Home Empresas Rumo recebe aval do TCU para revisão de contrato da Malha Paulista

Rumo recebe aval do TCU para revisão de contrato da Malha Paulista

A Malha Paulista, unidade da Rumo, apresentou a proposta à Agência Nacional dos Transportes Terrestres (ANTT) em 2022 para atualização do chamado "caderno de obrigações"

por Reuters
0 comentário
(Imagem: Dinheirama/André Torres)

A Rumo (RAIL3) informou em comunicado nesta quarta-feira que o Tribunal de Contas da União (TCU) emitiu uma manifestação favorável sobre a proposta da companhia para revisão de contrato da malha ferroviária paulista operada pela empresa.

A proposta de revisão vem após a prorrogação antecipada do contrato de concessão, por meio de um aditivo assinado em maio de 2020.

A proposta envolve a recomposição do equilíbrio econômico-financeiro do contrato no valor de cerca de 1,17 bilhão de reais, dos quais 500 milhões serão convertidos em investimentos na própria malha ferroviária operada pela companhia.

A Malha Paulista, unidade da Rumo, apresentou a proposta à Agência Nacional dos Transportes Terrestres (ANTT) em 2022 para atualização do chamado “caderno de obrigações” do contrato de concessão para poder conseguir cumprir os termos de forma “mais eficiente e econômica” e diante de “verificação da impossibilidade de execução de algumas obrigações pontuais” previstas na renovação.

A proposta, que permanece a mesma originalmente apresentada, agora aguarda a celebração de um aditivo ao contrato de concessão da Malha Paulista após a aprovação do TCU, de acordo com a Rumo.

Veja o Documento abaixo:

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Faça parte da rede “O Melhor do Dinheirama” com as melhores análises e notícias

Redes Sociais

© 2023 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.