Quatro formas de comprar e investir em ouroLarissa pergunta: “Ricardo, sempre tive muita curiosidade de investir em ouro, mas encontro poucas informações sobre o assunto. Além das opções tradicionais (e caras) de comprar ouro em barra, que outras formas existem para adquirir o metal? Vale a pena considerar esta alternativa de investimento? Obrigada”.

O investimento em ouro é um dos assuntos que mais atrai a curiosidade das pessoas. Certamente, em algum momento de sua vida, você teve a oportunidade de ver ou conhecer alguém que trabalha comprando e vendendo o metal que por muito tempo significou poder e status. Quem não se lembra dos muitos profissionais que ficam andando no centro das grandes cidades com placas “Compro ouro”?

De acordo com a Wikipedia, o ouro é conhecido desde a antiguidade e foi um dos primeiros metais que o homem “trabalhou”. Devido à sua preciosidade e escassez, o ouro se tornou padrão de mensuração de riqueza para muitas moedas no decorrer do tempo.

O ouro no Brasil
No Brasil, o Ouro também teve grande importância, chegando a ter na mineração muitos garimpos que se tornaram famosos – o principal deles foi Serra Pelada, localizado no Estado do Pará. O garimpo de Serra Pelada já foi desativado e o sonho de se tornar milionário da noite para o dia ao encontrar ouro ficou para trás.

O tempo foi passando, tanto o Brasil quanto o mundo mudaram muito. Esse tempo fez com que outros tipos de investimentos se popularizassem. O ouro, que no Brasil tinha grandes negociações até meados da década de 90 (Governo Collor), observou uma redução drástica nas negociações.

Atualmente, vivemos um período interessante para quem pensa em investir em ouro. A crise econômica internacional fez com que muitos países emitissem moeda como forma de aumentar e estimular seu consumo interno. Mais dinheiro faz com que as moedas se desvalorizem, o que proporciona o aumento no preço das commodities (e o ouro se beneficia nesse processo).

Como comprar e investir em ouro?
Você, leitor mais atento, deve ter percebido que o ouro é um investimento de proteção (hedge). Simplificando, quando a economia mundial passa por solavancos, o ouro passa a representar um investimento com bom potencial – é um refúgio para manter os investimentos em algo palpável e seguro.

Se você estiver pensando em uma estratégia de longo prazo, possivelmente encontrará alternativas tão ou mais interessantes que ouro. O importante é ficar de olho e perceber a tendência do mercado (crises, retrações econômicas, momentos de euforia etc.) e usar com coerência as possibilidades de diversificação que existem atualmente.

Se você se interessou pelo assunto e quer investir em ouro, leia quatro dicas que poderão ajudá-lo:

  • Se você deseja comprar ouro diretamente na BM&F Bovespa, precisará de conta em uma corretora de valores. Você terá de pagar à corretora pela realização da operação e arcar com as taxas cobradas pela BM&F Bovespa pela compra e custódia, como aconteceria com qualquer ativo financeiro. A cotação do ouro no Brasil costuma seguir a dos contratos negociados em Nova York e a variação cambial;
  • Comprar joias é outra oportunidade de investir em ouro. A ideia nesse investimento é comprar e vender na melhor oportunidade possível. A regra é a mesma da bolsa de valores: comprar na baixa e vender na alta. Há quem pense nas joias simplesmente como patrimônio, acumulando ouro, prata e afins como parte dos bens familiares;
  • Quem possui joias ou barras de ouro pode utilizar o penhor como forma de capitalização. A operação é muito mais vantajosa do que um empréstimo pessoal, por exemplo, já que o próprio objeto (a joia) serve como garantia do empréstimo feito a partir da penhora. No Brasil as operações de penhor ficam a cargo da Caixa Econômica Federal (clique para mais detalhes);
  • Entrega física de ouro. As corretoras e distribuidoras de valores criaram diversos produtos a partir dos contratos e barras de 250 gramas, vendendo desde pequenas quantidades (1g a 10g) em cartões até laminados e barras de tamanhos e pesos diferentes, escolhidos pelo investidor. Os produtos, baseados em cotações do dia mais ágio (lucro), são padronizados, certificados e lacrados. Para conhecer melhor quem faz este trabalho e como são feitos o pagamento e a entrega, leia o artigo “Como investir e comprar ouro sem ter muito dinheiro”, publicado aqui mesmo.

Se investir em ouro será uma de suas decisões de investimento, lembre-se também que o melhor investimento sempre será aquele que possibilitará a realização dos seus objetivos. Você precisa definir o que quer da vida e, a partir desse momento, definir que investimentos serão necessários para chegar lá (curto, médio ou longo prazos e nível de risco).

Seja cuidadoso com seu dinheiro e não desperdice oportunidades de usá-lo para construir um futuro cheio de tranquilidade, liberdade e qualidade de vida. Até a próxima.

Foto de freedigitalphotos.net.

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários