Thiago comenta: “Navarro, um dos principais problemas que eu tenho é a falta de disciplina para investir todo mês. Quando penso nisso, o dinheiro já acabou ou já está comprometido com alguma compra ou dívida. Como fazer para investir de forma disciplinada e sem correr riscos de cair em tentações? Será que isso é possível? Obrigado”.

Você provavelmente já ouviu alguém dizer que “até gostaria de investir algum dinheiro, mas não sobra nada no fim do mês para isso”. Muitas pessoas acreditam que serão capazes de, passados alguns dias do recebimento do salário, separar dinheiro para investir depois de pagar algumas contas. Não funciona assim.

Por que devemos investir? Porque com algum dinheiro guardado e multiplicado, ter mais qualidade de vida ao longo dos anos (mais liberdade e possibilidades de consumo) faz mais sentido. Isso sem contar na tranquilidade diante de emergências, não é mesmo? Aliás, sobre emergências sugiro que leia um texto bem completo já publicado aqui (clique).

Eu sempre digo que se depender da gente, nunca vai “sobrar” dinheiro para investir. É simples: ou nós temos objetivos claros e fortes o suficiente para não cair em tentação (gastos e consumo), ou o dinheiro simplesmente seguirá seu curso natural, que é ser gasto e trocar de mãos.

Como assim, automatizar?

A tecnologia cumpre um papel fundamental no sentido de facilitar as decisões de investimento e o ato de investir. Hoje é possível automatizar os investimentos, ou seja, programar os aportes e as aplicações para que sejam automáticas por um determinado período.

A partir daí, no dia escolhido, durante o tempo programado, o dinheiro sairá de sua conta e será investido automaticamente no produto (fundo, caderneta, título etc.) que você escolheu. Alguns chamam isso de “poupança forçada”; eu prefiro chamar de inteligência financeira.

O investimento frequente é um dos quatro hábitos dos investidores de sucesso (descubra os outros clicando aqui), que sabem que é muito mais eficiente investir sempre que procurar acertar a hora certa de entrar e sair do mercado.

3 motivos para você automatizar seus investimentos

Por que automatizar? Porque é possível e porque as ferramentas para isso estão acessíveis a praticamente todos os correntistas que usam internet banking; porque é simples; porque essa decisão colocará você diante de um novo e importante hábito financeiro.

Quer mais motivos? Vejamos:

Motivo 1: Você não se “esquecerá” de investir

Chega dessa conversa de “investir quando sobrar algum dinheiro”. Com as aplicações programadas para uma data interessante dentro do seu orçamento, tudo o que você precisará fazer é certificar-se de que haverá dinheiro disponível na data escolhida e só! O investimento será feito automaticamente.

Como sugestão, agende os aportes para no máximo cinco dias depois do recebimento do salário (ou outra fonte de renda). Assim você garante que haverá dinheiro na conta para o investimento e evita a desculpa “Tenho que investir, mas não sobra dinheiro”.

Atenção para o orçamento, pois com o investimento sendo feito automaticamente você terá que viver e basear seu mês nos valores restantes e livres depois de feita a aplicação. É muito importante que você mantenha um registro detalhado de suas finanças – sugiro que use nossa ferramenta gratuita www.dinheiramaonline.com.br para isso.

Motivo 2: Você não dependerá dos outros para investir

A cultura do relacionamento entre cliente bancário e gerente é muito forte no Brasil e, em muitos casos, gera uma dependência perigosa. São muitas as pessoas que não tomam uma decisão de investimento sem consultar o gerente, e este nem sempre oferece produtos adequados e que permitam o investimento automatizado.

Da próxima vez que conversar com outras pessoas sobre seus investimentos, certifique-se de que as alternativas escolhidas permitem a você investir a partir da plataforma online do banco e oferecem a opção das aplicações automáticas. Dessa forma você ganha autonomia, algo essencial para gerar confiança nas decisões de investimento.

Sugiro a leitura do artigo “Como Se Relacionar Melhor Com Seu Gerente Bancário” para encontrar a melhor maneira de expor sua necessidade de investimento programado ao gerente e, assim, passar a investir também sem sua interferência.

Motivo 3: Você alcançará seus objetivos mais facilmente

Pense naquela viagem que você gostaria de fazer para o exterior daqui dois anos. Se você fosse capaz de separar R$ 200,00 todo mês, durante 24 meses, será que isso faria diferença na hora de viajar? Suponho que sim!

Ora, automatize o investimento desses R$ 200,00 todo mês, durante 24 meses, e você logo estará apto a realizar o sonho de viajar – se você vai esperar dois para isso, que seja com dinheiro no bolso, certo? Ah, seu objetivo é outro? Não importa, funciona da mesma forma: defina o que quer, o prazo para atingir a meta, precifique o alvo desejado e automatize os investimentos até lá.

Escrevi aqui mesmo um texto falando sobre a importância dos objetivos para a busca da independência financeira no artigo “Quanto você está disposto a lutar e esperar por um sonho ou objetivo?” (clique para ler).

Atenção para os custos na hora de aplicar

Em alguns casos, automatizar pode significar ter que programar transferências entre contas correntes de diferentes bancos, o que implica em cobrança de tarifas por parte das instituições financeiras. Preste atenção a esse detalhe e procure minimizar ao máximo esse tipo de custo.

Esse tipo de situação acontece quando o investimento desejado está fora do banco onde você tem conta (uma corretora ou butique de investimentos, por exemplo). Para minimizar os efeitos dos custos nos investimentos programados, você pode:

  • Abrir uma conta no mesmo banco em que deverão ser feitos os depósitos, optando pelo pacote básico de tarifas ou mesmo uma conta eletrônica (já falamos dela aqui), isenta de taxas. Esta opção permite isentá-lo dos custos de transferência e é ideal para aportes de valores mais baixos;
  • Fazer aportes mais significativos para diluir o custo da chamada TED. Pense que em uma transferência de R$ 100,00, pagar R$ 13,50 para transferi-los representa 13,5% do valor a ser aplicado. Se o aporte for de R$ 1.000,00, o custo da transferência representará 1,35% do valor.

Conclusão

Segundo uma pesquisa divulgada recentemente, apenas 20% dos brasileiros que possuem dinheiro aplicado usam o investimento programado como parte de sua rotina. É pouco! Os benefícios da tecnologia e da ferramenta são acessíveis e fáceis de configurar, então é hora de investir de modo mais inteligente.

A decisão de automatizar seus investimentos é positiva sob todos os aspectos: você investe com regularidade, não corre o risco de se “esquecer” das aplicações e fica mais próximo de realizar seus objetivos na medida em que investe todo mês pensando neles.

Espero que o texto tenha despertado sua atenção para a importância de automatizar os investimentos. Converse com seu gerente, procure essa opção no sistema online do banco e aproveite! Obrigado e até a próxima.

Foto “Data on computer”, Shutterstock.

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários