Afinal de contas: você sabe o que é e como funciona um IPO? O Conrado Navarro explica sobre como funciona uma oferta de ações, porque uma empresa faz um IPO, quais são as vantagens e também comenta sobre o caso Uber!

O IPO (Initial Public Offering) é uma sigla para Oferta Pública Inicial. Como o próprio nome diz, é quando uma empresa vende ações para o público pela primeira vez. Isso também é conhecido como a abertura de capital. É a primeira vez que os proprietários da empresa renunciam de parte dessa propriedade em favor de acionistas em geral. O principal motivo da abertura de capital de uma empresa é captar recursos.

Vantagens e desvantagens para a empresa:

  • Lucro para os proprietários: Para os proprietários finalmente é hora de tirar proveito de seu trabalho árduo. Então eles costumam vender uma grande porcentagem das ações e assim fazer milhões no dia em que elas se tornam públicas.
  • Atração de melhores profissionais: O IPO também pode permitir que as empresas atraiam os melhores talentos oferecendo a opção de receberações. Elas podem pagar um salário menor a esses primeiros executivos com a promessa de que eles podem ter um retorno substancial na abertura de capital.
  • Possibilidade de grande lucro para investidores: A grande emoção e expectativa ficam por conta do fato de que as ações do IPO muitas vezes podem disparar em valor quando são vendidas pela primeira vez no mercado de ações, conferindo grande lucro aos acionistas.
  • Imprevisibilidade dos preços: Às vezes o valor das ações dispara no dia da abertura de capital, mas despenca ao chão alguns dias depois.

Mas afinal, como saber o que fazer? É extremamente difícil analisar, por conta própria, se um IPO vale a pena. Ou seja, se a faixa de preço estabelecida pelo coordenador da oferta é atrativa para compra. É necessário realizar uma avaliação completa da empresa para saber se o preço que irá pagar na ação é justo. Com certeza você já ouviu diversos casos nos quais os papéis subiram muito no primeiro dia, como o da Bovespa e da BM&F em 2008 mas há risco de perdas, também; e você deve estar ciente disso.

A Uber pretende levantar cerca de US$ 9 bilhões em dinheiro em sua oferta pública inicial no próximo mês, quando deverá estrear na Bolsa de Nova York sob o símbolo “UBER”.

A companhia planeja oferecer 180 milhões de ações entre US$ 44 e US$ 50 por ação, de acordo com documento divulgado na manhã de sexta-feira (26), avaliando a empresa entre US $ 80,53 bilhões e US $ 91,51 bilhões.

A avaliação está bem abaixo dos relatórios anteriores, que sugeriam que o Uber poderia ser avaliado em até US$ 120 bilhões. No limite inferior de sua faixa de preço, a capitalização de mercado da Uber seria de US$ 73,7 bilhões, o que cairia até abaixo de sua última avaliação privada de cerca de US$ 76 bilhões.

Assumindo que os preços da Uber estão em US$ 47 por ação, o ponto médio de sua faixa declarada, o SoftBank deve ganhar o máximo do IPO. Com base em sua contagem de ações pós-IPO no processo, a empresa ganharia mais de US $ 10 bilhões na oferta.

Até mesmo o ex-CEO e co-fundador da Uber, Travis Kalanick, deve ganhar US $ 5,3 bilhões no IPO, com base nas mesmas premissas. Seu co-fundador, Garrett Camp, deve ganhar cerca de US $ 3,7 bilhões através de LLCs que ele gerencia, sob essas premissas.

 

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários