Você já se pegou fazendo comparações nada saudáveis com várias daqueles pessoas que habitam as suas redes sociais?

Pode acontecer em muitos níveis: desde uma foto que você publicou e esperava receber mais curtidas, até aquela sensação de não estar aproveitando a vida como deveria ou aquele sentimento de que você poderia estar em melhor forma ou ter um namorado mais romântico.

Ufa! Quantas são as neuras que carregamos, não é mesmo? E como elas atrapalham o nosso progresso!

Leita também: Redes sociais: Cuidado, o Status pode afundar sua vida financeira

Redes Sociais preparam mudanças

Outro dia, vejam só, o próprio Instagram anunciou que está testando, ainda com um número restrito de usuários, uma nova maneira de exibir o número de likes de uma postagem, com a possibilidade de esconder os dados do público.

A razão, segundo um porta-voz não identificado pelo site The Verge, seria tirar a pressão de cima do usuário.

Disse o site que, segundo a tal fonte, o Instagram começava a entender que deveria ser um local para livre expressão, e não um concurso de popularidade. Além disso, o objetivo seria deixar o ambiente menos tóxico e competitivo.

O que você acha? Penso que, independente de ser a real motivação da empresa, faz muito sentido!

Minha experiência me ensinou muito

Comecei a fazer algumas postagens e vídeos no Instagram não faz muito tempo, e confesso que posterguei muito porque realmente achava que já havia muita gente falando e postando demais na rede. Escrever para mim estava já muito bom.

Mas acontece que vivemos em um mundo que nos traz um dilema: se você não aparece, as pessoas não te veem. Se as pessoas não te veem, você transmite e troca muito menos conhecimento do que poderia estar trocando. E estamos aqui para trocar também. Não há evolução em nenhum sentido sem troca, você não acha?

A grande questão em aberto é como encontrar um equilíbrio? É possível fazer diferença sem exagerar na dose, não se expor demais, e nem começar a se comparar loucamente com outros perfis?

Leia também: Por Que Quanto Mais Trabalho Mais Fico Endividado?

Mais propósito e menos comparações

A conclusão a que cheguei é que é preciso focarmos mais em propósitos e menos em comparações. Assim como nossos planos e metas financeiros são absolutamente individuais, também são os nossos propósitos.

Desta forma, a nossa concentração deve estar no caminho, aonde queremos ir e onde queremos chegar, e não naquilo que os outros – que também têm seus planos e metas individuais – estão fazendo. Faz sentido?

As redes sociais podem ser grandes canais de troca. Quantas vezes não recebo mensagens que fazem diferença no meu dia? Aposto que você também!

Mas como tudo na vida, é preciso que saibamos usá-las com mais sabedoria e menos neurose. É do ser humano querer saber o que se passa no quintal do vizinho com todos os detalhes, mas lembre-se que o quintal do vizinho pode não ser tão verde assim!

Pense comigo: quantos casais na sua rede já não fizeram juras de amor diárias e eternas nas redes sociais para, dali uns meses, acompanharmos a separação e o surgimento de outros parceiros?

Quantas pessoas já não postaram fotos incríveis nos mais lindos lugares para depois se mostrarem tristes com a vida e a sua realidade? Quantos famosos, cheios de momentos glamourosos acompanhados por milhões, não se mostraram depressivos e expuseram certa fragilidade depois de um tempo?

Assista: Existe Vida SEM CARTÃO DE CRÉDITO? (VOCÊ VAI SE SURPREENDER 😳)

Conclusão

Não podemos esquecer que a vida de fato acontece fora da tela de um computador ou smartphone.

Podemos, sim, tirar proveito do que acontece dentro da telinha da melhor forma possível, mas isso requer uma boa dose de esforço diário para que a gente não se renda à neurose da comparação!

Os milhões de likes de alguém em determinada rede podem até lhe render mais fama e dinheiro, mas não significam que tenha uma vida mais feliz que a sua, por exemplo. Tudo depende do que você ou este alguém considera uma vida mais feliz.

A fama, os likes, as fotos, toda exposição exagerada também tem seu preço, e um peso grande que é preciso saber aguentar de forma equilibrada para não pirar neste mundo já tão maluco! Portanto, é preciso que façamos menos comparações e tenhamos mais foco em nossos reais propósitos.

Quando o “bichinho da comparação” começar a querer te picar, respire, conte até 5, e volte lá para os seus planos que realmente fazem sentido, combinado?

A vida do outro, afinal de contas, não vai fazer a menor diferença nos seus resultados. Apenas você fará a diferença que precisa para ter a vida que realmente quer! Vamos juntos?

Janaína Gimael
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários