Home Agronegócio Contratos futuros do cacau renovam recordes e açúcar também sobe

Contratos futuros do cacau renovam recordes e açúcar também sobe

O contrato maio em Londres subiu 210 libras, ou 3,9%, para 5.558 libras por tonelada métrica, depois de atingir um recorde de 5.605 libras

por Reuters
0 comentário
(Imagem: Reprodução/Freepik/@freepik)

Os futuros do cacau negociados na bolsa ICE em Londres e Nova York voltaram a subir esta segunda-feira, atingindo novos recordes, já que os problemas com as safras na Costa do Marfim e em Gana, os dois maiores produtores do mundo, deixaram os compradores em busca de suprimentos.

Cacau

O contrato maio em Londres subiu 210 libras, ou 3,9%, para 5.558 libras por tonelada métrica, depois de atingir um recorde de 5.605 libras.

Os negociantes disseram que as perspectivas para as safras já fracas na Costa do Marfim e em Gana parecem estar se deteriorando ainda mais, e alguns agora acreditam que o déficit global na atual temporada 2023/24 pode ser de cerca de 500.000 toneladas métricas.

O clima seco e as altas temperaturas continuaram na semana passada na maioria das regiões produtoras de cacau da Costa do Marfim, aumentando as preocupações com o tamanho e a qualidade da safra intermediária de abril a setembro, disseram os agricultores na segunda-feira.

O contrato maio em Nova York subiu 4,8%, para 6.557 dólares a tonelada, depois de estabelecer uma máxima de 6.648 dólares a tonelada.

Açúcar

O contrato março do açúcar bruto teve alta de 0,53 centavo, ou 2,3%, a 23,15 centavos de dólar por libra-peso.

Os negociantes disseram que havia a preocupação de que a redução das chuvas na importante região centro-sul do Brasil levaria a um declínio na produção na próxima temporada de 2024/25.

“A situação no centro-sul do Brasil apresenta um forte contraste com o ano-safra anterior. Em comparação com o ano passado, quando as chuvas de dezembro/janeiro/fevereiro foram aproximadamente 25% acima da média, este ano elas estão cerca de 30% mais baixas durante o mesmo período”, disse a Sucden em um relatório publicado na segunda-feira.

(Imagem: Reprodução/Freepik/@fio)
(Imagem: Reprodução/Freepik/@fio)

A Sucden prevê que a produção de açúcar do centro-sul em 2024/25 totalizará 40,8 milhões de toneladas, uma redução de 1,8 milhão de toneladas em relação ao ano anterior.

A produtora francesa de açúcar Tereos espera que a nova safra brasileira de cana-de-açúcar CS seja inferior a 600 milhões de toneladas, em comparação com 660 milhões de toneladas em 2023/24.

O açúcar branco subiu 2%, a 624,50 dólares por tonelada.

Café

O café arábica caiu 0,7 centavo, ou 0,4%, a 1,796 dólar por libra-peso.

Os comerciantes disseram que o fluxo de exportação do Brasil, maior produtor, continua alto, mostrando que o país tinha mais estoques do que alguns esperavam. Um corretor estimou as exportações em cerca de 3,5 milhões de sacas em março e abril.

O café robusta de maio caiu 0,3%, a 3.020 dólares por tonelada.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Mail Dinheirama

Faça parte da nossa rede “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2023 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.