O que é dar bons exemplos financeiros a quem está ao seu redor? Quais exemplos financeiros você costuma seguir sem pestanejar? Normalmente as pessoas pensam que devemos seguir somente quem tem muito dinheiro e aprender com eles, mas o fato é que nem sempre isso é certo.

Primeiro porque quem tem muito pode simplesmente ter herdado ou ganhado o dinheiro sem esforço e ter atitudes que sequer são positivas para manter o dim dim no longo prazo. Segundo porque não há como sabermos a fundo a situação financeira das pessoas.

São muitos os que ganham fortunas e têm dívidas milionárias porque não sabem lidar com o dinheiro direito. Só que essa parte o mundo não conhece. Por isso, deixe esse “mito” de lado, ok?

Por outro lado, muitas são as pessoas que mesmo ganhando um salário médio conseguem lidar tão bem com as finanças que não entram no vermelho, têm reserva financeira e até realizam muitos dos sonhos que dependem de planejamento financeiro. É preciso observar com cuidado os exemplos para ver quem merece servir de referência, certo?

Poupança turbinada Grão: Mais rentabilidade e mais segurança do que a Poupança (Conta grátis)

Bons exemplos financeiros para seguir e ensinar

Separei 5 bons exemplos que você pode dar a quem tende a te seguir, como crianças, familiares ou até amigos e companheiros de trabalho. É natural que sejamos espelho para outras pessoas nas mais diversas situações, e com dinheiro não é diferente.

Vale a pena, portanto, avaliar o que faz sentido para você e tentar fazer um esforço diário para cuidar bem do bolso e ainda estimular quem convive com você. Vamos lá?

Lição 1.  Ter um padrão de vida menor do que poderia ter

Ter um padrão de vida menor do que o que você teria condições de ter é o segredo número 1 do cidadão médio que consegue guardar e investir dinheiro. Ou seja, se você ganha 10, não viva como quem ganha 10. Tente viver como quem ganha 8 e invista o resto. Vai valer muito a pena no médio e longo prazo. Mostre a seus filhos a importância deste tipo de coisa dando o exemplo.

Lição2. Planos e metas estão entre os bons exemplos financeiros

Faça uma lista das coisas que você gostaria de fazer no curto, médio e longo prazo. Além de uma lista de sonhos individuais, chame a família e crie uma lista coletiva. Desta forma, todo mundo terá consciência da importância de poupar.

Lição 3. Consumir de forma consciente

Torrar todo o dinheiro assim que ele entra na conta, aproveitar todas as promoções, seguir a manada e comprar presentes em todas as datas comerciais… esse exemplo não é legal porque mostra o quanto você consome sem pensar. Além disso, acaba ensinando especialmente as crianças a se tornarem consumistas em excesso. Comece a consumir de forma consciente para dar o exemplo.

Lição 4. Investir frequentemente

Já falei um pouco sobre isso nos exemplos anteriores, mas neste aqui gostaria de ressaltar a importância de destinar parte do dinheiro aos investimentos. Mostre a quem precisa ver (especialmente os familiares) que você se preocupa em formar uma reserva de emergência, e que você separa um dinheiro para investimento assim que ele chega na conta. Se tiver crianças pequenas, que tal estimulá-los a começar a guardar e investir também. Além dos tradicionais cofrinhos, hoje em dia é possível utilizar vários aplicativos que ajudam nisso.

Poupança turbinada Grão: Mais rentabilidade e mais segurança do que a Poupança (Conta grátis)

Lição 5. Estimular a doação e a gratidão

A gratidão é uma poderosa ferramenta de prosperidade, e quem não acredita nisso não sabe o que está perdendo. A maior parte das pessoas bem-sucedidas que conheço são muito gratas, têm muita fé (no Universo, em Deus, seja o que lá for), e procuram estimular a doação.

Doar o que você não usa, doar alimentos, ajudar um pouco alguém que precisa são exemplos preciosos que só vão gerar boas energias ao seu redor. Quando você doa, significa que acredita na própria prosperidade e capacidade de conseguir as coisas, e naturalmente estimula a formação de cidadãos melhores no mundo a partir daqueles que devem seguir seu exemplo.

Janaína Gimael
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários