Você e a previdência privadaUm dos investimentos pessoais[bb] que mais caem no gosto popular é a previdência privada, ou previdência complementar. Ótima notícia que demonstra que os brasileiros estão se preocupando cada vez mais (e melhor) com seu futuro e de sua família, deixando de lado aquela imagem ultrapassada de um Estado capaz de zelar por todos. Ufa.

Já conversamos, tanto aqui, quanto no fórum Sociedade Dinheirama, sobre vários aspectos da formação da reserva, os tipos de fundos e planos (PGBL, VGBL), se são agressivos, moderados ou conservadores. Entretanto, pouco abordamos as formas de resgate disponíveis para quando chegar o tão sonhado momento de usufruir do benefício.

Como escolher entre as alternativas de resgate disponíveis hoje? Quais as principais diferenças entre elas e como o investidor[bb] deve olhá-las na hora de decidir-se? Os pormenores da escolha da renda ao completar o prazo de contribuição são tão importantes quanto a escolha do plano. Entenda melhor as alternativas através deste artigo.

Renda vitalícia
Nada mais é do que uma renda mensal que durará a vida toda. O valor será corrigido por índice estipulado no contrato.

  • Vantagem: certeza de que o dinheiro será pago mensalmente durante toda a vida;
  • Desvantagem: Em caso de morte prematura, o dinheiro de sua reserva ficará no caixa da seguradora.

Renda vitalícia com prazo mínimo garantido
O beneficiário terá uma renda de periodicidade mensal fixa e pré-estabelecida. Em caso de morte antes do prazo garantido, a família fica com o dinheiro.

  • Vantagem: o dinheiro poderá ficar com a família em caso de morte do segurado, no período que varia de 5 a 15 anos;
  • Desvantagem: com o prazo garantido, a renda tende a ser menor.

Renda vitalícia reversível ao cônjuge
O beneficiário receberá uma renda mensal fixa. Em caso de falecimento, o parceiro continuará a receber o dinheiro.

  • Vantagem: alternativa interessante para quem tem como dependente o(a) parceiro(a);
  • Desvantagem: o valor do benefício dependerá de cálculos atuáriais baseados na idade do parceiro.

Renda vitalícia reversível ao cônjuge com continuidade aos menores
Renda mensal vitalícia. Também na falta do companheiro (também), o dinheiro fica com os menores (até o limite de idade de 24 anos).

  • Vantagem: alternativa para aqueles que possuem filhos menores de idade;
  • Desvantagem: como o cálculo abrange os menores, a expectativa de vida é maior. O cálculo atuarial levará isso em conta, reduzindo ainda mais o valor da renda.

Renda com prazo certo
A renda será paga apenas por um prazo determinado.

  • Vantagem: o valor é superior ao pago pela renda vitalícia comum;
  • Desvantagem: em caso de expectativa de vida diferente do prazo estipulado, o beneficiário corre o risco de ficar sem dinheiro.

Resgate programado
Essa opção possibilita retiradas programadas, como por exemplo uma ou duas vezes por ano.

  • Vantagem: o custo se torna mais baixo e o beneficiário pode realizar a própria gestão de curto prazo de seus recursos.
  • Desvantagem: não recomendado para aqueles que não possuam outras fontes de renda.

Resgate total
Toda reserva é sacada de uma única vez, em data estabelecida.

  • Vantagem: o custo é muito mais baixo e você pode resgatar sua reserva e reaplicar em outros investimentos (montar uma carteira de investimentos, iniciar um negócio etc.).
  • Desvantagem: fazer a própria gestão dos recursos não é fácil. Se não estiver preparado para isso, pode representar perda de valores consideráveis.

Se você já tem um plano de previdência em curso e se não lembra de sua opção – ou se agora gostaria de alterá-lo –, não há motivo para pânico. As seguradoras são obrigadas a confirmar as escolhas de saída dos planos junto aos clientes 90 dias antes do final do contrato, sendo que a resposta pode ser dada com até 30 dias de antecedência.

Lembre-se que para quem gosta de segurança e tranqüilidade, a previdência privada pode representar a maneira mais fácil de estabelecer um futuro mais rico[bb]. Claro que existem pessoas de outros perfis, e com outras argumentações, que preferem produtos mais rentáveis no longo prazo. Mas nem todos possuem tempo, conhecimento e facilidade para investir em ações (por exemplo).

É sempre tempo de pensar no futuro. Construí-lo hoje é o que faz a diferença. Os detalhes de cada alternativa foram reproduzidos de materiais sobre o tema disponibilizados por Icatu Hartford, SulAmérica, Brasilprev e revista Você S/A. Bom final de semana.

——
Ricardo Pereira é Analista Financeiro Sênior da ABET Corretora de Seguros, trabalhou no Banco de Investimentos Credit Suisse First Boston e edita a seção de Economia do Dinheirama.
Quem é Ricardo Pereira?
Leia todos os artigos escritos por Ricardo

Crédito da foto para stock.xchng.

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários