Home Mercados Ibovespa: veja os 16 destaques do fechamento de hoje; WEG dispara 

Ibovespa: veja os 16 destaques do fechamento de hoje; WEG dispara 

O Ibovespa subiu 0,09%, a 130.031,58 pontos

por Reuters
0 comentário
Weg

O Ibovespa (IBOV) assegurou o quinto fechamento positivo seguido nesta quarta-feira, acima dos 130 mil pontos, com as ações da Weg (WEGE3) disparando quase 7% e respondendo pelo principal destaque de alta após resultado trimestral acima das expectativas e anúncio de dividendos bilionários.

No cenário externo, a ata da última reunião de política monetária do banco central dos Estados Unidos manteve o tom do comunicado que acompanhou a decisão anunciada no final do mês passado, ao mostrar que o Federal Reserve está preocupado com possibilidade de cortar juros muito cedo.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 0,09%, a 130.031,58 pontos. Na máxima do dia, chegou a 130.033,91 pontos. Na mínima, a 129.358,66 pontos.

O volume financeiro somou 23,5 bilhões de reais.

“O Ibovespa está oscilando em um nível bastante interessante, se preparando para quando tiver condições de fazer uma nova arrancada”, avaliou o chefe da EQI Research, Luís Moran, considerando a queda que prevaleceu em boa parte do pregão um “ajuste fino”.

A ata da última reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês), do Federal Reserve, mostrou que a maior parte de seus integrantes estava preocupada com os riscos de cortar a taxa cedo demais.

“Os participantes destacaram a incerteza associada ao tempo que uma postura de política monetária restritiva precisaria ser mantida” para que a inflação voltasse à meta de 2%, disse a ata referente à decisão que manteve a taxa entre 5,25% e 5,50%.

(Imagem: Reprodução/Site Oficial B3)
(Imagem: Reprodução/Site Oficial B3)

Na visão da estrategista sênior de portfólio da Global X, Michelle Cluver, a ata de janeiro mostrou que as autoridades do Fed ainda não estão prontas para cortar os juros.

“Embora junho continue a ser uma possibilidade para um primeiro corte, a ata refletiu a importância de os membros do Fed ganharem maior confiança na inflação caminhando de forma sustentável em direção à sua meta e 2%.”

Para o economista-sênior do Inter, André Cordeiro, a ata não apresenta maiores novidades e deixa claro os cortes não iminentes.

“Dada a recente divulgação dos dados de payroll (criação de vagas) e inflação (nos EUA), já após a reunião, o comitê deve se manter cauteloso enquanto caminhamos para a reunião de março”, acrescentou.

Em Wall Street, os pregões terminaram sem uma direção única, em meio a expectativas também para o resultado da Nvidia, conhecido após o fechamento. O S&P 500 subiu 0,13%, o Nasdaq recuou 0,32% e o Dow Jones encerrou com elevação também de 0,13%.

O rendimento do título de 10 anos do Tesouro norte-americano marcava 4,3206%, de 4,275% na véspera.

Entre outros pontos da ata, o economista-chefe da G5 Partners, Luis Otávio Leal, chamou a atenção para uma divisão no Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) do Fed sobre qual o risco maior — cortar antes ou demorar muito para reduzir.

“Talvez não em março, mas em maio é provável que a gente tenha uma decisão de manutenção dividida”, avaliou.

Destaques

Weg (WEGE3) saltou 6,89%, a 36,63 reais, após a fabricante de motores elétricos reportar lucro líquido de 1,74 bilhão de reais no quarto trimestre do ano passado, uma expansão de 46% sobre o desempenho de um ano antes, em resultado acima das expectativas de analistas.

A companhia também aprovou 1,25 bilhão de reais em dividendos complementares.

GPA (PCAR3) fechou em alta de 6,22%, a 4,27 reais, antes do balanço trimestral, que está previsto para essa quarta-feira ainda.

Hapvida (HAPV3) fechou em queda de 4,51%, a 3,39 reais, após quatro altas seguidas. Analistas do JPMorgan revisaram para baixo suas previsões para o lucro e o Ebida da companhia em 2024 e 2025 e cortaram o preço-alvo dos papéis de 6,50 para 5,50 reais. Mas mantiveram a classificação “overweight” citando uma assimetria positiva de risco versus retorno.

ISA Cteep (TPRL3) caiu 3,73%, a 25,81 reais, também mudando de sinal durante o pregão, mesmo após divulgar lucro líquido de 900,6 milhões de reais para o último trimestre de 2023, alta de 147,7%.

Executivos da companhia também disseram à Reuters que a transmissora de energia vai focar na execução de seu plano de investimentos que destinará 15 bilhões de reais nos próximos anos a novas linhas e subestações, além de reforços e melhorias nas redes existentes.

Taesa (TAEE11) recuou 1,50%, a 34,90 reais, após a empresa de transmissão de energia elétrica informar que André Moreira renunciou ao cargo de diretor-presidente, posto que será ocupado de forma interina pelo diretor financeiro da companhia, Rinaldo Pecchio Junior.

Iguatemi (IGTI11) avançou 0,13%, a 23,50 reais, revertendo os ganhos da abertura, quando chegou a 24,34 reais, em meio à análise do balanço da operadora de shoppings centers, com lucro líquido de 119,8 milhões de reais no quarto trimestre do ano passado, 28,3% acima do registrado no mesmo período em 2022. A companhia também divulgou suas projeções para 2024.

Vivo (VIVT3) subiu 1,30%, a 53,62 reais, após a operadora de telecomunicações divulgar aumento de 42% em seu lucro líquido no quarto trimestre do ano passado, ante mesmo período de 2022, para 1,6 bilhão de reais.

O presidente-executivo, Christian Gebara, também afirmou que a dona da marca Vivo deve concluir neste ano plano de tornar sua rede de fibra disponível para 29 milhões de domicílios no país.

Gerdau (GGBR4) subiu 2,06%, a 21,84 reais, mesmo após declínio de 45,1% no lucro líquido ajustado do quarto trimestre do grupo siderúrgico.

Executivos da companhia afirmaram que a empresa está acelerando planos para readequar o tamanho de suas operações no Brasil, sinalizando também que deve continuar promovendo “desligamentos” no país. A Gerdau também anunciou dividendos de 0,10 real por ação.

Vale (VALE3) fechou com elevação 0,76%, a 66,51 reais, apesar de mais um dia de queda do minério de ferro na Ásia, tendo ainda no radar resultado da rival Rio Tinto.

Investidores aguardam o balanço da Vale, previsto para quinta-feira, após o fechamento, e monitoram movimentações relacionadas à troca de comando da mineradora.

Petrobras (PETR4) terminou com acréscimo de 0,14%, a 42,51 reais, mesmo com a melhora dos preços do petróleo no exterior, onde o barril de Brent fechou negociado em alta de 0,84%.

No setor, Petroreconcavo (RECV3) subiu 0,93%, a 23,83 reais, tendo ainda como pano de fundo relatório do JPMorgan iniciando a cobertura dos papéis com classificação “overweight” e preço-alvo de 30 reais.

Itaú Unibanco (ITUB4) cedeu 0,56%, a 35,48 reais, e Bradesco (BBDC4) caiu 0,36%, a 13,92 reais, após desempenho robusto na véspera.

Zamp (ZAMP3), que não está no Ibovespa, recuou 3,28%, a 4,13 reais. A master franqueada no país das redes Burger King e Popeyes disse que iniciou negociações com a Starbucks Corporation sobre direito de uso de marca e desenvolvimento das operações da companhia norte-americana no Brasil.

A Zamp também divulgou que recebeu correspondência do Mubadala Capital afirmando que ele passou a deter o controle acionário da companhia.

Americanas (AMER3), que não está no Ibovespa, desabou 10,17%, a 0,53 real, nova mínima histórica do papel.

A varejista voltou a adiar a divulgação do balanço que estava prevista para a segunda-feira e agora prevê apresentar os números dos três primeiros trimestre de 2023 em 26 de fevereiro.

Nesta quarta-feira, a companhia disse que Pierre Moreau renunciou ao cargo de membro do conselho de administração da empresa. Ele era um dos três conselheiros independentes no colegiado.

OI (OIBR3), que também não faz parte do Ibovespa, disparou 11,81%, a 1,42 reais, ampliando a alta em fevereiro para 129%.

A companhia comunicou nesta quarta-feira que um fundo gerido pela Trustee DTVM passou a deter 5,14% das ações da operadora de telecomunicações e sinalizou a intenção de contribuir para melhoria na estrutura administrativa da companhia, que está em seu segundo processo de recuperação judicial.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Mail Dinheirama

Faça parte da nossa rede “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2023 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.