Declaração de Imposto de Renda de investimentos e renda variável – IRPF 2012/2013Começa hoje a valer o prazo para lidar com a doída mordida do Leão, o que sempre causa muita preocupação em mim, em você e todos que devem alimentar a fera. No dia 25 de fevereiro, a Receita Federal liberou em seu site o download do programa para declaração do Imposto de Renda 2013. Você já pode baixar o programa e iniciar seus cálculos para a declaração, e entregá-la a partir de hoje.

Se você tem dinheiro investido, seja em poupança, ou em bolsa de valores, você esta no seleto grupos de investidores, parabéns! No entanto, a primeira dúvida que vem à cabeça de muita gente é se todo investidor deve declarar Imposto de Renda.

Fique tranquilo, vamos ajudá-lo a responder esta dúvida. Primeiramente, para saber se você será um potencial contribuinte, deve atentar para os critérios chave:

  • Tipos de investimento que você possui;
  • Isenções;
  • Valor total investido.

Investidor de Renda Fixa e Fundos de Investimento

O Imposto de Renda dos investimentos no mercado de renda fixa (títulos públicos, CDB e etc.) e dos investimentos em Fundos de Investimento são recolhidos na fonte. Ou seja, os rendimentos que você recebe já estão líquidos e seu imposto já foi retido pelo Tesouro Nacional ou pelas instituições custodiantes das cotas do seu fundo (bancos, gestoras, corretoras etc).

A poupança, e alguns outros títulos de renda fixa, como a LCA (Letras do Crédito Agrário) e a LCI (Letras de Crédito Imobiliário) são investimentos isentos de Imposto de Renda. Assim, para um investidor focado em renda fixa, a mordida do Leão vem antes e, assim, não há espaço para dúvidas de como apurar o imposto devido.

Investidor de Renda Variável e Bolsa de Valores

Para o investidor que realizou investimentos na bolsa de valores, a história já é diferente. Os investimentos em renda variável (bolsa de valores) tornam a declaração do Imposto de Renda obrigatória. Se você investiu R$ 100,00 ou R$ 100.000 no mercado em qualquer momento do ano de 2012, você deve entregar sua declaração, independente de sua renda, bens e resultado do seu investimento.

Se você realizou operações na em bolsa de valores, deve-se lembrar de três coisas antes de iniciar sua declaração:

  • Seus lucros líquidos (descontadas corretagens e taxas) nas operações day-trade (compra e venda no mesmo dia) e nas operações normais (compra e venda em datas diferentes);
  • Seus prejuízos nas operações day-trade e nas operações normais;
  • A posição em ações e os contratos de opções, termo e futuro, mantidos em carteira no dia 31/12/2012.

Outro ponto importante é que no caso de operações normais com ações, só deverá pagar Imposto de Renda o investidor que vender um volume financeiro superior a R$ 20.000,00 no mesmo mês. Quando o volume das vendas mensais ultrapassa este limite, o investidor deverá calcular o imposto devido sobre toda a parcela, e não só sobre o que exceder os R$ 20.000.

Isso acaba gerando confusão em muita gente, que confunde estar isenta de pagar o Imposto de Renda com não precisar entregar a declaração de ajuste nesta época do ano. Para não cair nesta armadilha lembre-se: estar isento de pagar IR NÃO libera você de entregar a declaração.

No mercado de renda variável, a taxa do Imposto de Renda é fixa em 15% para operações normais e 20% para operações day-trade, sempre aplicadas sobre o lucro líquido do investidor.

Infelizmente, as complicações para apurar seu Imposto de Renda em bolsa de valores não param por aqui; existem diversas outras regrinhas que o investidor deve estar atento, como: calcular o preços médios, descontar custos de transação, impostos retido na fonte etc. Caso tenha interesse em aprender mais, veja como calcular seu imposto de renda em ações.

Para facilitar a vida, é sempre mais fácil recorrer a sistemas que fazem todo o cálculo do seu IR, cabendo a você somente o trabalho de importar suas notas de corretagem, como a Calculadora de IR do Bússola do Investidor.

Lembre-se também de que é extremamente importante o investidor conferir o valor devido gerado pelo programa da Receita Federal com o seu próprio valor calculado. Isso porque um detalhe ou outro pode te livrar de uma baita mordida do Leão! Boa sorte e até a próxima.

Guia Dinheirama de Imposto de Renda 2013:

Foto de freedigitalphotos.net.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários