Home Economia e Política Fofoqueiro? Haddad acusa CEO do Santander após reunião

Fofoqueiro? Haddad acusa CEO do Santander após reunião

Ministro esteve em um encontro com o Santander, Bradesco Asset, Itaú Asset, Ibiúna Investimentos e Verde Asset

por Reuters
0 comentário

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, reclamou de “quebra de protocolo” em reunião privada com executivos de banco e gestores de investimento, afirmando que declarações suas sobre chance de contingenciamento orçamentário foram mal interpretadas e replicadas de forma irresponsável.

Segundo Haddad, ao ser questionado sobre o assunto por um dos executivos presentes em reunião mais cedo nesta sexta, ele respondeu que haveria a possibilidade do contingenciamento, pela própria dinâmica do arcabouço fiscal.

Questionado sobre interpretação que circulou no mercado de que o ministro teria indicado na conversa um abandono do arcabouço fiscal, Haddad disse que “isso é uma irresponsabilidade”, argumentando que a versão vazada foi o oposto do que ele afirmou no encontro.

“Aquilo que não foi dito”

“Você não pode utilizar reunião fechada para depois vender para o mercado aquilo que não foi dito”, disse Haddad.

Segundo a agenda de Haddad, ele se reuniu com o CEO do Santander Brasil (SANB11), Mario Leão, e vários outros executivos do banco e de gestoras de ativos, como Bradesco Asset, Itaú Asset, Ibiúna Investimentos e Verde Asset.

Ministro da Fazenda, Fernando Haddad
Ministro da Fazenda, Fernando Haddad: em sua mais recente reavaliação das receitas e despesas orçamentárias do ano, em maio, o governo piorou sua projeção de déficit fiscal para 2024 (Diogo Zacarias/MF)

Haddad sugeriu que os jornalistas procurassem o CEO do Santander, frisando que foi “muito grave o que aconteceu”. O Santander não respondeu imediatamente a um pedido de comentário da Reuters.

Mais cedo na coletiva de imprensa, Haddad já havia respondido à pergunta sobre a possibilidade de contingenciamento, afirmando que isso poderia eventualmente ocorrer para assegurar o cumprimento das regras fiscais.

“Pode acontecer de ter que ter contingenciamento”, disse Haddad. “Você tem um marco fiscal, você tem que respeitar. Se você ultrapassar o limite estabelecido no marco fiscal, você tem que ter contingenciamento.”

Em seguida, diante de ruídos no mercado em torno de suas falas durante a reunião fechada, Haddad voltou a falar com alguns jornalistas sobre a conversa com os executivos.

Em sua mais recente reavaliação das receitas e despesas orçamentárias do ano, em maio, o governo piorou sua projeção de déficit fiscal para 2024 — a 14,5 bilhões de reais — mas o dado seguiu dentro da margem de tolerância estabelecida pelo arcabouço fiscal, o que evitou a necessidade de contingenciamento.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.