Você vem querendo economizar para formar aquela reserva de emergência tão importante sobre a qual todos os educadores financeiros falam. Só que não sabe como diminuir os gastos, afinal, tudo parece tão necessário, não é verdade? Para ajudá-lo a começar 2019 tendo “economia” como palavra de ordem, nós te desafiamos a gastar o menos possível em 30 dias.

Faça um teste e anote quanto economizou ao final do período, combinado? Nós separamos 10 gastos frequentes que, somados ao fim de um mês, podem acabar impedindo que sobre algum tostão na carteira. E para guardar ou investir então!? Nem pensar, não é mesmo?

É claro que a economia vai variar de pessoa para pessoa, e talvez alguns destes itens nem se apliquem ao seu caso, mas certamente se você conseguir realizar ao menos algumas dessas ações visando gastar menos, seu bolso agradecerá e você conseguirá dar o primeiro passo na formação de uma reserva que lhe proporcionará mais liberdade financeira para os passos seguintes.

A partir daí, lembre-se sempre de “pagar-se” antes. Ou seja, assim que a receita entrar, separe um percentual dela e transfira direto para esta reserva, não espere sobrar porque em geral isso não acontece. Pronto para o desafio?

  1. Compras à vista – Para que você comece a ter dinheiro extra para investir, é preciso colocar as finanças em ordem, ter uma reserva de emergência e não fazer dívidas. Ou seja, sempre que possível, adotar o hábito de compra à vista é algo saudável para o bolso. Dá até para tentar negociar descontos. Que tal, neste período de 30 dias, você tirar os cartões de crédito e de lojas da carteira e comprar somente com dinheiro? Assim a tentação de comprar coisas desnecessárias certamente também será menor.
  2. Transporte – Quanto você tem gastado para se transportar de um lugar a outro? Que tal deixar o carro em casa ao menos alguns dias, economizando gasolina e estacionamento, e aderir ao transporte público? E como tem sido o seu uso de táxi ou apps de transporte? Lembre-se que usar aplicativos como o Uber costuma sair mais em conta, mas, ainda assim, é preciso controle para que, no final do mês, aquele monte de corridas somadas não gere um enorme prejuízo. Faça as contas e desafie-se a gastar o mínimo possível com transporte nestes 30 dias de teste. E nem precisamos dizer que, se a distância for curta, caminhar é sempre um santo remédio para o bolso e para a saúde!
  3. Refeições – Os gastos com refeições fora de casa costumam ser um grande vilão das finanças. Que tal fazer o exercício de, ao menos alguns dias por semana, levar marmita para o trabalho no lugar de comer fora? Ou fazer pizza em casa no lugar de ir a um restaurante? Ou, ainda, optar por um quilo mais barato? Não se esqueça de anotar quanto economizou ao final do período, ok?
  4. Trocas – Outro hábito que você pode adotar neste período voltado a fazer economia é, no lugar de comprar algumas coisas, trocar. Isso mesmo. A internet e seus inúmeros grupos felizmente permite esse tipo de coisa. Dessa forma, você pode separar desde roupas a eletronicos e trocar por outras coisas que interessem no lugar de gastar dinheiro com novas. Que tal tentar fazer pelo menos uma troca neste período? Anote a experiência e a economia.
  5. Cupons de desconto – Usar cupons de desconto como Groupon ou Peixe Urbano pode gerar uma grande economia para o bolso. Há, inclusive, opções que podem ser usadas no mesmo dia da compra, nem sendo necessário reservar. Se você costuma gastar muito com cinema, teatro, restaurente, e etc., proponha-se a adotar o hábito de usar estes cupons ao menos de vez em quando, ok?
  6. E-mails de ofertas – Quem está com foco em economizar, mas em geral não se aguenta quando vê uma oferta, deve passar longe de lugares em que a tentação seja grande. Só que às vezes você está no computador, trabalhando, e um inofensivo e-mail cheio de ofertas chega para tentá-lo a usar aquele dinheiro que iria para a reserva. Ufa, é preciso muita força de vontade para não comprar nada, não é mesmo? Nossa recomendação neste caso é que você nem abra o e-mail. Se não houver nada que você realmente esteja pensando em comprar, assim que o e-mail pular na sua tela, delete. Faça isso por algumas semanas e você verá que vai ficando mais fácil resistir.
  7. Genéricos – Medicamentos, especialmente os de uso contínuo, costumam abocanhar parte do orçamento. Que tal perguntar ao médico se não há opções mais baratas ou se há genérico que você possa usar? Muitas vezes também compensa comprar mais de um para ter desconto ou até conversar com laboratórios que, em alguns casos, dão desconto para os remédios contínuos.
  8. Pontos de fidelidade – Assim como os cupons de desconto, os pontos de fidelidade dos cartões podem ser uma mão na roda para você economizar. Não desperdice e sempre dê uma olhadinha para ver se aquela passagem aérea não pode ser comprada com pontos.
  9. Plano de celular – Você costuma dar uma olhada para saber o quanto tem usado de seu plano de telefonia celular? Certamente a maioria não faz isso, e por isso mesmo pode estar pagando muito mais do que poderia por ele. Veja se não estão sobrando minutos mensalmente por exemplo, pois dessa forma você pode reduzir o valor pago.
  10. Vendas de usados – Finalmente, que tal dar aquela olhadinha básica em algumas coisas que você pode vender para arrecadar fundos para a sua reserva? Muita gente tem roupas, livros, eletrônicos e até milhas que estão encostados e sem uso, mas esquece que há muitos sites de venda e compra de usados que podem ajudar. Venda o que não usa mais e use o dinheiro para incrementar a reserva. Certamente terá muito mais utilidade para esta sua nova fase financeira que começa!
Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários