Viver de Renda
Home Agronegócio StoneX vê queda na moagem de cana do CS em 24/25 e preço favorece recorde para açúcar

StoneX vê queda na moagem de cana do CS em 24/25 e preço favorece recorde para açúcar

A fabricação do etanol de cana deverá cair 6,1%, para 25,2 bilhões de litros

por Reuters
0 comentário
(Imagem: Pixabay/pasja1000)

A moagem de cana-de-açúcar do centro-sul do Brasil deve atingir 628,8 milhões de toneladas em 2024/25, queda de 2,2% ante o recorde do ano anterior, em meio a produtividades agrícolas mais baixas, estimou nesta quarta-feira a consultoria StoneX.

Segundo relatório da StoneX, o centro-sul tem colhido um canavial mais jovem na safra atual (2023/24), que é mais produtivo, e ainda contou com um clima muito favorável, o que ajuda a entender a queda esperada para o próximo ciclo.

“Ainda que de modo preliminar, a StoneX projeta que o TCH médio na região reduza 5,0% no comparativo safra-a-safra, alcançando patamar de 82,8 toneladas/hectare em 2024/25”, disse a consultoria.

Viver de Renda

Apesar da queda, ainda seria uma produtividade 8,3% acima das médias das últimas cinco safras.

A área canavieira deve observar recuperação em 2024/25, com usinas colhendo parte da cana que não conseguir processar na safra atual.

Além disso, “a conjuntura para o setor sucroenergético se mostra favorável para a ampliação dos investimentos na produção”, disse a StoneX, projetando ampliação na área colhida de 3%, totalizando 7,6 milhões de hectares.

Com uma maior destinação de cana para a produção de açúcar na principal região produtora do país, a fabricação do adoçante deverá registrar um novo recorde mesmo com a queda na moagem, com o volume estimado em 43,2 milhões de toneladas, aumento de 3,3% ante o ano anterior.

(Imagem: Reprodução/Freepik/@wirestock)
(Imagem: Reprodução/Freepik/@wirestock)

O “mix” de cana para açúcar em 2024/25 deve crescer para 51,4%, ante 49% na safra anterior, segundo a consultoria, uma vez que os preços internacionais estão próximos de máximas em 12 anos na bolsa ICE.

“O mix produtivo, assim como no ciclo atual, deve continuar favorecendo a produção de açúcar, uma vez que o mercado global da commodity segue registrando quebra na produção de importantes players, fornecendo assim um suporte altista para os preços no mercado internacional”, disse a StoneX.

Com a queda na moagem e maior destinação de cana para o açúcar, a produção de etanol do centro-sul na safra que começa em abril de 2024 foi estimada em 32,2 bilhões de litros, queda de 2% ante ano anterior, segundo a StoneX.

“O mercado de etanol, apesar de voltar a mostrar recuperação na demanda, ainda não encontra um suporte sólido para aumentar seus preços e competir na paridade com o açúcar”, explicou a consultoria.

A redução para a produção de etanol seria maior se não houvesse o biocombustível de milho, cuja fabricação deverá crescer 16,7% na mesma comparação, para 7 bilhões de litros.

A fabricação do etanol de cana deverá cair 6,1%, para 25,2 bilhões de litros.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Faça parte da rede “O Melhor do Dinheirama” com as melhores análises e notícias

Redes Sociais

© 2023 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.