Home Economia e Política Uso de cheques no Brasil cai 95% desde 1995

Uso de cheques no Brasil cai 95% desde 1995

No ano passado, foram compensados 168,7 milh√Ķes de cheques

por Agência Brasil
3 min leitura

O n√ļmero de cheques usados pelos brasileiros em 2023 apresentou¬†queda de 17% em rela√ß√£o ao ano de 2022, segundo informou nesta segunda-feira¬†(22) a Federa√ß√£o Brasileira de Bancos (Febraban).

No ano passado, foram compensados 168,7 milh√Ķes de cheques. Na compara√ß√£o com 1995, in√≠cio da s√©rie hist√≥rica, quando foram compensados 3,3 bilh√Ķes de cheques, a queda registrada √© de 95%.

As estatísticas têm como base o Serviço de Compensação de Cheques (Compe).

Os dados tamb√©m apontam redu√ß√£o no volume financeiro dos cheques e no n√ļmero dos documentos devolvidos e nos devolvidos sem fundos na compara√ß√£o desde 1995.

Naquele ano, o volume financeiro dos cheques compensados totalizou R$ 2 trilh√Ķes. Em 2023 o valor passou para R$ 610,2 bilh√Ķes, uma queda de 70,18%.

Na compara√ß√£o com 2022, houve redu√ß√£o de 8,5%, quando o montante atingiu R$ 668,8 bilh√Ķes, informou a entidade.

No ano passado, foram devolvidos 18 milh√Ķes de cheques, o que representou 10,67% no total de cheques compensados no pa√≠s, e uma queda de 7,9% na compara√ß√£o com 2022, quando foram devolvidos 19,5 milh√Ķes de documentos.

Os cheques podem ser devolvidos por motivos como não terem fundos, por irregularidades ou erro de preenchimento.

A entidade disse ainda que em rela√ß√£o aos cheques devolvidos sem fundos, o total caiu de 15 milh√Ķes, em 2022, para 13,6 milh√Ķes no ano passado, uma redu√ß√£o de 9%.

(Imagem: freepik/@
freepik)
(Imagem: freepik/@ freepik)

Na compara√ß√£o com 1997, quando esses dados come√ßaram a ser registrados, o n√ļmero de cheques devolvidos sem fundo foi de 56,8 milh√Ķes.

A Febraban credita a diminui√ß√£o no n√ļmero de cheques devido ao avan√ßo de meios de pagamento digitais, como internet e mobile banking, e a cria√ß√£o do Pix em 2020.

A pandemia estimulou o uso dos canais digitais dos bancos e, hoje, quase 8 em cada 10 transa√ß√Ķes banc√°rias realizadas no Brasil s√£o feitas em canais digitais, como o mobile banking e internet banking (77%).

Soma-se a isso a preferência dos brasileiros pelo Pix, que vem se consolidando como o principal meio de pagamento utilizado no país, afirma Walter Faria, diretor-adjunto de Serviços da Febraban.

Em rela√ß√£o aos pagamentos, a Febraban destaca que apesar da redu√ß√£o no volume de transa√ß√Ķes, o t√≠quete m√©dio do cheque aumentou no √ļltimo ano: passou de R$ 3.257,88 em 2022 para R$ 3.617,60 em 2023.

Segundo a entidade, isso pode ser explicado como uma escolha dos brasileiros para as transa√ß√Ķes de maior valor.

O Dinheirama √© o melhor portal de conte√ļdo para voc√™ que precisa aprender finan√ßas, mas nunca teve facilidade com os n√ļmeros.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informa√ß√£o e atesta a apura√ß√£o de todo o conte√ļdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que n√£o faz qualquer tipo de recomenda√ß√£o de investimento, n√£o se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.