Outro dia estava conversando com um amigo e ele me contava o quanto estava postergando iniciar um regime daqueles para perder peso. Agora, dizia ele, era inevitável dar o primeiro passo, pois até o médico o havia alertado sobre potenciais problemas de saúde caso não o fizesse. “Ah, se eu tivesse começado antes”, lamentava.

O que fiz foi dizer a ele para se acalmar e mudar de atitude. Pode ser que ele realmente tivesse perdido tempo para dar início a algo importante, mas o primeiro passo, ah, o primeiro passo caro leitor, é a parte essencial de cada processo e nunca é tarde para dá-lo.

Vamos falar um pouco sobre isso?

Muita gente chega até mim e reclama que a vida financeira está tão bagunçada que sequer tem coragem para iniciar uma mudança.

De fato, há pessoas que não sabem sequer por onde começar, e vamos convir que qualquer saída da zona de conforto não é fácil mesmo. Mas deixar de realizar uma alteração positiva no percurso por medo do trabalho que isso vai dar é pura bobagem. Tudo na vida dá trabalho.

Ser feliz dá trabalho! Porque é preciso, muitas vezes, tomar atitudes que os outros reprovam, largar o emprego estável para ir atrás de um sonho, partir rumo ao desconhecido porque não está satisfeito com o que tem hoje, gastar horas diárias estudando para conseguir um futuro melhor, e etc.

Pense que tudo que temos hoje é consequência de algum passo que demos lá atrás. E assim vale para todas as outras pessoas ao nosso redor, as que estão satisfeitas e as que estão insatisfeitas. E por mais complicado que seja iniciar qualquer mudança para melhor, o primeiro passo é sempre essencial e fará a diferença quando, daqui a um ou dois anos, você olhar para trás e pensar: “Que bom que iniciei naquele momento e deixei de enrolar”.

Leia também: 3 Erros que afastam você da Felicidade Financeira

Está difícil de andar? Engatinhe!

Agora vamos à parte prática da coisa. Como lembrei anteriormente, ninguém segue caminho nenhum se não der um primeiro passo. E como seres humanos que somos, pode ser difícil até mesmo dar um primeiro passo na caminhada se tudo estiver muito nublado e nebuloso. Se for esse o caso, engatinhe. Comece aos poucos, mas comece. Vamos ver como não é tão complicado assim?

Certa vez uma pessoa me procurou dizendo que não sabia como fazer para lidar com as dívidas. Havia se embolado de tal forma com o cartão de crédito que sentia vontade apenas de enfiar a cabeça no travesseiro e de lá não sair mais. Propus a ela que comecasse a pensar na situação mais tranquilamente, e que se dispusesse a resolvê-la ainda que parecesse algo impensável naquele momento. Então colocamos no papel suas receitas e despesas fixas, cortamos ao máximo tudo que poderia ser cortado, substituímos outras despesas necessárias por outras de valor menor, e analisamos a dívida.

Leia também: Como falar de dificuldades financeiras em família

Use o lado racional e comece

Quando uma dívida chega a determinado estágio em que se torna tão alta que fica impossível pagar, a primeira coisa é tentar negociar. Não dá, por exemplo, para deixar rolar ainda mais, feito bola de neve. Deve-se verificar se é possível parcelá-la ou conseguir um bom desconto para liquidá-la. E é claro, no caso desta pessoa, aconselhei que não olhasse mais para o cartão enquanto estivesse resolvendo isso (e que depois o usasse com extremo cuidado se fosse o caso).

As parcelas fixas precisam caber no orçamento, e para isso, muitas vezes é necessário realizar ainda mais cortes, abrir mão de mais algumas coisas para resolver a questão. E se a ideia for pagar à vista, muitas vezes vale avaliar pegar dinheiro emprestado de forma mais barata (como um crédito consignado ou um empréstimo pessoal, entre outras opções) para liquidar a dívida mais cara.

Trabalhoso? Sim. Mas um primeiro passo foi necessário para que ela conseguisse resolver uma situação que estava lhe tirando até mesmo o brilho de viver. Afinal, quem consegue seguir bem com uma preocupação dessas na cabeça, concorda?

Leia também: Vencer a si mesmo é o melhor investimento que você poderá fazer

Qual o primeiro passo que você dará hoje?

Quero que hoje, após ler este artigo, você pense em quais setores da sua vida estão merecendo um novo primeiro passo. Pode ser a saúde, tal qual o amigo que citei lá no início; podem ser as finanças, como a pessoa que citei acima; pode ser o trabalho, que não está lhe dando satisfação; ou ainda os estudos, que estão requerendo uma dedicação maior de sua parte. Não importa qual seja o setor, o importante é que você avalie o que precisa ser feito para buscar melhorias dentro dele, ok?

Pense racionalmente naquilo que poderia fazer hoje para dar um primeiro passo. Não pense lá na frente se tudo lhe parecer muito dificil. Pense no hoje, que é a única coisa que você tem em mãos para conquistar melhorias futuras. Ninguém aprende a nadar, por exemplo, se jogando no mar sem ter qualquer noção de como funciona; assim como ninguém dirige um carro sem aprender para que serve um volante ou um câmbio.

Portanto, cada passo do aprendizado é absolutamente necessário para se chegar a um resultado final que agrade, que se concretize de forma favorável. Qual será o seu primeiro passo hoje? Muito em breve conversaremos novamente para que você possa me contar sobre os resultados que obteve, OK. Vamos juntos?

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários