Home Economia e Política Ministros da Opep+ mantêm política de produção inalterada e petróleo sobe

Ministros da Opep+ mantêm política de produção inalterada e petróleo sobe

Em uma declaração após a reunião, a Opep+ apontou a "alta conformidade" dos membros com os cortes de produção de petróleo prometidos

por Reuters
0 comentário
(Imagem: Foto da sede da Opep em Viena/Reuters)

Uma reunião dos principais ministros da Opep+ manteve inalterada a política de produção de petróleo e pressionou alguns países a aumentar sua conformidade com os cortes de produção, uma decisão que levou os preços internacionais do petróleo bruto a atingirem o valor mais alto em cinco meses, quase 90 dólares por barril.

Um comitê ministerial (JMMC, na sigla em inglês) da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados liderados pela Rússia, conhecido como Opep+, reuniu-se online para analisar o mercado e a implementação dos cortes de produção pelos membros.

O petróleo se recuperou este ano, impulsionado pela oferta mais restrita, ataques à infraestrutura energética russa e guerra no Oriente Médio.

Após o término da reunião, o petróleo bruto Brent (BRENT) subiu para perto de 90 dólares o barril nesta quarta-feira, seu maior valor desde o final de outubro de 2023.

Os membros da Opep+, liderados pela Arábia Saudita e pela Rússia, concordaram no mês passado em estender os cortes voluntários de produção de 2,2 milhões de barris por dia (bpd) até o final de junho para apoiar o mercado.

Em uma declaração após a reunião, a Opep+ apontou a “alta conformidade” dos membros com os cortes de produção de petróleo prometidos, embora tenha dito que alguns países prometeram aumentar sua adesão e informar sobre o progresso.

O painel celebrou as promessas do Iraque e do Cazaquistão de alcançar plena conformidade, bem como de compensar pela sobreprodução, e o anúncio da Rússia de que seus cortes no segundo trimestre serão baseados na produção e não nas exportações, segundo o comunicado.

(Imagem: Reprodução/Freepik/@atlascompany)
(Imagem: Reprodução/Freepik/@atlascompany)

Dados da S&P Commodity Insights, conhecida como Platts, mostraram que o grupo produziu em excesso 275.000 bpd em janeiro e 175.000 bpd em fevereiro.

A Platts é uma das fontes secundárias usadas pela Opep+ para avaliar a produção de seus membros. Iraque, Gabão e Cazaquistão foram os principais membros que produziram acima de suas cotas nos dois meses, segundo a pesquisa.

Quando as restrições voluntárias expirarem no final de junho, os cortes totais da Opep+ deverão cair para 3,66 milhões de bpd, conforme acordado em etapas anteriores a partir de 2022.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Mail Dinheirama

Faça parte da nossa rede “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2023 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.