Muito se fala sobre finanças pessoais hoje em dia, inclusive porque é cada vez maior o número de influenciadores, criadores de conteúdo, youtubers e outros profissionais capazes de provocar reflexões e despertar atitudes em relação ao bolso. Mas a verdade é que você já sabe o que deve fazer para economizar dinheiro, não é mesmo?

De certa forma, o principal fator de transformação financeira não é exatamente a quantidade de dinheiro disponível, nem tampouco nossa capacidade de gerar renda, muito embora isso seja importantíssimo para também economizar dinheiro nos momentos decisivos da vida.

Como economizar dinheiro

Hoje vamos tratar do básico envolvendo finanças pessoais que não precisa ser alterado (e nem poderia): para economizar dinheiro você precisa primeiro transformar esta necessidade em uma prioridade dentro de sua agenda. Ah, sim, no dia a dia depois desta decisão você terá que aprender a conviver com esta nova filosofia de vida. Vejamos como lidar com isso na prática:

1. Economizar dinheiro deve ser prioridade

Se você não se preocupa com a sua realidade financeira, como será capaz de economizar dinheiro? A pergunta retórica é proposital para reforçar a necessidade (óbvia) de elevar as finanças pessoais ao status que elas merecem no seu cotidiano.

Da mesma forma que família, amigos, saúde e trabalho são temas presentes e frequentes no seu dia a dia, dinheiro também deve ser. A palavra-chave aqui é prioridade. Dinheiro deve ser um tema natural e constante, não uma “caixa preta” ou um tema a ser evitado.

2. Controle financeiro deve ser frequente

Planilha, app, agenda financeira, caderno de anotações, papel de pão, não importa muito a ferramenta que você usa, o importante é registrar de forma organizada suas receitas e despesas para que você tenha sempre à mão sua situação financeira.

Tenha em mente que as categorias precisam ter significados fortes para você. Na prática, suas despesas precisam ficar claramente associadas ao seu estilo de vida para que você consiga identificar padrões de consumo e questioná-los (próximo passo).

3. Hábitos de consumo devem ser questionados para economizar dinheiro

Quando você conhece seus hábitos, você também pode questioná-los. Com o dinheiro, isso é ainda mais importante, afinal a ideia é que você comece a pensar mais e melhor sobre como tem gasto e, principalmente, se as suas despesas fazem sentido diante de seus objetivos e metas de vida.

Se você pode diminuir seus gastos nos pontos que não interferem com sua percepção de qualidade de vida, faça isso. Ter um carro faz sentido? Comer fora tantas vezes? Viajar tanto? Colecionar tantos itens? Eu não cometerei o grave erro de apontar onde você deve cortar, mas preciso fazer o convite para que questione-se com mais frequência para conseguir economizar dinheiro.

4. Pelo menos uma categoria de gastos deve ser foco de atenção

Para conseguir reduzir suas despesas no orçamento e economizar dinheiro, você precisa ser assertivo e fazer o que é mais fácil e objetivo primeiro: escolher uma categoria e passar um tempo focado apenas nela. Tentar mexer em tudo ao mesmo só vai deixá-lo mais ansioso e preocupado, e os resultados não serão tão motivadores.

Ao escolher uma categoria de gastos para “atacar”, concentre-se no seu histórico relacionado a ela e procure associar cada compra/despesa com uma explicação que seja convincente o suficiente (ou não). A ideia aqui é você mesmo se auditar:

  • Quando gastei?
  • Com o que gastei?
  • Por que gastei tudo isso?
  • Eu poderia ter feito diferente?
  • Como posso mudar isso daqui em diante?

Esta primeira categoria escolhida será sua experiência inicial com uma meta de orçamento, portanto é essencial que você defina quanto quer reduzir ou para que valor pretende levar os gastos deste grupo.

5. O envolvimento da família deve ser estimulado

A esta altura, você deve estar pensando que a tarefa de assumir as rédeas do seu orçamento para economizar dinheiro pode ser solitária e difícil demais. Talvez até mesmo chata. A liberdade que esta escolha trará certamente mudará sua relação com tudo isso, mas isso só vai acontecer quando os primeiros resultados forem comemorados.

Como manter a motivação? Com a ajuda das pessoas mais interessadas em vê-lo melhor, mais feliz e capaz de realizar seus objetivos: sua família. Ou assim deveria ser, não é mesmo? Convoque todos e envolva-os na realidade financeira e nos novos e próximos passos para elevar o dinheiro à prioridade que ele deve ser.

6. Quanto menos cartões de crédito, melhor

Simplificar suas responsabilidades financeiras é um dos principais pontos que você deve encarar e a razão para isso é simples: quanto menos “arestas” ou questionamentos, melhor para organizar seu fluxo de caixa e economizar dinheiro. Cartões de crédito são, como você já sabe, um convite ao descontrole, apesar de serem uma excelente ferramenta.

Uma sugestão que funciona muito bem para mim: tenha apenas dois cartões de crédito. Isso mesmo, só dois! Um você acerta para vencer no dia 15 de todo mês e o outro, no dia 30. Assim você divide o seu mês em dois para compras e pagamentos. Nada mais.

Assista: CARTÃO DE CRÉDITO: Pare de Sofrer! DESCUBRA os SEGREDOS para usar da FORMA CORRETA 💳🤑

Bônus: ter objetivos faz muita diferença na hora de economizar dinheiro

Iniciar, manter e respeitar o controle financeiro e as finanças pessoais são desafios grandes para quem nunca se preocupou com isso. Mas o fato de você desejar economizar dinheiro é um ótimo começo, embora só isso não seja suficiente. Você tem que se organizar, poupar e fazer disso tudo uma filosofia de vida.

Você precisa criar metas e objetivos capazes de motivá-lo, mas atenção: defina passos que você conseguirá cumprir e comemorar ao longo da jornada. Assim como “quero emagrecer” não se traduz em ação, “quero economizar dinheiro” não deixa claro o que você deve fazer. Caminhar 30 minutos por dia faz você perder peso. Economizar R$ 2,00 por dia faz você guardar dinheiro. Faz sentido?

Obrigado e até a próxima!

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários