Home Mercados Minério de Ferro: recua pela segunda sessão consecutiva

Minério de Ferro: recua pela segunda sessão consecutiva

Tanto o minério de ferro quanto o aço registraram ganhos na segunda-feira com impulso dos planos do Ministério das Finanças da China

por Reuters
0 comentário

Os preços do minério de ferro ampliaram a queda para uma segunda sessão consecutiva nesta quarta-feira, afetados pelas expectativas de retração sazonal da demanda na China, principal mercado consumidor do minério, e pelo aumento das tarifas dos EUA sobre alguns produtos chineses.

O contrato de setembro do minério de ferro mais negociado na Bolsa de Mercadorias de Dalian (DCE) da China encerrou as negociações do dia com queda de 1,55%, a 858 iuanes (118,78 dólares) a tonelada.

O contrato de referência de junho do minério de ferro na Bolsa de Cingapura recuava 1,13%, a 113,85 dólares a tonelada, o nível mais baixo desde 24 de abril.

A queda reflete, em parte, o impacto sobre o sentimento macro depois de ter sido esclarecido do que o uso da última emissão de títulos pelo governo chinês não está diretamente relacionado ao mercado de ferrosos, disseram analistas da Shengda Futures em uma nota.

Tanto o minério de ferro quanto o aço registraram ganhos na segunda-feira com impulso dos planos do Ministério das Finanças da China para emitir 1 trilhão de iuanes em títulos públicos especiais de longo prazo.

A expectativa de uma demanda sazonalmente menor também está pesando sobre os preços do principal ingrediente da fabricação de aço.

“A produção de metais quentes pode provavelmente atingir um teto nas próximas uma ou duas semanas, restringindo o interesse dos traders em estocar (minério de ferro)… Os altos estoques de minério no porto continuaram a ser um empecilho”, disseram analistas da Galaxy Futures em uma nota.

Enquanto isso, o presidente dos EUA, Joe Biden, revelou na terça-feira aumentos acentuados de tarifas sobre uma série de importações chinesas. As tarifas sobre certos produtos de aço e alumínio mais do que triplicaram, para 25%, em 2024.

“A demanda por aço mostrou sinais de abrandamento ao entrar em maio e a desestocagem de produtos de aço também desacelerou”, disseram analistas da Everbright Futures em uma nota.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Faça parte da nossa rede “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2023 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.