Home Economia e Política Trump diz que, se for preso, isso poderá ser um “ponto de ruptura”

Trump diz que, se for preso, isso poderá ser um “ponto de ruptura”

por Reuters
0 comentário

Donald Trump disse que aceitaria o confinamento em casa ou a prisão após a sua condenação histórica por um júri de Nova York na semana passada, mas que seria “difícil” para o público aceitar.

“Não tenho certeza se o público apoiará isso”, disse o candidato presidencial republicano à Fox News em entrevista que foi ao ar neste domingo. “Acho que seria difícil para o público aceitar. Você sabe, em certo ponto, há um ponto de ruptura.”

Trump não entrou em detalhes sobre o que ele acha que poderia acontecer se esse ponto fosse alcançado.

Questionada sobre o que os apoiadores de Trump deveriam fazer se ele fosse preso, a copresidente do Comitê Nacional da República (RNC, na sigla em inglês), Lara Trump, disse à CNN: “bem, eles vão fazer o que fizeram desde o início, que é manter a calma e protestar nas urnas em 5 de novembro. Não há nada a fazer além de fazer com que suas vozes sejam ouvidas em alto e bom som e se manifestarem contra isso”.

Trump usou a sua convicção para intensificar os seus esforços de angariar fundos, mas não procurou mobilizar os seus apoiadores, em contraste com os seus comentários de protesto contra a sua derrota em 2020 para Biden, seguidos por um ataque dos seus apoiadores em 6 de janeiro de 2021 no Capitólio dos EUA.

Donald Trump em entrevista à Fox
Donald Trump em entrevista à Fox (Imagem: Reprodução/ Fox News)

Campanha de Trump

O RNC e a campanha de Trump arrecadaram 70 milhões de dólares nas 48 horas após o veredito, disse Lara Trump, um número que a Reuters não foi capaz de verificar de forma independente.

Trump prometeu recorrer da condenação do júri de Nova York, que o considerou culpado de 34 acusações criminais por falsificação de documentos para encobrir um pagamento para silenciar uma estrela pornô antes das eleições de 2016.

Mas é improvável que a questão seja resolvida antes das eleições presidenciais de novembro, quando tentará recuperar a Casa Branca do presidente democrata Joe Biden. As pesquisas de opinião mostram uma disputa acirrada entre os dois e sugerem que sua condenação pode prejudicá-lo junto a alguns eleitores republicanos e independentes.

Trump ainda enfrenta outros três processos criminais, embora não seja provável que cheguem a julgamento antes das eleições. Ele nega qualquer irregularidade em todos os casos e chamou as acusações de conspiração democrata para impedi-lo de competir.

Enquanto isso, Biden tem procurado defender o sistema de justiça do país, dizendo que é “imprudente” e “perigoso” chamar o veredito de “fraudado”. O Departamento de Justiça dos EUA nega qualquer interferência política.

O advogado de Trump, Will Scharf, disse ao programa “This Week” da ABC News que não espera que Trump “acabe sendo sujeito a qualquer sentença” e planeja levar o caso à Suprema Corte.

O presidente da Câmara dos EUA, Mike Johnson, um aliado de Trump, disse ao “Fox News Sunday” que conhece os juízes do tribunal e “eles estão profundamente preocupados, tal como nós, em manter o nosso sistema de justiça”.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.