Home Empresas Marfrig lucra no 1º tri e vê preço do gado em alta nos EUA

Marfrig lucra no 1º tri e vê preço do gado em alta nos EUA

A Marfrig afirmou que as operações da América do Norte, representadas pela National Beef tiveram margens superiores à média do mercado

por Reuters
0 comentário

A Marfrig (MRFG3) anunciou nesta quarta-feira que teve lucro líquido de 62,6 milhões de reais no primeiro trimestre, revertendo resultado negativo de 634 milhões de reais sofrido no mesmo período do ano passado

O desempenho operacional medido pelo Ebitda ajustado foi de 2,65 bilhões de reais, quase o dobro do apurado um ano antes, com a margem avançando 4,1 pontos percentuais no período, para 8,7%.

A companhia, maior fabricante de hambúrgueres do mundo, teve receita líquida de 30,4 bilhões de reais, expansão anual de 3,8%. O custo do produto vendido teve oscilação para baixo de 0,7%, a 26,5 bilhões de reais.

O balanço da companhia foi ajudado em parte pelo desempenho recorde das operações da processadora de aves e suínos BRF (BRFS3), e por uma redução de cerca de 400 milhões de reais no resultado financeiro negativo, que ficou em 1,1 bilhão de reais.

A empresa reduziu a alavancagem consolidada de 3,71 vezes no final de 2023 para 3,43 vezes ao fim de março deste ano.

América do Norte

A Marfrig afirmou que as operações da América do Norte, representadas pela National Beef tiveram “margens superiores à média do mercado”. A margem Ebitda ajustada foi de 2,1% e a receita líquida subiu 9,6%, a 2,8 bilhões de dólares.

Questionado sobre o ciclo do gado nos Estados Unidos, o presidente-executivo da Marfrig para a América do Norte, Tim Klein, afirmou que a expectativa é que o preço de aquisição dos animais para abate cresça cerca de 30% na região entre 2022 até 2027. Segundo ele, de 2022 a 2023, o preço já subiu 16% e do ano passado para este houve alta de mais 12%.

Klein afirmou que a elevação do preço decorre de um quadro marcado por demanda aquecida por carne bovina na América do Norte e oferta de gado restrita.

(Imagem: Reprodução/Facebook/Marfrig)
(Imagem: Reprodução/Facebook/Marfrig)

“Esperamos ver redução de utilização de capacidade na indústria (de carne bovina norte-americana) com o ciclo apertando mais”, acrescentou. “A oferta (de gado) vai chegar a um mínimo em 2027 e vamos ver o maior preço do gado”, disse Klein.

Rio Grande do Sul

O presidente-executivo da Marfrig para América do Sul, Rui Mendonça, afirmou que a tragédia das chuvas no Rio Grande do Sul não teve impactos diretos significativos sobre as operações da empresa no Estado.

Mendonça disse que a empresa tem quatro fábricas no sul e no oeste do Estado, que sofreram menos impactos de inundações que a região metropolitana de Porto Alegre, por exemplo.

Além disso, o principal porto usado pela companhia para exportações, o de Rio Grande segue aberto e com caminhos logísticos até ele liberados, afirmou.

“Não tivemos maiores transtornos…O maior problema é que impactou profundamente a população do Estado”, disse Mendonça, acrescentando que o Rio Grande do Sul representa menos de 5% do faturamento da Marfrig na América do Sul.

Questionado sobre os preços do gado no Estado, Mendonça afirmou que desde o início da tragédia “não sofreram nenhum efeito. Os preços continuam nos mesmos patamares”.

Veja o documento abaixo:

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Assine a newsletter “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.