Certa vez uma bióloga que eu conhecia, e que vivia reclamando de não conseguir oportunidades no mercado de trabalho, foi convidada para atuar como assistente em um laboratório universitário.

Ela nunca havia trabalhado na área, portanto, poderia ser um ótimo pontapé inicial para começar. Mas o que ela fez? Rejeitou o convite. A justificativa é de que era algo “primário” demais para ela, bióloga formada, e o salário também não era lá grandes coisas. “Melhor ficar em casa”, disse. Então eu me perguntei: “Será que ela sabe o que é oportunidade?”

Resolvi escrever este artigo, pois vejo muita gente que não sabe enxergar quando a vida oferece a possibilidade de dar os primeiros passos em um caminho que gostaria de seguir. Há alguns anos atrás talvez fosse mais fácil aceitar certas coisas, mas hoje em dia, a impressão é que ninguém quer esperar o tempo passar, fazer um esforço extra, iniciar do início para conseguir alguma coisa legal adiante. Quantos jovens até ontem eram estagiários e de repente se auto-entitulam CEOs e não querem mais aprender, somente mandar?

O grande problema nisso é que muitas vezes falta tempo hábil para captar o conhecimento o necessário, faltam as oportunidades que nos permitem errar e acertar, e depois usar o aprendizado que veio do erro para fazer melhor, entende?

Pois bem, será que você está sabendo reconhecer o que são oportunidades?

Leia também: Não se engane, você é o culpado por viver endividado. Mexa-se!

Dinheiro não é tudo quando se trata de oportunidade

É importante entender que nem sempre uma boa oportunidade vai ter a ver com dinheiro. Muitas vezes, você pode encontrar oportunidade em um trabalho voluntário que não será remunerado ou na aproximação com determinadas pessoas que, adiante, podem te abrir portas.

O importante é saber reconhecer quando algo ou alguém puder trazer coisas positivas para a sua vida, independente da recompensa ser financeira ou momentânea, pois muitas vezes não será.

Especialmente quando se trata de iniciar uma carreira ou até mesmo mudar de carreira, saber reconhecer oportunidades é fundamental. Muitas vezes tudo que você precisa é aquela brecha para poder mostrar o quão bom é o seu trabalho, por isso não desperdice certos momentos.

Outro dia vi uma história nas redes sociais sobre uma adolescente que resolvera começar a vender doces.

Os doces dela, todos diziam, eram muito bons, mas como fazer para ganhar dinheiro com isso? Ela resolveu fazer uma quantidade inicial de doces que distribuiu como amostras para a vizinhança. Junto à amostra ia um bilhete com outras possibilidades de doces e valores. Para conhecer o trabalho, bastava que a pessoa aceitasse o doce. E como não chamar isso de oportunidade? Afinal, tratou-se de um passo inicial para todo o resto que viria depois. E, veja bem, ela não ganhou dinheiro com a venda das amostras, muito pelo contrário, ela teve que investir na primeira receita, acreditando que seria algo oportuno para conseguir novas vendas.

Leia também: Com pena do seu dinheiro? Melhor começar a viver!

Você acredita em si mesmo?

Outro ponto importante quando se fala em oportunidade é saber o quanto você acredita em si mesmo e em seu trabalho. Veja bem, toda oportunidade só poderá ser chamada assim se você acreditar que, a partir dela, coisas melhores virão. Ou seja, é preciso acreditar em si mesmo, nas coisas que faz e em tudo que quer. Caso contrário, não adiantará nada e você só perderá tempo.

Provavelmente você já deve ter conhecido histórias de gente que começou do nada, mas com muita garra, esforço e senso de oportunidade conseguiu chegar onde queria.

Pense em quantos músicos, atores, escritores, já não oferecem sua arte de graça por aí tentando ganhar um espaço. Ou profissionais que mudaram de área já com uma carreira consolidada e que aproveitaram alguma brecha em um cargo muito menor que o merecido para ingressar em um novo caminho?

São apenas exemplos, mas certamente estas pessoas, ao acreditarem na qualidade do seu trabalho, não fizeram tais coisas sem razão. Certamente elas sabiam que valia a pena aproveitar a oportunidade pois ela seria apenas uma ponte entre o momento atual e o momento futuro. Como andam as suas pontes, hein?

Leia também: Disciplina, a solução para enriquecer, emagrecer e viver melhor

O futuro começa no presente

Sabemos também que há momentos em que as coisas andam muito diferentes daquilo que sonhamos. Nestes momentos é preciso entender duas coisas: a primeira, é que tudo muda o tempo todo, portanto, o que acontece agora será somente algo a ser contado (para o bem ou para o mal) lá na frente. A segunda, é que tudo que acontecer lá na frente dependerá do que estivermos fazendo hoje, e normalmente bons resultados requerem uma dose extra de esforço, ou seja, é preciso que você faça um pouco além do que a média das pessoas fariam se quiser se destacar, entende?

Na verdade, vivemos em um mundo de causa e efeito, simples assim.

Pode ser que você tenha a oportunidade de fazer um curso de inglês, por exemplo, mas não faz porque tem preguiça de estudar, acha que não vale a pena. E aí, lá na frente, aparece uma viagem internacional ou uma vaga que só podem ser destinadas a quem fala inglês. Me diga, de que adiantou a sua preguiça?

Quero terminar esse texto convidando você, caro leitor, a começar a prestar um pouco mais de atenção nas oportunidades que tem. Elas podem estar nas pessoas que você conhece, nos momentos que você deixa de viver, nas coisas que você deixa de aprender, nos lugares em que deixa de ir, nos esforços que você deixa de fazer.

Comece a olhar para a vida com olhos mais atentos e procure não perder as oportunidades que tiver. Mais para frente você agradecerá a si mesmo, tenho certeza!

No fim, muito do seu fracasso será resultante das oportunidades que você teimou em deixar passar.

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários