Os títulos públicos voltaram a chamar a atenção do mercado que espera por novas movimentações no mercado de juros.

Após recuo em agosto, os títulos públicos voltaram a apresentar valorização em setembro com a nova redução da Selic e a sinalização do Banco Central de que os juros podem encerrar o ano ainda mais baixos.

De acordo com a ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), o IMA-Geral, índice que acompanha a variação média desses papéis em mercado, teve rentabilidade de 1,46% no mês e de 10,72% no acumulado de 2019.

“A maior parte dos subíndices do IMA apresentou em setembro o melhor resultado dos últimos meses. Além do efeito da queda da Selic, os preços dos ativos também foram impactados pelo cenário externo mais favorável, com os cortes dos juros nos principais bancos centrais do mundo e a redução da tensão entre Estados Unidos e China”, afirma Hilton Notini, gerente de Preços e Índices da ANBIMA.

Leia também: Controle financeiro, riqueza e isolamento: provocando reflexões

Variação positiva dos títulos

Os títulos com prazos maiores de vencimento se destacam no período. O IMA-B5+, indicador que representa as NTN-Bs com mais de cinco anos, teve ganho de 3,73% em setembro, com alta de 26,55% no ano.

A rentabilidade do IRF-M1+, que acompanha papéis pré-fixados com mais de um ano, foi de 1,87% no mês e de 11,89% no acumulado de 2019.

Os subíndices que representam papéis com prazos mais curtos também registraram em setembro desempenho acima do observado no restante do ano. O IMA-B5, que reflete as NTN-Bs até cinco anos, e o IRF-M1, que retrata os ativos pré-fixados de até um ano, avançaram, respectivamente, 1,74% e 0,64% no mês e 10,27% e 5,31% em 2019.

Assista: 🤐 Pare de PARECER SER o melhor Investidor (e SEJA um investidor DE VERDADE)

Melhor que a poupança: Na Diin sua rentabilidade é 106% da Poupança (Abra sua conta e invista já)

O IMA-S, que segue a trajetória da Selic com os papéis pós-fixados, teve crescimento de 0,47% em setembro e de 4,68% no ano.

O IDA-Geral (Índice de Debêntures ANBIMA), que acompanha os títulos corporativos, apresentou em setembro o melhor resultado do trimestre, de 1%. Os subíndices indexados ao IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) também avançaram no mês: o IDA-IPCA ex-infraestrutura variou 1,79% e o IDA-IPCA Infraestrutura, que reflete as debêntures destinadas a projetos de infraestrutura, saltou para 1,81%.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários