ver com idade
Mário Sérgio Cortella

A frase acima, do filósofo, professor e escritor Mário Sérgio Cortella[bb] infere que o que importa não é por quanto tempo você faz algo, mas com qual intensidade você o faz. Segundo ele, é isso que o tornará experiente. Portanto, não há como fugir do lugar comum: o único caminho que nos leva ao sucesso é o esforço e a dedicação, com amor pelo que se faz.

Para concluir, acredito que o conceito de inovação está diretamente ligado às pessoas. É impossível dispor de uma empresa inovadora sem ter um grupo de cabeças pensantes que age com liberdade para criar – e que goste de fazê-lo. A 3M e outras empresas como Apple, Procter&Gamble, Google etc., são grandes inovadoras não apenas porque dispõem de grandes criadores, mas por que sabem gerenciar as pessoas envolvidas no processo de criação, oferecendo-lhes liberdade com responsabilidade e confiança para desenvolverem o máximo de seus potenciais.

Experimente ler também o artigo “Ainda temos muito a aprender sobre Liderança!” aqui do Dinheirama e reflita sobre a sua atuação e sobre o posicionamento da sua empresa ou da companhia onde trabalha. Não se permita cortar a criatividade de seu processo pessoal de aprendizado ou de seus colaboradores. Tente o contrário: estimule-os para alcançar o infinito e para que sejam melhores que você. Se eles chegarem próximo disso, sua tarefa como líder estará cumprida.

Crédito da foto para stock.xchng.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários