Home Agronegócio Contratos futuros do cacau renovam recordes, café também sobe

Contratos futuros do cacau renovam recordes, café também sobe

O cacau em Nova York fechou em alta de 0,8%, a 10.559 dólares por tonelada

por Reuters
0 comentário

Os contratos futuros do cacau em Londres e Nova York fecharam em alta na segunda-feira, depois de atingirem novos recordes, impulsionados por uma escassez de oferta, enquanto os preços do café também subiram.

Cacau

O cacau em Londres subiu 2,7%, para fechar a 8.873 libras por tonelada métrica, depois de atingir uma máxima de 8.954 libras no início da sessão.

Os comerciantes disseram que as colheitas ruins na Costa do Marfim e em Gana na atual temporada 2023/24 levaram a uma escassez de oferta.

A falta de chuva combinada com o calor da semana passada na maioria das principais regiões produtoras de cacau da Costa do Marfim pode reduzir o tamanho da safra intermediária de abril a setembro e prejudicar sua qualidade, disseram os agricultores na segunda-feira.

Eles acrescentaram que a escassez de grãos na Costa do Marfim levou a uma queda na moagem de cacau no maior produtor mundial.

(Imagem: Reprodução/fabriciosena2020/PIxabay)
(Imagem: Reprodução/fabriciosena2020/PIxabay)

O cacau em Nova York fechou em alta de 0,8%, a 10.559 dólares por tonelada, depois de atingir um pico de 10.738 dólares.

Café

O café robusta de julho fechou em alta de 2,5%, a 3.949 dólares a tonelada métrica, depois de bater 3.975 dólares, o nível mais alto desde que a forma atual do contrato começou a ser negociada em 2008.

Os negociantes disseram que a oferta restrita no Vietnã e as preocupações com as perspectivas da safra do maior produtor mundial de robusta continuaram sendo os principais fatores de apoio.

O café arábica ficou 2,9% mais alto, a 2,2685 dólares por libra-peso, depois de atingir um pico de mais de 18 meses, de 2,3055 dólares.

Açúcar
(Imagem: freepik/@ v.ivash)

Os comerciantes notaram que os fundos aumentaram sua posição líquida comprada no café arábica na semana até 9 de abril.

Açúcar

O açúcar bruto de maio caiu 2,1%, a 20,02 centavos de dólar por libra-peso.

Os comerciantes disseram que uma notícia de que a Índia havia descartado a possibilidade de permitir exportações na temporada 2023/24, que termina em outubro, deu algum suporte aos preços.

O açúcar branco de maio, que expirou na liquidação, caiu 2,2%, para 615,20 dólares a tonelada métrica.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Assine a newsletter “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.