O índice P/LÉ comum recebermos e-mails de leitores com a seguinte pergunta: como saber se o preço de uma determinada ação está alto ou baixo? Como saber se a ação está mesmo barata? Já abordamos por aqui o básico sobre as análises fundamentalista e técnica (grafista), mas como podemos colocar em prática o que aprendemos?

André Motta, fundador do blog Trader Sem Mistérios e nosso colaborador, já escreveu um artigo no Dinheirama sobre a arte de precificar ações (valuation) e explicou alguns de seus indicadores mais importantes. Seu artigo é bastante didático e completo, ainda que não seja extenso do ponto de vista técnico.

Para facilitar o entendimento, tendo como foco principal o investidor[bb] comum (aquele que não possui acessos a relatórios exclusivos e nem tem tanto tempo para vasculhar a internet à procura de muitas informações), vamos tratar hoje de um dos principais índices da análise fundamentalista: o índice P/L (Preço por Lucro).

Definição
O índice P/L apura a razão preço por lucro de uma empresa. O preço é sempre o valor por ação que está listado na Bolsa. Lucro é o ganho por ação, ou seja, o lucro líquido da empresa dividido pelo número total de ações.

Um exemplo simples: suponha que a empresa XYZ tem ações cotadas na Bolsa a R$ 20 por ação e possui um lucro projetado, anualmente, de R$ 4 por ação. Para encontrarmos o índice P/L montamos a seguinte regra:

P/L = 20/4 = 5

O número resultante do cálculo, neste caso 5, demonstra que o acionista teria de volta, em 5 anos, o valor investido naquela ação. O índice representa a capacidade de gerar lucros para seus acionistas e é usado para precificar seu potencial diante de seu setor. É preciso lembrar que alguns cuidados precisam ser observados quando pensamos nos parâmetros dos cálculos:

  • Use sempre o preço mais recente da ação, de preferência do último fechamento;
  • O lucro deve ser o ganho por ação projetado para o fim do ano corrente. Por isso a importância das reuniões entre gestores e acionistas.

Também cabe frisar que o índice P/L deve ser usado como um comparativo entre diversas empresas. Se analisado sozinho, sua eficácia é duvidosa, já que não há ponto de referência para saber se o tempo de retorno do investimento é mais interessante que a de outras concorrentes.

A Revista InvestMais de julho, em matéria assinada pelo especialista Carlos Martins, destaca ainda que:

  1. O cálculo de retorno é feito sob a afirmativa de que todo o lucro é do acionista. Na prática, apenas um percentual dele vai para as mãos do acionista;
  2. Admite-se que o lucro da empresa será constante. Obviamente, isso pode ou não ocorrer;
  3. Não é considerado o efeito da inflação.

Uma importante ressalva: como o índice P/L baseia-se nos lucros para relatar o prazo de retorno do capital investido, ele só pode ser calculado para empresas que operam no azul, isto é, empresas que estejam auferindo lucros – e não prejuízos. O entendimento deste índice é muito importante para a correta análise das empresas no mercado de ações[bb].

Termina aqui a primeira parte do artigo. Voltarei a escrever sobre o assunto na quarta-feira, dia 30/07. Lá discutiremos mais alguns exemplos práticos e a interpretação do resultado dado pelo índice. Bom final de semana.

——
Ricardo Pereira é consultor financeiro, trabalhou no Banco de Investimentos Credit Suisse First Boston e edita a seção de Economia do Dinheirama.
Quem é Ricardo Pereira?
Leia todos os artigos escritos por Ricardo

Crédito da foto para stock.xchng.

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários