Dia 29 de abril é o prazo final para entrega da declaração do Imposto de Renda. Mas se você pensa que essa data está longe e vai deixar para fazer tudo de última hora – como todo bom brasileiro – sugiro que repense esta decisão.

Afinal, apesar de simples, é preciso muita atenção para não cometer nenhum erro na declaração e evitar entrar na malha fina e ter uma grande dor de cabeça futuramente.

Se você costuma acompanhar noticiários, já deve ter visto, lido ou ouvido alguma matéria que fale sobre as dificuldades financeiras que nosso país vem enfrentando ao longo dos últimos anos.

O superávit primário – economia para pagar os juros da dívida pública – que fazíamos até um tempo atrás, não fazemos mais. E o pior, além de não poupar, nossos gastos estão superiores à nossa arrecadação. Com um governo tão corrupto e perdulário, o que poderíamos esperar de diferente?

Leitura recomendada: Imposto de renda: diminua suas dores de cabeça com isso

Uma coisa é fato: a Dilma está ávida por dinheiro para conseguir pagar suas (nossas) contas! E o que isso tem a ver com você que irá declarar seu imposto daqui a um mês? Tudo! Somos nós que financiamos o Brasil, lembra?

Em um momento adverso, o governo aumenta ainda mais seu apetite por angariar recursos e a declaração do Imposto de Renda é um prato cheio para isso. O Leão está mais faminto que nunca! Todo pedaço de carne será muito bem-vindo.

A fome dos nossos governantes por recursos está grande como há muito tempo não se via. Para tapar o rombo da incompetência e desonestidade é preciso de muitos, muitos, mas muitos recursos mesmo. Recursos meus, seus e do país inteiro.

Ao elaborar sua declaração deste ano, é preciso redobrar sua atenção, pois a Receita irá triplicar a atenção dela em busca de qualquer mínimo deslize que você tenha cometido para aumentar a sua arrecadação.

Antes de iniciar o preenchimento da declaração, é importante que você tenha em mãos todas as informações financeiras referentes ao ano passado. Dessa forma, você não precisará parar o preenchimento para ficar correndo de um lado para o outro atrás de papelada nenhuma. Isso pode tirar a sua atenção e desviar o foco da declaração. Não corra esse risco!

A declaração é autoexplicativa. Se você tiver o mínimo de paciência e cuidado, consegue efetuá-la de maneira correta e sem maiores dificuldades. Caso você tenha alguma dúvida, é provável que ela esteja esclarecida no próprio material da Receita Federal no campo de dúvidas mais frequentes (clique aqui para acessar o documento completo).

Caso a sua vida financeira seja muito complexa, você não tenha paciência ou não se sinta capacitado para fazer a declaração sozinho, não hesite em pedir auxílio para alguém que possa ajudá-lo, de preferência um contador experiente, este o profissional mais indicado para tal.

Sei que para a maioria dos brasileiros, esse é um momento chato, cansativo e que causa um grande estresse. No entanto, aproveite que você está de posse das suas informações financeiras para analisar como andam as suas finanças.

O que você tem feito com o seu dinheiro? Seu patrimônio tem aumentado ao longo dos anos? Aonde seus recursos estão investidos? Esse investimento está dando um retorno satisfatório? O que você pode fazer para melhorar a gestão dos seus recursos?

Leitura recomendada: Imposto de renda 2016: cuidado ao lançar seus investimentos.

Procure tornar esse momento burocrático em um momento de reflexão e aprendizado. Seu bolso agradece!

Foto “Hungry lion”, Shutterstock.

Samuel Magalhães
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários